Pular para o conteúdo principal

Composições de Emmanuel Mirdad: Cirurgia


Groove que se torna roots reggae, traz no poema de Emmanuel Mirdad o questionamento sobre o uso de cirurgias plásticas, afinal o crucial é "ficar seguro da exposição da eterna sonolência dos disfarces e padrões". Registrada pela banda bolo doido Pedradura no álbum "Universo Telecoteco" de 2008 (e está presente no álbum "la sangre", disponibilizado nas plataformas digitais em 2021), com a cozinha gruvada de Edu Marquez e Artur Paranhos, o suingue do guitarrista Eric Gomes, naipe de metais e efeitos percussivos.



Ouça no YouTube aqui


Ouça no Spotify aqui



Ouça no YouTube Music aqui



Ouça no SoundCloud aqui


Ouça no Deezer aqui


Ouça na Apple Music aqui


Cirurgia
(Emmanuel Mirdad)
BR-N1I-08-00010

A mulher fantasiou
Os homens trouxeram o concreto
Soterraram as linhas
Decodificaram os gestos
Com outras opções

Um novo mapa revela
Os mesmos gostos de sempre
Inútil e singela tentativa de se isolar do padrão

O público cerca e consome
O estranho que impressiona e condena às dúvidas...

O complexo trai e empurra ao muro
Joguem suas pedras na sólida e cruel vaidade!

A diferente construção da linguagem muda
Não contradiz o que foi dito antes

O crucial é ficar seguro da exposição
Da eterna sonolência dos disfarces e padrões

Modele-se aos famintos
Mantenha-se na nebulosa
Seja feliz e neurótica
E fanatize a satisfação

Imbecil fantasma
Que se danem o choque e o cotidiano
Que se danem as débeis frustrações humanas

A nova face surgirá
Digna do pó, mutante
E os famintos que se adaptem, ou morram!


Faixa 05 - Pedradura - Universo Telecoteco (2008) | Faixa 09 - Mirdad e a pedradura - la sangre (2021) | Composta e produzida por Emmanuel Mirdad | Mirdad - voz | Eric Gomes - guitarra | Artur Paranhos - baixo | Edu Marquéz - bateria e percussão | Marcelo Medina - trompete | Gilmar Chaves - trombone | Eric Almeida - saxofone | Participação especial: Marquinhos Black na percussão | Arranjo sopro: Emmanuel Mirdad (baseado em arranjos de cordas de Artur Paranhos e Eric Gomes) | Improvisação sopro: Eric Almeida | Gravado e mixado por Tito Menezes, e masterizado por André Magalhães no Submarino Studios em Salvador/BA em 2007 e 2008 | Arte encarte: Emmanuel Mirdad sobre traço de Minêu (capa roxa) e Emmanuel Mirdad sobre foto de Regina Rosa (capa vermelha)


Composta por Emmanuel Mirdad em 16/05/2007.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Flávio José

Flávio José (foto: divulgação ) O artista de forró que mais gosto é o cantor, sanfoneiro e compositor Flávio José . Para mim, ele é a Voz do Nordeste . Um timbre único, raro, fantástico. Ouvir o canto desse Assum Preto-Rei é sentir o cheiro da caatinga, arrastar os pés no chão de barro ao pé da serra, embalar o coração juntinho com a parceira que amo, deslizar os passos como se no paraíso estivesse, saborear a mistura de amendoim com bolo de milho, purificar o sorriso como Dominguinhos ensinou, banhar-se com as rezas das senhoras sábias, prestar atenção aos causos, lendas e histórias do povo que construiu e orgulha o Brasil . Celebrar a pátria nordestina é escutar o mestre Flávio José ! Natural da sertaneja Monteiro , na Paraíba , em 2021 vai completar 70 anos (no primeiro dia de setembro), com mais de 30 discos lançados e vários sucessos emplacados na memória afetiva do povo brasileiro (fez a alegria e o estouro da carreira de muitos compositores, que tiveram a sorte de serem grav