sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

O fim do Blog do Ël Mirdad



Esta é a última postagem do Blog do Ël Mirdad (que um dia já foi Farpas e Psicodelia). Ao fim, foram 1.083 postagens em 8 anos de atividade, de 2009 a 2016. Divulguei o trabalho de muitos artistas, nas áreas da música, literatura e audiovisual (eventos, shows, quadrinhos, etc.), e também o meu trabalho como compositor, escritor e produtor cultural. Das seções que fiz, a que mais me orgulhou foi Leituras. Abaixo, seguem duas imagens com estatísticas que o próprio Blogger oferece, apuradas em 22 de dezembro. O motivo para o fim desse blog é que não assinarei mais como Emmanuel Mirdad, e não tem lógica manter um canal de comunicação vinculado a esse nome.


Algum dia farei outro blog? Acho difícil. Caso faça, divulgarei apenas o meu trabalho como escritor, o único que continua, assinando, a partir de 2017, como Emmanuel Rosa.


Muito obrigado pela sua audiência. E espero que o Google mantenha esse acervo ativo, para quando você quiser voltar por aqui e ler (ou ouvir) algo que lhe agradou, de novo.





quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Revisando 2016

Emmanuel Mirdad, curador da Flica 2016 - Foto: Egi Santana


2016 foi o ano que terminei o meu primeiro romance, Miwa – A nascente e a foz. Em janeiro, lancei o livro de contos Olhos abertos no escuro, pela editora baiana Via Litterarum (a mesma que publicou, em 2015, o livro de contos O grito do mar na noite) – veja a cobertura fotográfica de Sarah Fernandes aqui. Neste ano maravilhosamente literário, descobri a obra valiosa da poeta Orides Fontela, assim como os contos de Aníbal Machado, Domingos Pellegrini, Conceição Evaristo e Márcia Denser, a poesia de Ana Martins Marques, e as crônicas de Ana Cássia Rebelo e Antonio Prata (veja trechos desses e de outros autores aqui). Li 63 livros, a mesma quantidade do ano passado (coincidência danada!), essencialmente literatura brasileira, mas selecionei menos passagens, publicadas no blog (despedi-me da seção Leituras – não farei mais as seleções, nem as divulgarei).


Com a ajuda de Sarah Fernandes, gravei 10 vídeos com trechos dos contos do livro Olhos abertos no escuro (assista aqui), e 10 vídeos com poemas do livro Nostalgia da lama (assista aqui), mas a repercussão foi mínima, assim como o lançamento de janeiro (Olhos abertos no escuro passou em branco, nenhuma divulgação, quase nenhum comentário e nenhum feedback; é como se não tivesse existido), fatos que me desmotivaram bastante.


Entrevistas com o curador da Flica 2016 - Assista aqui e aqui


Com a minha empresa Cali, junto à iContent, produtora da Rede Bahia, realizamos os eventos Flica na Caixa (em julho, na Caixa Cultural de Salvador), e a 6ª edição da Flica (em outubro, em Cachoeira), ambos com grande êxito de público e imprensa – a Flica chegou no auge em 2016, em termos de quantidade de público e repercussão positiva, e eu assinei, pela primeira vez sozinho, a curadoria. Veja o balanço do curador e cobertura da mídia aqui, a íntegra das mesas da programação principal aqui, e a cobertura fotográfica de Egi Santana aqui.


Emmanuel Mirdad, curador da Flica 2016 e coordenador da Flica na Caixa
Fotos: Egi Santana


Na música, produzi, junto ao músico Átila Santtana, da IFÁ Afrobeat, quatro composições minhas, em inglês (gravadas e mixadas por Tadeu Mascarenhas no estúdio Casa das Máquinas, em Salvador), para o projeto Orange Roots, no estilo psicodélico reggae progressivo. Junto às cinco gravadas em 2015, formaram o álbum Fluid, com a voz de Jagun-Labi (conhecido por Jahgun), Iuri Carvalho na bateria, Fabrício Mota no baixo, Tadeu Mascarenhas nas teclas e Átila Santtana nas guitarras (gravei violão em uma faixa e Nancy Viégas gravou o backing vocal em outra). Uma pena que, depois de ter o álbum finalizado, os sócios do Orange Roots não conseguiram botar para frente o projeto e, por enquanto, continua engavetado.


