Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de fevereiro, 2020

Dez passagens de Rita Lee no livro “Rita Lee: uma autobiografia”

Rita Lee - foto daqui “(...) os Mutas elegeram Bruce Lee o herói da vez e nos matriculamos na academia Ito de caratê, na Domingos de Morais. Tudo ia bem até que uma prima dozmano, recém-chegada não lembro de onde, também se matriculou na mesma academia. Eu sei que La Bellissima (vou chamá-la assim para não ser processada por assassinato de reputação), além de comer os primos e todos os alunos, também seduziu nosso professor de caratê que, desesperado de paixão, abandonou mulher e filhos (...) logo depois do escândalo a academia fechou. O mais hilário dessa história foi descobrir que hoje La Bellissima é monja pura, radical, dessas que mudam o nome, raspam a cabeça, usam batina marrom e pregam castidade. Adoro ex-vedetes convertidas.” “Um dia a máquina de costura Singer de Chesa engasgou e veio um técnico da firma. Me contaram que eu brincava no chão da copa enquanto minha mãe mostrava pro cara onde a coisa estava enguiçada. O telefone tocou, ela saiu para atender. Quando volto

Música para Escrever #44 — All Shall Be Well (AASBWAAMOTSBW), Besides, The Sound of Rescue, Stafrænn Hakon, powder! go away, the abyss inside us, Hiboux, zugabe, Homo_Novus. e 流浪星球

Preto-verde, amarelo-preto, azul-amarelo, vermelho-azul: tudo é. Os espectadores reconhecem: “nós estivemos tão errados”. A abertura das formas numa válvula-saco revela o crânio de Kobbi, que quer adquirir um jipe mais perto do frio. “Não sabemos quando começou, mas sabemos que nunca terminará”. E Laika ainda quer ir para casa, a felicidade perdida da estrada que leva a outra, “comandar a Terra para me engolir” em voos noturnos. “Semeie o vento” são fragmentos de um dicionário de sinônimos, o oceano perdido. Confira o post #44 da série Música para Escrever , com os melhores sons de post-rock, a alumiar a mente e transcender em palavras. All Shall Be Well (AASBWAAMOTSBW) Haarlem | Holanda Bandcamp aqui Facebook aqui Foto daqui Melhor disco para escrever " ZWARTGROEN " (2020) Ouça aqui Para continuar escrevendo " GEELZWART " (EP) (2016) Ouça aqui " BLAUWGEEL " (2014) Ouça aqui " ROODBLAUW &qu

Revisando os anos 10: Livros

Os 372 livros lidos nos anos 10 Nos anos 10 , li 372 livros . Foram 98 livros de contos (26,34%), 80 romances/novelas (21,50%), 71 de poesia (19,09%), 27 de crônicas (7,26%), 22 HQs (5,91%), 18 biografias (4,84%), 14 de ensaios (3,76%) e 42 de outros gêneros (história, teatro, memórias, etc.). A maioria foi de literatura brasileira ( 78,23% – 291 livros), mas a estrangeira também foi prestigiada ( 21,77% – 81 livros). O livro predileto dos anos 10 foi “ Estação infinita e outras estações ” (Bertrand Brasil, 2012), de Ruy Espinheira Filho , compreendendo a notável obra poética do grande mestre baiano, de 1966 a 2012. Completando o top five dos anos 10: o romance de guerra e política “ Mayombe ” (Leya, 2013), de Pepetela , o maior escritor angolano; “ O beijo e outras histórias ” (Editora 34, 2014), a melhor antologia de contos em português do genial Anton Tchekhov (traduzida por Boris Schnaiderman); o cinematográfico livro de crônicas “ Memórias – A menina sem estrela