Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2024

Dez poemas de Wesley Correia no livro Secreta ilusão

Ikú Wesley Correia Para confundir a morte, será preciso desaterrar os espelhos, desdobrar-se em muitas faces de nada. Será preciso inventar uma língua com que convencê-la ir matar adiante. Também será preciso dançar com a morte: beber, cantar, alegrar-se em louvor de seu estandarte universal. Será preciso manipular a ferrugem da ilusão para confundir a morte, num fingir-se morto até que, sem interesse pela jazida carne viva, ela vá matar adiante. À morte, será preciso temê-la, mas de um modo que não a assuste, percebê-la, mas de um modo que não a provoque, fugir do ângulo de seu olho sem luz, o que já é morrer um pouco. E para lhe saciar o apetite voraz, será preciso contar com a tenacidade dos que desejam morrer, dos que urgem morrer. Para confundir a morte, será preciso vibrar na frequência do baixíssimo dó com que ela se anuncia. Será preciso, ainda, para confundir a morte, acessá-la por dentro de seu organismo pulsante, encarnar uma temporalidade ausente, atingir a transparência da

Fifi #12 [Adeus]

Siga:  @frases_fifi Seleção e cards: @emmanuelmirdad

Seleta: Israel Kamakawiwo'ole

A “ Seleta: Israel Kamakawiwo’ole ” destaca as 38 músicas que mais gosto do cantor e compositor havaiano Israel Kamakawiwo’ole , falecido em 1997, presentes em sete álbuns da sua discografia (os prediletos são “ Facing Future ” e “ E Ala Ē ”). Ouça no Spotify aqui Ouça no YouTube aqui Os 07 álbuns participantes desta Seleta 01) Over the Rainbow [Alone in IZ World, 2001] 02) Kamalani [E Ala Ē, 1995] 03) Kaulana Kawaihae [Facing Future, 1993] 04) Kaleohano [E Ala Ē, 1995] 05) White Sandy Beach of Hawaiʻi [Facing Future, 1993] 06) What a Wonderful World [Wonderful World, 2007] 07) Henehene Kou 'Aka [Facing Future, 1993] 08) Na Ka Pueo (Keyhole Hula) [N Dis Life, 1996] 09) Pili Me Ka'u Manu [Facing Future, 1993] 10) Lā 'Elima [Facing Future, 1993] 11) E Ku'u Morning Dew [IZ In Concert: The Man and His Music, 1998] 12) Hawai'i Aloha [IZ In Concert: The Man and His Music, 1998] 13) Ka Pua U'i [Facing Future, 1993] 14) Kūhiō Bay [Facing Future, 1993] 15

Seleta: Livros de Joan Didion

A Seleta de hoje destaca as 65 músicas presentes em 06 livros de ensaios e memórias  [“ O álbum branco ”, “ Rastejando até Belém ”, “ Noites azuis ”, “ Sul & Oeste ”, “ O ano do pensamento mágico ” e “ Vou te dizer o que penso ”] da escritora norte-americana Joan Didion (1934-2021), reunindo grandes artistas como Leonard Cohen , Israel Kamakawiwo'ole , Simon & Garfunkel , Bob Dylan , Marvin Gaye e Frank Sinatra , e bandas como The Doors , Eagles , The Jimi Hendrix Experience , Chicago , The Mamas & The Papas e The Byrds . Ouça no Spotify aqui [faltam 2 músicas] Ouça no YouTube aqui Os álbuns participantes desta Seleta 01) “Moon River” com Audrey Hepburn [“Rastejando até Belém”] 02) “Suzanne” com Leonard Cohen [“O álbum branco”] 03) “Over The Rainbow” com Israel Kamakawiwo'ole [“O ano do pensamento mágico”] 04) “Ev'ry Time We Say Goodbye” com Mabel Mercer [“O ano do pensamento mágico”] 05) “Hotel California” com Eagles [“Noites azuis”] 06) “Hey J

Dez poemas de Jovina Souza no livro Estampas do abismo

LXI Jovina Souza Nunca amei os homens com verdade, vinham no fim das festas, rejeitados, por necessidades. Apenas pegavam nos meus joelhos, afastavam e miravam minha buceta. Sequer um riso. Não falavam em beijos. Nunca amei os homens por inteiro. Eles chegavam como pedacinhos de quase nada. -------- XXIII Jovina Souza Agradecer ao tempo decorrido não me conforta. É insensato abraçar a morte, tornam-se áridos os fios da vida. Não abraço a pretensa vitória de estar viva. Não ignoro que morro a cada pedacinho do tempo vivido. Não há vitória sobre o tempo. Mesmo quando ele se vai lento, nos oferta em pequenas fatias a hora do passamento. -------- XLVII Jovina Souza Vejo o filme das mães sujas de sangue. Sangue vivo escorrendo dos seus braços igual ondas de um mar histórico de sofrer. Pregos cravados nas suas peles azeviches são tatuagens das suas vidas infelizes. Mães violadas nas bocas de seres brancos que levantam punhais e não se apiedam dos vencidos e limpam suas lâminas no cabelo dos

