Pular para o conteúdo principal

Música para Escrever #33 — kokomo, Town Portal, Jardín de la Croix, codeia, Into Orbit, Pelican, ///snippet.upper.laser, Runa Gaman, Cracked Machine e CAVALLO


O amor de ruído monocromático acontecerá, caso os lobos autointitulados de violência, o cronopólio de horror a vácuo do Ocidente, em ritmo circadiano, permitirem. A 187 passos para atravessar o universo, quando ele voltou para o olho da tempestade: “não tenha medo”, ela sussurrou e desapareceu. O movimento das cavernas desenterrando o que todos nós precisamos: serenidade/agitação. As histórias noturnas de obsessões patéticas sem tom possuem o segredo da escrita que suporta o aparentemente insuportável, com paciência e dignidade. Um grupo de descendentes com um ancestral comum, à chamada do vazio: eu, o cosmonauta, meus interstícios. Confira o post #33 da série Música para Escrever, com os melhores sons de post-rock, a alumiar a mente e transcender em palavras.


Duisburg | Alemanha
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"Monochrome Noise Love"
(2016)
Ouça aqui

Para continuar escrevendo

"If Wolves"
(2011)
Ouça aqui

"kokomo"
(2013)
Ouça aqui

---------

Copenhague | Dinamarca
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"Of Violence"
(2019)
Ouça aqui

Para continuar escrevendo

"Chronopoly"
(2012)
Ouça aqui

"Vacuum Horror"
(2011)
Ouça aqui

"The Occident"
(2015)
Ouça aqui

---------

Madrid | Espanha
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"Circadia"
(2016)
Ouça aqui

Para continuar escrevendo

"187 Steps to cross the Universe"
(2013)
Ouça aqui

---------

Karlsruhe & Stuttgart | Alemanha
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"as he turned back towards the eye of the storm"
(2019)
Ouça aqui

Para continuar escrevendo

""don't be afraid", she whispered and disappeared"
(2017)
Ouça aqui

---------

Wellington | Nova Zelândia
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"Kinesis"
(2019)
Ouça aqui

Para continuar escrevendo

"Caverns"
(2014)
Ouça aqui

"Unearthing"
(2017)
Ouça aqui

---------

Chicago | Estados Unidos
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"What We All Come To Need"
(2009)
Ouça aqui

Para continuar escrevendo

"Ataraxia/Taraxis" (EP)
(2012)
Ouça aqui

"Nighttime Stories"
(2019)
Ouça aqui

---------

Colonha | Alemanha
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"///pathetic.toneless.obsessions" (EP)
(2019)
Ouça aqui

---------

Buenos Aires | Argentina
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"Runa Gaman"
(2019)
Ouça aqui

Para continuar escrevendo

"Cepa" (EP)
(2017)
Ouça aqui

---------

Wiltshire | Inglaterra
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"The Call of the Void"
(2019)
Ouça aqui

Para continuar escrevendo

"I, Cosmonaut"
(2017)
Ouça aqui

---------

Nova York | Estados Unidos
Bandcamp aqui
Facebook aqui
Foto daqui

Melhor disco para escrever

"INTERSTICES"
(2019)
Ouça aqui

---------

Confira o Música para Escrever #32, com Wang Wen, ISON, Whale Fall, Lazybones Flame Kids, Maven, Fat Old Donald, El lenguaje como obstáculo, SOLS, Zammorian e Beware the blue sky, nesse post aqui


Confira o Música para Escrever #31, com i am no hero, Rhone, Am Fost La Munte Și Mi-a Plăcut, Herskin, Change of Plans, The Dry Mouths, James Anthony, We Shine Every Night, TIDINGS e Only Echoes Remain, nesse post aqui


Confira o Música para Escrever #30, com Fading Tapes, Biosphere, tezce, Himmelsrandt, Lief Sjostrom, VLMV, heklAa, Sleep Dealer, Kurkijávri e Levi Patel, nesse post aqui

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Orange Poem — Letras traduzidas para o português

Orange Poem (imagem: Glauber Guimarães)
Segue abaixo a tradução para português das letras das músicas do álbum virtual duplo “Hybrid” (2014), da banda baiana The Orange Poem. Os poemas são quase todos de autoria de Emmanuel Mirdad, exceto um, que é a reunião de catorze fragmentos de poemas de Ildegardo Rosa, morto em 2011, pai de Mirdad, que foi gravado em português mesmo e não precisou de tradução. Mirdad agradece à cantora e professora de inglês Ana Gilli, que corrigiu as imperfeições existentes.




Cortes
Tradução para Cuts
(Emmanuel Mirdad)

Nós precisamos tanto de carinho, tão importante como oxigênio, tão raro como um abraço sincero, tão caro nestes dias de egoísmo.

Nós afastamos as pessoas ignorando a amizade, atraímos somente por negócio, criamos condições absurdas para o desejo, enquanto tentamos felicidade com coisas de plástico.

O lar se tornou refúgio, cela, e a privacidade é exposta como prêmio. Dia após dia nos restringimos a criar ídolos, o destino que foi lentamente confundi…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                          d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?

--------

Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho

--------

Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também

--------

Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se

--------

A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.

--------

"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como quem fica

Um …