Pular para o conteúdo principal

Postagens

Emmanuel Mirdad, Cida Pedrosa e Maviael Melo na Flican II

Na noite da última sexta, 09 de abril de 2021 , participei da mesa “ Literatura, poesia e virtualidade ”, na 2 ª  edição da Flican (Feira Literária de Canudos), com a poeta premiada Cida Pedrosa  e o multi-artista & produtor Maviael Melo (valeu pelo convite, meu querido!). Conversamos sobre os momentos de virtualidade, manter a arte pulsando, ajudando na sanidade mental (propus ler poesia ao invés de chorar pitanga), e aproveitando a oportunidade de conhecer gente nova e estabelecer contatos que o real não pôde viabilizar. Falei sobre o meu romance “ oroboro baobá ” e li um trecho. Cida falou sobre o premiado “ Solo para vialejo ” e leu um trecho do seu longo & belo poema. Celebramos o prêmio de Livro do Ano no Jabuti 2021 que Cida ganhou (muito orgulho!), analisei possibilidades para venda e lançamento de livros nessa virtualidade; Cida contou sobre a invasão da sua live de lançamento por hackers, Mavi contou da sua relação com a poesia e a cultura popular, lemos poem
Postagens recentes

Seleta: Legião Urbana

Legião Urbana (foto: Ricardo Junqueira) Eu sou fã da Legião Urbana . De música brasileira, são os discos que mais gosto. Foi a primeira coleção que comprei após Bob Marley & The Wailers . Ouço até hoje e me emociono como se fosse a primeira vez. E continuo amando da mesma forma [até morrer, legionário eu sou]. Renato Russo é o meu letrista favorito, a referência que me motivou a cantar, compor e formar uma banda [o seu timbre e interpretação me impressionam demais!]. Se não fosse a Legião Urbana , eu não teria aprendido a tocar violão, não seria compositor nem escritor, e não teria formado a The Orange Poem  nem escrito os meus livros . A Legião Urbana me fez querer ser artista. Na Seleta de hoje, as 85 músicas que mais gosto, gravadas pela Legião Urbana , presentes em 12 álbuns da sua discografia (os preferidos: “ A Tempestade ”, “ Uma Outra Estação ”, “ Dois ” e “ V ”). Fundamental demais para a minha história; sou grato por toda a vida, Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos ! L

oroboro baobá live com Emmanuel Mirdad, Wesley Correia, Tonho França e Wilson Gorj

Live de lançamento do romance “oroboro baobá”, de Emmanuel Mirdad, em 06/04/2021 Na noite da terça, 06 de abril de 2021 , no canal da Penalux no YouTube , realizamos a live de lançamento do meu romance “ oroboro baobá ”, publicado no final de 2020 . Com os editores da Penalux como mediadores, Wilson Gorj e Tonho França , e a presença do convidado especial Wesley Correia , professor, escritor e poeta (autor de “ laboratório de incertezas ”), foi um grande encontro para celebrar a literatura e as suas belezas. Ganhei um presentão, gente! Que prazer ouvir as análises e os comentários dos três literatos, profissionais com domínio do assunto, que têm uma profunda admiração pela arte literária. E num clima ótimo, leve, com risadas e sintonia, timing fluido, sincronia e revelações. Nossa, bom demais! Vai repercutir muito tempo por aqui. Que prêmio! Não consegue visualizar o player? Veja aqui Comentei sobre a construção demorada do livro (como sempre digo, escrever também é apagar), agradec

Cida Pedrosa e Emmanuel Mirdad na Flican II, com mediação de Maviael Melo

De 08 a 10 de abril , quinta a sábado, vai rolar a 2 ª edição da Flican , a Feira Literária de Canudos . Uma realização da Dona Edite Comunicação Integrada , com a curadoria do professor e pesquisador Luiz Paulo Neiva , via recursos do Programa Aldir Blanc Bahia , traz uma rica programação (confira aqui ), e eu tenho a alegria de participar da mesa “ Literatura, poesia e virtualidade ”, na companhia da poeta premiada Cida Pedrosa (minha presidente do Nordeste Independente!), com a maravilha da mediação do multi-artista & produtor Maviael Melo .  #sextou com poesia, literatura & Nordeste no sangue dos olhos, simbora, é às 20h  desta sexta 09/04 , venha se divertir com a gente nessa mesa virtual (assista  aqui  ou aqui ). Estou adorando reencontrar essa mulher incrível que é a Cida , autora do premiado “ Solo para vialejo ”, e poder bagunçar como foi na Conversaria Literária do amigo Mavi . E, é claro, vou falar sobre o meu romance “ oroboro baobá ” (Penalux, 2020) também, v