Martha Anísia e Emmanuel Mirdad - Foto: Sarah Fernandes


Também na música, tive uma enorme satisfação de produzir a primeira gravação profissional de minha mãe, Martha Anísia, uma senhora ativa e esperta de 78 anos, no estúdio Casa das Máquinas (em 22 de julho). Realizamos um sonho dela: sempre quis que a sua composição Se os sentimentos falassem sozinhos, em parceria com a filha Regina Rosa, fosse para o mundo. Pois já está, com a sua voz (foi também a primeira vez que gravou um vocal), o violão de Mou Brasil, e a sanfona e o piano de Tadeu Mascarenhas. Que alegria! Que beleza! Que orgulho! Que amor! Ouça aqui


Em 2016, assisti a 96 filmes e 41 temporadas de séries. Um recorde. Nunca consumi tanto produto audiovisual. A desilusão de 2015 foi superada e eu retomei os trabalhos como roteirista, ao revisar e ajudar a finalizar o roteiro do curta-metragem Felicidade, de Gabriela Leite, e começar a esboçar um longo projeto de adaptação para série.


Por fim, 2016 é o fim de Mirdad. 20 anos tentando produzir a sua arte. Chega. Não aceito mais essa sina. Em 2017, eu assinarei Emmanuel Rosa; um homem, apenas.


Principal Feito de 2016



Finalizei o meu primeiro romance: Miwa – A nascente e a foz

-----

Livro que mais gostei em 2016


Todos os contos
(Rocco, 2016)
Clarice Lispector
Org. Benjamin Moser


Livro baiano que mais gostei em 2016


O chão que em mim se move
(Penalux, 2016)
Carlos Barbosa


Livros prediletos em 2016












1) Todos os contos (Rocco, 2016), de Clarice Lispector, org. Benjamin Moser

2) Poesia completa (Hedra, 2015), de Orides Fontela

3) Melhores contos (Global, 2001), de Aníbal Machado, Org. Antonio Dimas

4) Memórias póstumas de Brás Cubas (L&PM, 2014), de Machado de Assis

5) Nos bastidores do Pink Floyd (Generale, 2012), de Mark Blake

6) Melhores contos (Global, 2005), de Domingos Pellegrini, Org. Miguel Sanches Neto

7) Ana de Amsterdam (Biblioteca Azul, 2016), de Ana Cássia Rebelo

8) Olhos d'água (Pallas, 2015), de Conceição Evaristo

9) O livro das semelhanças (Companhia das Letras, 2015), de Ana Martins Marques

10) A gloriosa família - O tempo dos flamengos (Nova Fronteira, 1999), de Pepetela

11) História secreta de Costaguana (L&PM, 2012), de Juan Gabriel Vásquez


Todos os 63 livros lidos e relidos em 2016
(clique na imagem para ampliar)























-----


Filme que mais gostei em 2016


O Filho de Saul
(Saul Fia - 2015)
László Nemes


Filmes prediletos vistos em 2016











1) O Filho de Saul (Saul Fia - 2015), de László Nemes

2) O Abraço da Serpente (El Abrazo de la Serpiente - 2015), de Ciro Guerra

3) Spotlight: Segredos Revelados (Spotlight - 2015), de Tom McCarthy

4) Truman (Truman - 2015), de Cesc Gay

5) Desajustados (Fúsi - 2015), de Dagur Kári

6) The Better Angels (The Better Angels - 2014), de A.J. Edwards

7) Agnus Dei (Les Innocentes - 2016), de Anne Fontaine

8) Capitão Fantástico (Captain Fantastic - 2016), de Matt Ross

9) 13 Assassinos (Jûsan-nin no shikaku - 2010), de Takashi Miike

10) O Fim da Turnê (The End of the Tour - 2015), de James Ponsoldt

11) Trumbo - Lista Negra (Trumbo - 2015), de Jay Roach


92 filmes vistos em 2016
(clique na imagem para ampliar)
(faltaram 04 filmes vistos após esse post)























-----

Temporada de série que mais gostei em 2016


Game of Thrones – 6ª temporada
(HBO e Blu-ray - 2016)
David Benioff e D.B. Weiss


Temporadas de séries prediletas vistas em 2016












1) Game of Thrones – 6ª temporada (2016), de David Benioff e D.B. Weiss

2) Breaking Bad – 2ª temporada (2009), de Vince Gilligan

3) Lost – 2ª temporada (2005-2006), de J.J. Abrams, Jeffrey Lieber e Damon Lindelof

