Pular para o conteúdo principal

Seleta: Legião Urbana

Legião Urbana (foto: Ricardo Junqueira)

Eu sou fã da Legião Urbana. De música brasileira, são os discos que mais gosto. Foi a primeira coleção que comprei após Bob Marley & The Wailers. Ouço até hoje e me emociono como se fosse a primeira vez. E continuo amando da mesma forma [até morrer, legionário eu sou]. Renato Russo é o meu letrista favorito, a referência que me motivou a cantar, compor e formar uma banda [o seu timbre e interpretação me impressionam demais!]. Se não fosse a Legião Urbana, eu não teria aprendido a tocar violão, não seria compositor nem escritor, e não teria formado a The Orange Poem nem escrito os meus livros. A Legião Urbana me fez querer ser artista.

Na Seleta de hoje, as 85 músicas que mais gosto, gravadas pela Legião Urbana, presentes em 12 álbuns da sua discografia (os preferidos: “A Tempestade”, “Uma Outra Estação”, “Dois” e “V”). Fundamental demais para a minha história; sou grato por toda a vida, Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos! Luz para os Renatos, Rocha & Russo!


Ouça no Spotify aqui

Ouça no YouTube aqui

01) La Maison Dieu [Uma Outra Estação, 1997]

02) Vento no Litoral [V, 1991]

03) Esperando por Mim [A Tempestade, 1996]

04) Tempo Perdido [Dois, 1986]

05) Índios [Dois, 1986]

06) Andrea Doria [Dois, 1986]

07) Giz [O Descobrimento do Brasil, 1993]

08) L’Avventura [A Tempestade, 1996]

09) Eu Sei [Que País é Este?, 1987]

10) Vinte e Nove [O Descobrimento do Brasil, 1993]

Foto: Ricardo Junqueira

11) A Via Láctea [A Tempestade, 1996]

12) Angra dos Reis [Que País é Este?, 1987]

13) Por Enquanto [Legião Urbana, 1985]

14) O Livro dos Dias [A Tempestade, 1996]

15) Música de Trabalho [A Tempestade, 1996]

16) Perfeição [O Descobrimento do Brasil, 1993]

17) Soldados [Legião Urbana, 1985]

18) Baader-Meinhof Blues [Música para Acampamentos, 1992]

19) Dezesseis [A Tempestade, 1996]

20) Clarisse [Uma Outra Estação, 1997]

Foto: Ricardo Junqueira

21) Quando Você Voltar [A Tempestade, 1996]

22) O Teatro dos Vampiros [V, 1991]

23) Quase sem Querer [Dois, 1986]

24) Leila [A Tempestade, 1996]

25) As Flores do Mal [Uma Outra Estação, 1997]

26) Aloha [A Tempestade, 1996]

27) A Canção do Senhor da Guerra [Música para Acampamentos, 1992]

28) A Tempestade [Uma Outra Estação, 1997]

29) Metal Contra as Nuvens [V, 1991]

30) Ainda é Cedo [Legião Urbana, 1985]

Foto: Ricardo Junqueira

31) Fábrica [Dois, 1986]

32) Há Tempos [As Quatro Estações, 1989]

33) Daniel na Cova dos Leões [Dois, 1986]

34) Sete Cidades [As Quatro Estações, 1989]

35) O Descobrimento do Brasil [O Descobrimento do Brasil, 1993]

36) Antes das Seis [Uma Outra Estação, 1997]

37) Se Fiquei Esperando Meu Amor Passar [As Quatro Estações, 1989]

38) Música Ambiente [A Tempestade, 1996]

39) Uma Outra Estação [Uma Outra Estação, 1997]

40) Acrilic on Canvas [Dois, 1986]

Foto: Ricardo Junqueira

41) A Montanha Mágica [Música para Acampamentos, 1992]

42) Sereníssima [Acústico MTV, 1999]

43) Mais do Mesmo [Acústico MTV, 1999]

44) Natália [A Tempestade, 1996]

45) Riding Song [Uma Outra Estação, 1997]

46) A Fonte [O Descobrimento do Brasil, 1993]

47) O Reggae [Legião Urbana, 1985]

48) Depois do Começo [Que País é Este?, 1987]

49) O Mundo Anda Tão Complicado [V, 1991]

50) Vamos Fazer um Filme [O Descobrimento do Brasil, 1993]

Foto: Ricardo Junqueira

51) Mariane [Uma Outra Estação, 1997]

52) Mil Pedaços [A Tempestade, 1996]

53) Quando o Sol Bater na Janela do teu Quarto [As Quatro Estações, 1989]

54) Meninos e Meninas [As Quatro Estações, 1989]

55) Teorema [Legião Urbana, 1985]

56) Plantas Embaixo do Aquário [Dois, 1986]

57) Música Urbana 2 [Música para Acampamentos, 1992]

58) Marcianos Invadem a Terra [Uma Outra Estação, 1997]

59) Pais e Filhos [As Quatro Estações, 1989]

60) Love in the Afternoon [O Descobrimento do Brasil, 1993]

Foto: Ricardo Junqueira

61) Longe do Meu Lado [A Tempestade, 1996]