Joan Didion pelo olhar de Hilton Als

Joan Didion (foto: Brigitte Lacombe) Hilton Als (foto: Ali Smith) “Todos viemos de algum lugar. E o trabalho do artista é questionar os valores que fizeram parte da construção desse lugar. O que você também vai perceber na não ficção de Didion é como sua célebre clareza se torna ainda mais afiada quando a inquietação provoca fricções no banal, ou quando ela está na presença de corpos indefensáveis” “Uma das formas pelas quais as crianças se apegam à beirada do mundo é pensando que estão no centro dele. Na Califórnia ou em qualquer lugar. Ao crescer, você inevitavelmente começa a ver que a distância entre a terra firme que você pisa e a escarpa da beirada do mundo é na verdade bastante curta, e que você e outras pessoas, sem falar nos seus pais, são doidos e solitários, porque todos somos.” “(...) Repetidas vezes ao longo da carreira, Didion lutou com a ideia, e com a realidade, do que compõe o status quo , do que constitui a tradição e como o ‘bad boy’ forasteiro ou o evento imprevisto

Seleta: Gal Costa

(foto: Bob Wolfenson) A “ Seleta: Gal Costa ” destaca as 215 músicas que mais gosto interpretadas pela voz cristalina da diva baiana Gal Costa (1945-2022), patrimônio da humanidade, presentes em 48 álbuns e um EP da sua discografia (os prediletos são “ -Fa-Tal- Gal a Todo Vapor ”, “ Mina D'Água do Meu Canto ”, “ Gal Costa Canta Tom Jobim ”, “ Acústico MTV ” e “ Divino Maravilhoso – Gal Costa Interpreta Caetano Veloso ” – gosto muito também de “ Fantasia ”, “ Divina, Maravilhosa ”, “ Gal Costa (1969) ”, “ Gal Tropical ” e “ Gal (1992) ”). Ouça no Spotify aqui [não tem 10 músicas] Ouça no YouTube aqui Os 48 álbuns e um EP participantes desta Seleta 01) Três da Madrugada [Divina, Maravilhosa, 2010] 02) Antonico (ao vivo) [-Fa-Tal- Gal a Todo Vapor, 1971] 03) Sua Estupidez (ao vivo) [-Fa-Tal- Gal a Todo Vapor, 1971] 04) Força Estranha [Gal Tropical, 1979] 05) Vapor Barato / Flor da Pele (ao vivo com Zeca Baleiro) [Acústico MTV, 1997] 06) Mãe [Água Viva, 1978] 07) Esotérico (

Dez passagens do livro de ensaios Vou te dizer o que penso, de Joan Didion

Joan Didion (foto: Henry Clark) “(...) San Simeon era um lugar que, uma vez visto da rodovia, não saía da cabeça, era um dado material que existia para provar determinados princípios abstratos. San Simeon parecia confirmar o potencial ilimitado do lugar onde vivíamos. Os portões estavam sempre fechados naquela estrada que subia a colina e, no entanto, havia uma espécie de acessibilidade pioneira em torno dos Hearst; o dinheiro dos Hearst era o dinheiro do Oeste, dinheiro originalmente vindo de uma mina de prata em Nevada, dinheiro ganho e gasto num espírito de sorte, imaginação, irresponsabilidade e extravagância geral que era singular do Oeste. Se um Hearst podia construir um castelo para si, qualquer homem podia se tornar um rei. (...) Além disso, San Simeon era exatamente o castelo que uma criança construiria se tivesse 220 milhões de dólares e pudesse gastar quarenta milhões em um castelo: um castelo de areia, uma implausibilidade, um lugar nadando em luz quente e dourada e em brum

200 frases instagramáveis [selecionadas por Emmanuel Mirdad]

Eu sou um caça-frase, um colecionador de passagens que impulsionam o ser humano para além do óbvio, os trechos que valem o investimento de tempo & dinheiro num livro. São pílulas que injetam aditivo à vida: contra o amortecimento do entretenimento e o pré-fabricado dos sistemas de opressão, há a boa literatura. Confesso: a minha leitura é um ato de peneirar; leio para encontrar os tesouros nas páginas, copiar & compartilhá-los na minha coleção no blog, que celebro como se fosse um tesouro, o acervo que encandeia o ser humano. O hábito de caçar trechos me faz valorizar a frase. Há sempre uma que me arrebenta; e o resto é só cenário, escada ou preparação para que o seu efeito consiga impactar com potência. O enredo pode ser interessante, a linguagem, atraente, os diálogos, engraçados, mas de nada valem ao livro se não houver aquela frase bem-feita, um murro, uma facada, um empurrão no precipício, o ar que o mergulhador compartilha quando o do seu cilindro acaba. Resumo: a frase é