4) House of Cards – 2ª temporada (2014), de Beau Willimon

5) Breaking Bad – 1ª temporada (2008), de Vince Gilligan

6) Lost – 1ª temporada (2004-2005), de J.J. Abrams, Jeffrey Lieber e Damon Lindelof

7) House of Cards – 1ª temporada (2013), de Beau Willimon

8) The Crown – 1ª temporada (2016), de Peter Morgan

9) River – 1ª temporada (2015), de Abi Morgan

10) Black Mirror – 3ª temporada (2016), de Charlie Brooker

11) Vikings – 1ª temporada (2013), de Michael Hirst


38 temporadas de séries vistas em 2016
(clique na imagem para ampliar)





















PS. 1) Revi, em blu-ray, todas as seis temporadas de GOT (e os seus extras).

PS. 2) Desde novembro, estou acompanhando a 1ª temporada de Designated Survivor via Netflix

PS. 3) Após o fechamento deste post, assisti à 3ª, 4ª e 5ª temporada de Breaking Bad via Netflix, totalizando 41 temporadas de séries vistas em 2016.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Flica 2016 - Resumo oficial



Resumo da 6ª edição da Festa Literária Internacional de Cachoeira, a Flica 2016, que aconteceu de 13 a 16 de outubro, na charmosa cidade histórica de Cachoeira, recôncavo baiano, com realização da Cali e iContent.

O Governo do Estado da Bahia apresentou a Flica 2016, que teve o patrocínio da Oi e Coelba através do Fazcultura, Governo da Bahia, com apoio do Oi Futuro, Prefeitura Municipal de Cachoeira, Caixa e Odebrecht. A livraria oficial foi a LDM.

Site oficial aqui

Registro audiovisual: Create Produtora de Vídeo e Conteúdo



Não consegue visualizar o player? Veja aqui

Despedida da seção Leituras



Despeço-me da seção Leituras (que já foi chamada de Pílulas) deste blog.

Em quatro anos (2013 a 2016), selecionei trechos de 137 livros, dentre os 222 livros que li, com destaque para Anton Tchekhov, Hélio Pólvora, Nelson Rodrigues, Clarice Lispector, Dino Buzzati, Pepetela, David Foster Wallace, Julio Cortázar, Mayrant Gallo, Ruy Espinheira Filho, Daniel Lima, Guy de Maupassant, Jonathan Franzen, Orides Fontela, Ana Martins Marques, Aníbal Machado, Domingos Pellegrini, Machado de Assis, Conceição Evaristo, Marina Colasanti, Livia Natália, Otto Lara Resende, Marcia Denser, Caio Fernando Abreu, Gonçalo M. Tavares, Cristovão Tezza, Ondjaki, Ana Cássia Rebelo, Antonio Prata, Sérgio Andrade Sant'Anna, João Filho, Carlos Barbosa, Victor Mascarenhas, Rodrigo Melo, entre muitos outros.

Acesse aqui e leia os trechos selecionados.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Os 10 posts mais acessados do blog em 2016

Os dez posts do blog mais acessados em 2016


Abaixo, você confere os dez posts mais acessados neste blog em 2016. A apuração foi feita no dia 20 de dezembro.





1º Lugar:
O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho
28/05/2016
1.426 acessos
Leia aqui






2º) Ana Martins Marques - O livro das semelhanças
29/09/2016
1.233 acessos
Leia aqui






3º) Ruy Espinheira Filho - Milênios e outros poemas
22/09/2016
1.208 acessos
Leia aqui






4º) Renato Russo - Só por hoje e para sempre
09/03/2016
1.114 acessos
Leia aqui








5º) Ana Martins Marques - Da arte das armadilhas
03/10/2016
1.002 acessos
Leia aqui







6º) Mônica Menezes - Estranhamentos
20/09/2016
935 acessos
Leia aqui








7º) Carollini Assis - O livro das palavras mal ditas
27/09/2016
929 acessos
Leia aqui







