Pular para o conteúdo principal

Produções de Emmanuel Mirdad: Ano 2006


De acordo com o planejamento de carreira da The Orange Poem, 2006 era o ano do êxodo para a Europa, mais precisamente para Londres, a batalhar pelo som psicodélico laranja. O giramundo gargalhou da projeção audaciosa e eu passei, praticamente, o ano todo no Rio Vermelho, no estúdio Casa das Máquinas do amigo Tadeu Mascarenhas, gravando o 2º CD da The Orange Poem e o CD poema Ilusionador, com a obra do meu pai Ildegardo Rosa. Um ano dedicado à produção musical (e executiva) de álbum — deixei de ser produtor do World Bar e agente de shows de bandas alternativas, o trabalho que fiz nos últimos dois anos.



Gravação do CD Sleep in Snow Shape
The Orange Poem

Mal havia gravado e lançado o primeiro CD da minha banda, e já financiei outra gravação. 2006 era o ano que planejara ir morar na Europa, tentar carreira com a The Orange Poem por lá, mas estava descontente com o álbum Shining Life, Confuse World; achava-o fraco, e queria seguir para fora do Brasil com um disco mais apresentável.

Pois a gravação do segundo CD, Sleep in Snow Shape, se arrastou por todo o ano, terminando só em outubro, mais uma vez no estúdio Casa das Máquinas, de Tadeu Mascarenhas. Eu trabalhei como produtor musical e executivo, bancando o processo sozinho, com minhas economias e auxílios familiares.

Avaliei que o novo álbum era mais importante que o anterior, extraindo o melhor da banda e da minha produção, focando na sonoridade psicodélica. Porém, não foi prensado. Reviravolta: eu desisti de morar na Europa para viver um grande amor em Salvador. Em março do ano seguinte, The Orange Poem acabou e Sleep in Snow Shape foi engavetado.

Patrocinador – Meu bolso

Funções – Produtor musical | Produtor executivo

-----


Gravação do CD poema Ilusionador

Eu me formei jornalista na Facom/Ufba com um projeto de comunicação: “Proposta de ambientação sonora para poemas em formato CD”. Todo o foco do segundo semestre de 2006 foi para a realização do TCC. Criei a proposta e parti para a execução mais uma vez no estúdio Casa das Máquinas, de Tadeu Mascarenhas — as principais gravações, porque eu também gravei na Facom e em casa.

O objeto do CD poema Ilusionador foi um recorte de poemas da obra engavetada do meu saudoso pai, Ildegardo Rosa (1931-2011) — foto maior acima. Nas outras fotos (retiradas da internet), alguns dos amigos participantes da gravação, como Tadeu Mascarenhas, Glauber Guimarães, Renato Cordeiro, Raiça Bomfim, Marceleza de Castilho e Thiago Kalu, bem como extrações de áudio de bandas como Radiohead, Mahavishnu Orchestra, Dave Brubeck Quartet e Led Zeppelin, e de filmes como Matrix e Mar Aberto.

Patrocinador – Meu bolso

Funções – Criação e concepção da proposta | Pesquisa e seleção dos poemas | Direção artística | Produtor musical | Produtor executivo | Criação dos samplers e ruídos | Assistente de gravação | Elaboração do TCC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oito passagens de Conceição Evaristo no livro de contos Olhos d'água

Conceição Evaristo (Foto: Mariana Evaristo) "Tentando se equilibrar sobre a dor e o susto, Salinda contemplou-se no espelho. Sabia que ali encontraria a sua igual, bastava o gesto contemplativo de si mesma. E no lugar da sua face, viu a da outra. Do outro lado, como se verdade fosse, o nítido rosto da amiga surgiu para afirmar a força de um amor entre duas iguais. Mulheres, ambas se pareciam. Altas, negras e com dezenas de dreads a lhes enfeitar a cabeça. Ambas aves fêmeas, ousadas mergulhadoras na própria profundeza. E a cada vez que uma mergulhava na outra, o suave encontro de suas fendas-mulheres engravidava as duas de prazer. E o que parecia pouco, muito se tornava. O que finito era, se eternizava. E um leve e fugaz beijo na face, sombra rasurada de uma asa amarela de borboleta, se tornava uma certeza, uma presença incrustada nos poros da pele e da memória." "Tantos foram os amores na vida de Luamanda, que sempre um chamava mais um. Aconteceu também a paixão

Dez passagens de Clarice Lispector nas cartas dos anos 1950 (parte 1)

Clarice Lispector (foto daqui ) “O outono aqui está muito bonito e o frio já está chegando. Parei uns tempos de trabalhar no livro [‘A maçã no escuro’] mas um dia desses recomeçarei. Tenho a impressão penosa de que me repito em cada livro com a obstinação de quem bate na mesma porta que não quer se abrir. Aliás minha impressão é mais geral ainda: tenho a impressão de que falo muito e que digo sempre as mesmas coisas, com o que eu devo chatear muito os ouvintes que por gentileza e carinho aguentam...” “Alô Fernando [Sabino], estou escrevendo pra você mas também não tenho nada o que dizer. Acho que é assim que pouco a pouco os velhos honestos terminam por não dizer nada. Mas o engraçado é que não tendo absolutamente nada o que dizer, dá uma vontade enorme de dizer. O quê? (...) E assim é que, por não ter absolutamente nada o que dizer, até livro já escrevi, e você também. Até que a dignidade do silêncio venha, o que é frase muito bonitinha e me emociona civicamente.”  “(...) O dinheiro s

Seleta: Gipsy Kings

A “ Seleta: Gipsy Kings ” destaca as 90 músicas que mais gosto do grupo cigano, presentes em 14 álbuns (os prediletos são “ Gipsy Kings ”, “ Este Mundo ”, “ Somos Gitanos ” e “ Love & Liberté ”). Ouça no Spotify aqui Ouça no YouTube aqui Os 14 álbuns participantes desta Seleta 01) Un Amor [Gipsy Kings, 1987] 02) Tu Quieres Volver [Gipsy Kings, 1987] 03) Habla Me [Este Mundo, 1991] 04) Como un Silencio [Somos Gitanos, 2001] 05) A Mi Manera (Comme D'Habitude) [Gipsy Kings, 1987] 06) Amor d'Un Dia [Luna de Fuego, 1983] 07) Bem, Bem, Maria [Gipsy Kings, 1987] 08) Baila Me [Este Mundo, 1991] 09) La Dona [Live, 1992] 10) La Quiero [Love & Liberté, 1993] 11) Sin Ella [Este Mundo, 1991] 12) Ciento [Luna de Fuego, 1983] 13) Faena [Gipsy Kings, 1987] 14) Soledad [Roots, 2004] 15) Mi Corazon [Estrellas, 1995] 16) Inspiration [Gipsy Kings, 1987] 17) A Tu Vera [Estrellas, 1995] 18) Djobi Djoba [Gipsy Kings, 1987] 19) Bamboleo [Gipsy Kings, 1987] 20) Volare (Nel