Pular para o conteúdo principal

Seleta: Culture


Liderado pelo saudoso Joseph Hill, morto em 2006, o trio jamaicano Culture é um dos principais representantes mundiais do reggae, originário do final dos anos 1970, responsável por clássicos como Two Sevens Clash, entre outros. Na Seleta de hoje, as 56 melhores faixas da obra do Culture, do período de 1977 a 2003, na opinião do fã Emmanuel Mirdad, presentes em 15 álbuns.

Ouça no YouTube aqui

Ouça no Spotify aqui [não tem todas as músicas]

01) Payday [Payday, 1999]

02) I Tried [One Stone, 1996]

03) Two Sevens Clash [Two Sevens Clash, 1977]

04) A Slice of Mount Zion [One Stone, 1996]

05) Tell Me Where You Get It [Africa Stand Alone, 1978]

06) Satan Company [One Stone, 1996]

07) Pass On [Wings of a Dove, 1992]

08) Babylon Can't Study [Three Sides to My Story, 1991]

09) Poverty [Humble African, 2000]

10) War in Sierra Leone [Payday, 1999]

11) One Stone [One Stone, 1996]

12) Do Something for Yourself [Payday, 1999]

13) Wings of a Dove [Wings of a Dove, 1992]

14) World Peace [World Peace, 2003]

15) Where the Tree Falls [Payday, 1999]

16) Humble African [Humble African, 2000]

17) Election [Payday, 1999]

18) I Tried [The International Herb, 1979]

19) The Rastaman [Lion Rock, 1982]

20) Tell Me Where You Get It [Harder Than the Rest, 1978]

21) Addis Ababa [One Stone, 1996]

22) Hav E Hav E [Payday, 1999]

23) See Them a Come [Two Sevens Clash, 1977]

24) Time is Getting Harder [World Peace, 2003]

25) Jah Rastafari [The International Herb, 1979]

26) This Train [Africa Stand Alone, 1978]

27) Poor Jah People [Cumbolo, 1979]

28) Outcast [Trust Me, 1997]

Joseph Hill (1949-2006)
Foto daqui

29) Legalization [Payday, 1999]

30) Behold the Land [Africa Stand Alone, 1978]

31) Psalm of Bob Marley [Good Things, 1989]

32) The International Herb [The International Herb, 1979]

33) Get Ready to Ride the Lion to Zion [Two Sevens Clash, 1977]

34) Rastaman a Come [One Stone, 1996]

35) Innocent Blood [Africa Stand Alone, 1978]

36) Behold [Harder Than the Rest, 1978]

37) I'm Alone in the Wilderness [Two Sevens Clash, 1977]

38) The Shepherd [The International Herb, 1979]

39) So Long Babylon a Fool I (And I) [Baldhead Bridge, 1978]

40) Jah Pretty Face [Trust Me, 1997]

41) Walk in Jah Light [World Peace, 2003]

42) Hand 'A' Bowl [Good Things, 1989]

43) Chicken Titty [Payday, 1999]

44) Rolling Stone [Humble African, 2000]

45) Them a Payaka [Baldhead Bridge, 1978]

46) Natty Dread Naw Run [Cumbolo, 1979]

47) Ethiopians Waan Guh Home [The International Herb, 1979]

48) Good Things [Good Things, 1989]

49) Marriage in Canaan [Wings of a Dove, 1992]

50) Babylon a Weep [Trust Me, 1997]

51) Why am I a Rastaman? [Humble African, 2000]

52) Love Shine Bright [Harder Than the Rest, 1978]

53) Jah Love [Baldhead Bridge, 1978]

54) Babylon Falling [World Peace, 2003]

55) Iron Sharpen Iron [Africa Stand Alone, 1978]

56) Jah Pretty Face (Niahbingi mix) [Trust Me, 1997]

Os 15 álbuns do Culture presentes nesta Seleta

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Flávio José

Flávio José (foto: divulgação ) O artista de forró que mais gosto é o cantor, sanfoneiro e compositor Flávio José . Para mim, ele é a Voz do Nordeste . Um timbre único, raro, fantástico. Ouvir o canto desse Assum Preto-Rei é sentir o cheiro da caatinga, arrastar os pés no chão de barro ao pé da serra, embalar o coração juntinho com a parceira que amo, deslizar os passos como se no paraíso estivesse, saborear a mistura de amendoim com bolo de milho, purificar o sorriso como Dominguinhos ensinou, banhar-se com as rezas das senhoras sábias, prestar atenção aos causos, lendas e histórias do povo que construiu e orgulha o Brasil . Celebrar a pátria nordestina é escutar o mestre Flávio José ! Natural da sertaneja Monteiro , na Paraíba , em 2021 vai completar 70 anos (no primeiro dia de setembro), com mais de 30 discos lançados e vários sucessos emplacados na memória afetiva do povo brasileiro (fez a alegria e o estouro da carreira de muitos compositores, que tiveram a sorte de serem grav