8º) Ângela Vilma - A solidão mais funda
21/09/2016
888 acessos
Leia aqui








9º) Flica 2016 - Autora homenageada
02/10/2016
689 acessos
Leia aqui







10º) Carlos Barbosa -
O chão que em mim se move
26/09/2016
671 acessos
Leia aqui


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Leituras 2016

Os 63 livros lidos em 2016


Dentre os 63 livros lidos em 2016 (selecionei passagens em 37 livros), destaque para os contos de Clarice Lispector, Aníbal Machado, Domingos Pellegrini, Conceição Evaristo, Marina Colasanti, Otto Lara Resende, Marcia Denser e Caio Fernando Abreu, os romances de Machado de Assis, Pepetela, Estevão Azevedo e Milton Hatoum, os poemas de Orides Fontela, Ana Martins Marques, Mônica Menezes e Ruy Espinheira Filho, as crônicas de Ana Cássia Rebelo, David Grann e Antonio Prata, a biografia do Pink Floyd por Mark Blake e o livro histórico de Mary del Priore. Além disso, divulguei os lançamentos de escritores baianos como Carlos Barbosa, Ângela Vilma, Rodrigo Melo, Marcus Borgón e Silvério Duque, entre outros. Abaixo, você pode conferir, quais foram os livros lidos, além dos que tiveram passagens selecionadas. Boa leitura!





Todos os contos
(Rocco, 2016)
Clarice Lispector






"Nunca amar
o que não
vibra
Nunca crer
no que não
canta"

Poesia completa (Hedra, 2015)
Orides Fontela
Leia trechos aquiaquiaquiaquiaqui




"Monjolo se anunciava por um som de sanfona que parecia o gemido constante do fundo do Brasil"

Melhores contos
(Global, 2001)
Aníbal Machado
Leia trechos aqui





"Não há amor possível sem a oportunidade dos sujeitos"

Memórias póstumas de Brás Cubas
(L&PM, 2014)
Machado de Assis
Leia trechos aqui







Nos bastidores do Pink Floyd
(Generale, 2012)
Mark Blake






"Pai falou que o mar tem todos os cheiros do mundo, e ondas rebentando mais altas que a gente: – Mas você mergulha furando onda depois de onda, e sempre tem outra onda vindo. Alice perguntou de onde vinham as ondas e, como sempre acontecia com as melhores perguntas, ninguém respondeu"

Melhores contos
(Global, 2005)
Domingos Pellegrini
Leia trechos aqui


"Aparece aos domingos para visitar os filhos. Volta e meia, tenta beijar-me. Diz ainda que me ama. Toca-me como se eu fosse uma prostituta. Roça as mãos no meu peito e no meu rabo. Aproveita os momentos em que a Dá está presente, mas distraída a olhar para a televisão ou entretida a alimentar o peixinho encarnado. Sabe que não gritarei para não a assustar. Quero poupá-la ao sofrimento e à minha miséria"

Ana de Amsterdam (Biblioteca Azul, 2016)
Ana Cássia Rebelo | Leia trechos aqui


"Tentando se equilibrar sobre a dor e o susto, Salinda contemplou-se no espelho. Sabia que ali encontraria a sua igual, bastava o gesto contemplativo de si mesma. E no lugar da sua face, viu a da outra. Do outro lado, como se verdade fosse, o nítido rosto da amiga surgiu para afirmar a força de um amor entre duas iguais"

Olhos d'água
(Pallas, 2015)
Conceição Evaristo | Leia trechos aqui



"Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam"

O livro das semelhanças
(Companhia das Letras, 2015)
Ana Martins Marques
Leia trechos aqui





"No fundo, devo constatar, a única coisa que se acumula numa vida são as dúvidas"

A gloriosa família - O tempo dos flamengos
(Nova Fronteira, 1999)
Pepetela
Leia trechos aqui






História secreta de Costaguana
(L&PM, 2012)
Juan Gabriel Vásquez






"E todas as manhãs, sua mulher o barbeava e lavava, mudando-o, ela mesma, da cama para a cadeira e da cadeira para a cama, falando-lhe como se fala a um cão amigo, embora sem ter sequer a esperança da resposta ou reconhecimento de que um cão é capaz. Nada lhe vinha daquele corpo, além do hábito"

O leopardo é um animal delicado
(Rocco, 1998)
Marina Colasanti | Leia trechos aqui


"— Como é mesmo que eu durmo? — queria saber qual a posição que habitualmente tomava para dormir. A postura que usava no sono, insabida. Probleminha idiota, mas que o desorganizava mentalmente e súbito o lançava numa aflita perplexidade física. Deste lado: não era. Virou-se do outro lado: também não era. Estendeu as costas: as mãos sobravam, os braços não se incorporavam à rotina"

As pompas do mundo (Rocco, 1975)
Otto Lara Resende | Leia trechos aqui


"A paixão é como uma lindíssima putinha de dezessete anos, coberta de trapos e lama, exalando miasmas de pétalas esmagadas da rosa fétida do desejo. Em cada trecho de pele morna, gosmenta, salgada, percutem risinhos convulsos que assanham gatos e bueiros, e seus cegos olhos verdes apunhalam as trevas. A paixão não tem memória"

