Pular para o conteúdo principal

Composições de Emmanuel Mirdad: Cuts


Blues épico de mais de 10 minutos que traz no poema a constatação dos cortes que a humanidade faz em sua própria carne frágil. O nobre Mateus Aleluia interpreta a canção com o pesar grave do blues, filho do banzo e da diáspora forçada dos africanos durante a abominável escravidão. Na maior parte da canção, interpretada pela banda Orange Poem, os ricos arranjos do baixista Artur Paranhos, a segurança do baterista Hosano Lima Jr. e a linda performance sentimental dos solos do guitarrista Zanom (acrescidos da cama harmônica do piano de Tadeu Mascarenhas na 2ª parte). No refrão psicodélico e mântrico, o clímax do coro de sete vozes e o slide etéreo do guitarrista Fábio Vilas-Boas.



Ouça no YouTube aqui


Ouça no Spotify aqui



Ouça no YouTube Music aqui



Ouça no Soundcloud aqui


Ouça no Deezer aqui


Ouça na Apple Music aqui


Cuts
(Emmanuel Mirdad)
BR-N1I-14-00014

We need so much caress
As important as oxygen
So rare like a sincere hug
So dear in these days of selfishness

We remove people ignoring friendship
We attract just for business
We create absurd conditions for wishes
While we try happiness with plastic things

The home became shelter, cell
And the privacy is exposed as award
Day by day we restrict ourselves to creating idols
The destiny that were slowly confused

Cornered, distressed, insecure, insecure
Lost human being, suicide is so easy
But the fear still survives
And brings life in finding the cut


Faixa 01 - EP Ancient (2014) | Faixa 02 - Orange Poem (2021) | Composta e Produzida por Emmanuel Mirdad | Mateus Aleluia - voz e backing vocal | Zanom - guitarra | Artur Paranhos - baixo | Tadeu Mascarenhas - piano | Hosano Lima Jr. - bateria | Mirdad - violão 12 cordas e backing vocal | Fábio Vilas-Boas - guitarra | Gravado, mixado e masterizado por Tadeu Mascarenhas no Casa das Máquinas, Salvador-BA | Encarte EP Ancient: Glauber Guimarães | Capa 2021: Meriç Dağlı (foto) e Emmanuel Mirdad (design)


Composta por Emmanuel Mirdad em 23 e 25/11/2001.

A harmonia em Eb é original da canção "Voto", de Emmanuel Mirdad, composta em maio de 1998.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Flávio José

Flávio José (foto: divulgação ) O artista de forró que mais gosto é o cantor, sanfoneiro e compositor Flávio José . Para mim, ele é a Voz do Nordeste . Um timbre único, raro, fantástico. Ouvir o canto desse Assum Preto-Rei é sentir o cheiro da caatinga, arrastar os pés no chão de barro ao pé da serra, embalar o coração juntinho com a parceira que amo, deslizar os passos como se no paraíso estivesse, saborear a mistura de amendoim com bolo de milho, purificar o sorriso como Dominguinhos ensinou, banhar-se com as rezas das senhoras sábias, prestar atenção aos causos, lendas e histórias do povo que construiu e orgulha o Brasil . Celebrar a pátria nordestina é escutar o mestre Flávio José ! Natural da sertaneja Monteiro , na Paraíba , em 2021 vai completar 70 anos (no primeiro dia de setembro), com mais de 30 discos lançados e vários sucessos emplacados na memória afetiva do povo brasileiro (fez a alegria e o estouro da carreira de muitos compositores, que tiveram a sorte de serem grav