Pular para o conteúdo principal

Vamos ouvir: Bombay Groovy

Bombay Groovy (2014) - Bombay Groovy




Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

Release disponível no site da banda:

"
No verão de 2012, Daniel Costa, músico que fez participações como sitarista para diversos músicos importantes da cena psicodélica nacional, resolveu rumar para o contrabaixo. Nesse ínterim, conheceu Rodrigo Bourganos, jovem multi-instrumentista que havia tomado aulas de sitar indiano, aqui no Brasil, com seu mesmo mestre. Após uma tarde repleta de música na casa de Daniel, nasceu a ideia da banda Bombay Groovy, que começou a se concretizar pouco tempo depois com a chegada do baterista Leo Costa, experiente no rock progressivo e psicodélico. A afinidade do baterista com as percussões étnicas também incrementaram muito o estilo peculiar e visceral do grupo. A presença constante do sitar é um elemento decisivo para o som da banda, e revela a presença resoluta da música oriental. Rodrigo Bourganos, que também teve aulas no Oriente com o Guru Chandranath Battacharya, toca o instrumento em pé, como se fosse uma guitarra elétrica, transgredindo dogmas da cultura indiana ao abandonar a postura de lótus que aprendeu no Oriente com seu guru.

No entanto, ainda sentiam falta de um instrumento harmônico que pudesse tanto propiciar diversos climas e sinestesias quanto soar como um guitarrista enquanto o sitar se encarregava das “vozes”. A resposta era clara – um órgão Hammond. Foi assim que Daniel Costa resolveu convidar Jimmy Pappon, pianista prodígio que havia tocado no consagrado tributo ao Frank Zappa, “Central Scrutinizer”, para assumir o posto do hammond, seu instrumento principal.

A Bombay Groovy desrespeita fronteiras e reelabora, com vigor, rigor e personalidade um novo conceito de rock com base em uma renovada aliança entre Oriente e Ocidente. A formação instrumental inusitada do grupo, com o som metálico do sitar indiano; o timbre encorpado e versátil do órgão Hammond; e a nervosa “cozinha”, revela uma banda repleta de psicodelia, exotismo - e muito groove.

Com o time formado, um EP e um clipe já gravados, a banda se prepara para lançar seu primeiro disco homônimo contendo dez faixas que passam por diversos gêneros musicais, fortemente inspiradas no fusion de Ananda Shankar e bandas como Led Zeppelin. O disco “Bombay Groovy” é uma experimentação sonora que dispensa os elementos vocais e verbais, substituídos por linhas consistentes de baixo, vôos inventivos e virtuosos de órgão, melodias transcendentais de sitar e percussão pesada como uma locomotiva, flertando com diversos gêneros de música étnica e popular, em uma mistura singular.
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Flávio José

Flávio José (foto: divulgação ) O artista de forró que mais gosto é o cantor, sanfoneiro e compositor Flávio José . Para mim, ele é a Voz do Nordeste . Um timbre único, raro, fantástico. Ouvir o canto desse Assum Preto-Rei é sentir o cheiro da caatinga, arrastar os pés no chão de barro ao pé da serra, embalar o coração juntinho com a parceira que amo, deslizar os passos como se no paraíso estivesse, saborear a mistura de amendoim com bolo de milho, purificar o sorriso como Dominguinhos ensinou, banhar-se com as rezas das senhoras sábias, prestar atenção aos causos, lendas e histórias do povo que construiu e orgulha o Brasil . Celebrar a pátria nordestina é escutar o mestre Flávio José ! Natural da sertaneja Monteiro , na Paraíba , em 2021 vai completar 70 anos (no primeiro dia de setembro), com mais de 30 discos lançados e vários sucessos emplacados na memória afetiva do povo brasileiro (fez a alegria e o estouro da carreira de muitos compositores, que tiveram a sorte de serem grav