Diana Caçadora & Tango Fantasma
(Ateliê Editorial, 2003)
Marcia Denser | Leia trechos aqui


"Sentiu-se enfraquecer e escorrer pela parede, como se a designação tivesse dissolvido, em seu interior, o que de rígido ele necessitasse para ser um homem capaz de suportar em pé o término de um dia como aquele"

Tempo de espalhar pedras
(Cosac Naify, 2014)
Estevão Azevedo
Leia trechos aqui




"Ele acendeu um cigarro. Tossiu forte na primeira tragada:
– Também moro só, mãe. Se morresse, ninguém ia ficar sabendo. E não ia dar no jornal"

Os dragões não conhecem o paraíso
(Nova Fronteira, 4ª edição, 2014)
Caio Fernando Abreu
Leia trechos aqui






O Diabo & Sherlock Holmes: histórias reais de assassinato, loucura e obsessão
(Companhia das Letras, 2012)
David Grann





"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como quem fica
Um dia vou aprender a ficar
vou ficar
como quem parte"

Da arte das armadilhas
(Companhia das Letras, 2011)
Ana Martins Marques | Leia trechos aqui



"Até os vinte e nove você ainda tem esperanças de se tornar outra pessoa. Depois dos trinta, você simplesmente aceitar ser quem é, relaxa e goza"

Trinta e poucos
(Companhia das Letras, 2016)
Antonio Prata
Leia trechos aqui






Dois irmãos
(Companhia das Letras, 2006)
Milton Hatoum









Os informantes
(L&PM, 2010)
Juan Gabriel Vásquez









Histórias da Gente Brasileira - Volume 1: Colônia
(Leya, 2016)
Mary del Priore







"Duvidoso como é, o amor me provocou dores horríveis. Nunca se sabe se o que chamamos amor é desamparo, solidão doentia ou desejo incontrolável de dominação"

Troços & Destroços
(Record, 1997)
João Silvério Trevisan
Leia trechos aqui



"Já li tudo, cara, já tentei macrobiótica psicanálise drogas acupuntura suicídio ioga dança natação cooper astrologia patins marxismo candomblé boate gay ecologia, sobrou só esse nó no peito, agora faço o quê?"

Morangos mofados
(Nova Fronteira, 12ª edição, 2015)
Caio Fernando Abreu
Leia trechos aqui



"Mulher não releva nenhum direito que possua ou que a ela se atribua. Homem é capaz de guardar direitos em sacolas velhas, enterrá-los no quintal e se esquecer por inteiro do lugar onde os reservou"

O chão que em mim se move
(Penalux, 2016)
Carlos Barbosa
Leia trechos aqui



"se eu pudesse
desceria ao seu abismo
para vivermos juntos
a escuridão"

Estranhamentos
(P55, 2010)
Mônica Menezes
Leia trechos aqui



"Mas vamos levando o barco,
desafiando oceanos,
pois o que sustenta a alma
sempre é a graça dos enganos"

Milênios e outros poemas
(Patuá, 2016)
Ruy Espinheira Filho
Leia trechos aqui






Todo Bob Cuspe
(Companhia das Letras, 2015)
Angeli






"Vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta. De como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois, de como vi a linha de mistério e fogo, e que é linha sub-reptícia"

A paixão segundo G. H.
(Rocco, 2014)
Clarice Lispector
Leia trechos aqui



"Começa a decidir que tudo isto, toda esta imensa contorção do Homem deve ser colocada no papel, escrita, para desvendar seu mundo interior, sua completa derrota, sua frágil, inquieta e tenebrosa condição humana"

O senhor agora vai mudar de corpo
(Record, 2015)
Raimundo Carrero
Leia trechos aqui



"A foto resistiu às viagens, mudanças de domicílio e desgraças. Amassada entre os dedos como as contas de um rosário, exposta ao suor e ao tempo, mesmo assim sobreviveu e ainda fala. Diz que o homem pode dar voltas sem sair do lugar"

O amor das sombras
(Alfaguara, 2015)
Ronaldo Correia de Brito
Leia trechos aqui






A orgia perpétua: Flaubert e Madame Bovary
(Objetiva, 2015)
Mario Vargas Llosa






"Ninguém mais chora,
nem se espanta.
Tudo virou apenas
curiosidade"