oroboro baobá no Literatura & Futebol

O site Literatura & Futebol , a maior página de livros de futebol do Brasil, indicou o romance “ oroboro baobá ” (Penalux, 2020), de Emmanuel Mirdad , no dia 04/04/2021 . Leia aqui Info sobre “oroboro baobá” aqui Compre “oroboro baobá”  aqui “A indicação de hoje vai para um romance que levou cerca de 8 anos para ser finalizado, com 19 versões anteriores, já teve outros 14 títulos, e que, ainda incompleto, foi um dos 10 finalistas do prêmio Cepe Nacional de Literatura 2017! Para aqueles que não conhecem o cenário esportivo baiano, é uma ótima oportunidade de conhecer o Campeonato Intermunicipal, que todos os anos movimenta dezenas de cidades pelo interior do estado, e para aqueles que já conhecem, é uma ótima pedida para se deliciar com a divertida história do goleiro Montanha, que não toma gol nem nos treinos! O autor, Emmanuel Mirdad, é meu conterrâneo, nascido em Salvador, jornalista, escritor, produtor cultural, compositor, rockeiro, blogueiro, criador e coordenador geral da Fes

oroboro baobá no Jornal Rascunho

Nota sobre o romance “ oroboro baobá ” (Penalux, 2020), de Emmanuel Mirdad , publicada no Rascunho #252 , de abril de 2021 , disponível para leitura no site do jornal. Leia aqui Info sobre “oroboro baobá” aqui Compre “oroboro baobá”  aqui [ “Ontem é hoje. Amanhã é hoje. Tudo o que nos forma é hoje.” A partir dessa premissa, o primeiro romance do autor baiano parece trazer a ideia de movimento como protagonista — por mais que inúmeros personagens também habitem esta obra — que teve 20 versões e foi finalista dos prêmios Sesc e Cepe de 2017. Apoiando-se no realismo fantástico, em uma narrativa fragmentada e de cortes rápidos, Mirdad elabora um universo ficcional em que a costa africana e as cidades interioranas da Bahia se conectam, com figuras como um goleiro que faz defesas sobrenaturais, um artilheiro que é chefe do tráfico e uma jovem negra que tem visões com entidades. Nessa miríade de narrativas, o criador e coordenador geral da Flica (Festa Literária Internacional de Cachoeira) ac

Prosa Boa [Estilo] com André Lemos e Emmanuel Mirdad na Felica II

Adorei participar desse desafio com o professor e escritor André Lemos na Felica II . O curador Breno Fernandes  propôs esse esparro de colocar nós dois num bate-papo freestyle sem mediador, ainda mais que não conhecíamos a obra do outro e nunca dialogamos sobre literatura antes. Pois foi massa! Uma live divertida, no melhor estilo ping-pong gruvado, muitas risadas e sarros, em que conversamos sobre os nossos estilos literários, sobre as obras, lemos trechos (fiquei doido pelo livro “ Objetos da Bahia ” de André e já comprei o meu), encaramos o desafio da primeira página (se valia a pena comprar “ O fantasma de Beckett ” ou “ oroboro baobá ”), refletimos sobre o lugar do autor, que deve ser livre para escrever sobre qualquer assunto, entre outras culhudas cabeludas. Valeu, demais! Realmente foi uma prosa boa! Reassisti a live de primeiro de abril e gostei mais ainda, das melhores que já participei, viva! Não consegue visualizar o player? Veja aqui Prosa Boa [Estilo] no Instagram da Ca