Pular para o conteúdo principal

Intervalo: Teclas Pretas

Teclas Pretas - Cidade Subtraída (e os Perigos do Sonambulismo Filosófico)



Cidade Subtraída (e os Perigos do Sonambulismo Filosófico), novíssimo clipe do duo Teclas Pretas, que foi lançado ontem à noite, na sala de arte da UFBA, junto aos demais clipes do projeto Oficina Geração Bit (que tem, entre outros, Retrofoguetes, Nancyta e Yun Fat).

A música foi lançada recentemente no EP Nó dos Mais Gravatas (download aqui), e é de autoria de Glauber Guimarães (entrevistado por Chico Castro Jr. na revista Muito do último domingo - leia aqui no blog desta), que junto a Jorge Solovera, forma o duo Teclas Pretas, interessante projeto que sobrevive a carreira deste brilhante e experimental artista que é Glauber (bota pra frente, Gaubito!).

O clipe tem a direção de Rodrigo Araújo e Diego Haase, com a edição de Wallace Nogueira, e ficou bem bacana, ambientado na Estação da Calçada entre outras locações da downtown baiana. Além de ter a presença da atriz Laíse Leal, vencedora do concurso de Pin Ups da festa Pin Ups and Hot Rods.

.

Comentários

Hola Jorge, soy Gricel de Chile, te ando siguiendo la pista junto a mis recuerdos de infancia, que por cierto son felices y me gusta recordarlos. Si quieres contactarme, mi correo es tangogricel@gmail.com. Ya te dejé otro recado por ahí, con eso ya está bien. Si resulta que eres el hermano de Vania, ya habré recuperado un poco de infancia. Si no es así, por lo menos quedan los recuerdos.

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…