62) Monte Castelo [As Quatro Estações, 1989]

63) Um Dia Perfeito [O Descobrimento do Brasil, 1993]

64) Eu era um Lobisomem Juvenil [As Quatro Estações, 1989]

65) Só por Hoje [O Descobrimento do Brasil, 1993]

66) 1º de Julho [A Tempestade, 1996]

67) Faroeste Caboclo [Que País é Este?, 1987]

68) Que País é Este? [Que País é Este?, 1987]

69) Metrópole [Dois, 1986]

70) Petróleo do Futuro [Legião Urbana, 1985]

Foto: Divulgação

71) Conexão Amazônica [Que País é Este?, 1987]

72) Perdidos no Espaço [Legião Urbana, 1985]

73) Os Anjos [O Descobrimento do Brasil, 1993]

74) Comédia Romântica [Uma Outra Estação, 1997]

75) Os Barcos [O Descobrimento do Brasil, 1993]

76) Dado Viciado [Uma Outra Estação, 1997]

77) Travessia do Eixão [Uma Outra Estação, 1997]

78) 1965 (Duas Tribos) [As Quatro Estações Ao Vivo, 2004]

79) Maurício [As Quatro Estações Ao Vivo, 2004]

80) Feedback Song for a Dying Friend [As Quatro Estações Ao Vivo, 2004]

Os 12 álbuns presentes nesta Seleta

81) La Nuova Gioventú [Como é que se diz eu te amo, 2001]

82) Eduardo e Mônica [Como é que se diz eu te amo, 2001]

83) Geração Coca-Cola [Como é que se diz eu te amo, 2001]

84) Será [As Quatro Estações Ao Vivo, 2004]

85) Sagrado Coração [Uma Outra Estação, 1997]

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dez passagens de Clarice Lispector nas cartas dos anos 1950 (parte 1)

Clarice Lispector (foto daqui ) “O outono aqui está muito bonito e o frio já está chegando. Parei uns tempos de trabalhar no livro [‘A maçã no escuro’] mas um dia desses recomeçarei. Tenho a impressão penosa de que me repito em cada livro com a obstinação de quem bate na mesma porta que não quer se abrir. Aliás minha impressão é mais geral ainda: tenho a impressão de que falo muito e que digo sempre as mesmas coisas, com o que eu devo chatear muito os ouvintes que por gentileza e carinho aguentam...” “Alô Fernando [Sabino], estou escrevendo pra você mas também não tenho nada o que dizer. Acho que é assim que pouco a pouco os velhos honestos terminam por não dizer nada. Mas o engraçado é que não tendo absolutamente nada o que dizer, dá uma vontade enorme de dizer. O quê? (...) E assim é que, por não ter absolutamente nada o que dizer, até livro já escrevi, e você também. Até que a dignidade do silêncio venha, o que é frase muito bonitinha e me emociona civicamente.”  “(...) O dinheiro s

Oito passagens de Conceição Evaristo no livro de contos Olhos d'água

Conceição Evaristo (Foto: Mariana Evaristo) "Tentando se equilibrar sobre a dor e o susto, Salinda contemplou-se no espelho. Sabia que ali encontraria a sua igual, bastava o gesto contemplativo de si mesma. E no lugar da sua face, viu a da outra. Do outro lado, como se verdade fosse, o nítido rosto da amiga surgiu para afirmar a força de um amor entre duas iguais. Mulheres, ambas se pareciam. Altas, negras e com dezenas de dreads a lhes enfeitar a cabeça. Ambas aves fêmeas, ousadas mergulhadoras na própria profundeza. E a cada vez que uma mergulhava na outra, o suave encontro de suas fendas-mulheres engravidava as duas de prazer. E o que parecia pouco, muito se tornava. O que finito era, se eternizava. E um leve e fugaz beijo na face, sombra rasurada de uma asa amarela de borboleta, se tornava uma certeza, uma presença incrustada nos poros da pele e da memória." "Tantos foram os amores na vida de Luamanda, que sempre um chamava mais um. Aconteceu também a paixão

Dez passagens de Jorge Amado no romance Mar morto

Jorge Amado “(...) Os homens da beira do cais só têm uma estrada na sua vida: a estrada do mar. Por ela entram, que seu destino é esse. O mar é dono de todos eles. Do mar vem toda a alegria e toda a tristeza porque o mar é mistério que nem os marinheiros mais velhos entendem, que nem entendem aqueles antigos mestres de saveiro que não viajam mais, e, apenas, remendam velas e contam histórias. Quem já decifrou o mistério do mar? Do mar vem a música, vem o amor e vem a morte. E não é sobre o mar que a lua é mais bela? O mar é instável. Como ele é a vida dos homens dos saveiros. Qual deles já teve um fim de vida igual ao dos homens da terra que acarinham netos e reúnem as famílias nos almoços e jantares? Nenhum deles anda com esse passo firme dos homens da terra. Cada qual tem alguma coisa no fundo do mar: um filho, um irmão, um braço, um saveiro que virou, uma vela que o vento da tempestade despedaçou. Mas também qual deles não sabe cantar essas canções de amor nas noites do cais? Qual d