A solidão mais funda
(Mondrongo, 2016)
Ângela Vilma
Leia trechos aqui



"De volta à vida interior no meu cubículo. Existe algo de grandioso, solene e até belo na solidão, quando um homem, depois de ter tido o seu quinhão satisfatório de vida, resolve recolher-se a uma casa modesta e afastada, na montanha, para aí desfrutar da memória dos seus amores, seus sucessos e fracassos"

A senhorita Simpson
(Companhia das Letras, 1989)
Sérgio Sant'Anna | Leia trechos aqui


"Sol, céu, mar. Meu sentimento é oceânico. É sal, é sol, é sul. Minha visão é atlântica. Vai até a linha do horizonte, na fronteira da nostalgia. E tudo é azul demais – a cor perfeita para se morrer em estado de graça ou para se viver à flor dos poros"

Um táxi para Viena d'Áustria
(Record, 9ª edição, 2013)
Antônio Torres
Leia trechos aqui



"Me acham louco, é claro. Não só por causa de meu não conformismo (sou considerado polêmico por ter assumido meu homoerotismo publicamente em entrevistas e em shows), mas até por referências à minha dependência química"

Só por hoje e para sempre
(Companhia das Letras, 2015)
Renato Russo
Leia trechos aqui



"Foi nessa hora que senti pena. Não apenas dele, mas também de mim. Passáramos tempo demais acreditando em letras de músicas, na mágica da vida, na grandeza de existir. Colecionamos histórias que com o passar dos anos perderam a força e o sentido. O mundo mudou, ou pior, continua a mesma merda que sempre foi, nós é que despertamos."

Jogando dardos sem mirar o alvo
(Mondrongo, 2016)
Rodrigo Melo | Leia trechos aqui



"Nome: Beleléu
Posição: Lateral-direito
Altura / Peso: 1,59m / 55kg
Ponto forte: Muito feio, assusta os adversários
Ponto fraco: Sensível, se abala quando é chamado de feio"

O pênalti perdido
(P55, 2016)
Marcus Borgón
Leia trechos aqui




"A religião da morte precede todas e certamente será a última a morrer nas consciências."

Melhores contos
(Global, 2002)
Lima Barreto
Leia trechos aqui






Histórias de leves enganos e parecenças
(Malê, 2016)
Conceição Evaristo







"outro dia um moleque perguntou à mãe
se havia casa lotérica lá no céu,
e a mãe respondeu que se ele não ficasse quieto
não ia haver céu algum."

Enquanto o mundo dorme
(Penalux, 2016)
Rodrigo Melo | Leia trechos aqui



"nu pagão violento
dançarei pela cidade em desforra
cuspindo de volta o abismo
para dentro do homem"

Os ratos roeram o azul
(Letramento, 2016) | César Gilcevi | Trechos aqui



"Se existo é porque a carne não tem nome
e onde o amor se desfez a alma procura
a vontade de amar que ainda perdura
como perdura a morte e a sua fome"

Do coração dos malditos
(Mondrongo, 2013)
Silvério Duque
Leia trechos aqui


As reputações
(Bertrand Brasil, 2016)
Juan Gabriel Vásquez

Cama de gato
(BDA, 1997)
Phil Moreno

O ruído das coisas ao cair
(Objetiva, 2013)
Juan Gabriel Vásquez

Órfãos do Eldorado
(Companhia das Letras, 2008)
Milton Hatoum

Rincões dos frutos de ouro
(Editus, 2005)
Sabóia Ribeiro

Páginas sem glória
(Companhia das Letras, 2012)
Sérgio Sant'Anna

Tardes com anões - 7 minicontistas
(Vento Leste, 2011)
Org. Gal Meirelles

Cantares de arrumação: Panorama da nova poesia de Feira de Santana e região
Org. Silvério Duque
Leia trechos aqui

Jeito de matar lagartas
(Companhia das Letras, 2015)
Antonio Carlos Viana

Desordem & outros poemas inéditos
Gustavo Felicíssimo
Leia trechos aqui

Servir a quem vence
Astier Basílio
Leia trechos aqui

O livro das palavras mal ditas
Carollini Assis
Leia trechos aqui

Não se vai sozinho ao paraíso
(Mondrongo, 2016)
Állex Leilla

O encourado
Franklin Carvalho 

O mar e seus descontentes
(Via Litterarum, 2016)
Saulo Dourado

Testemunho transiente
(Cosac Naify, 2015)
Juliano Garcia Pessanha

Sons e outros frutos
(Record, 1998)
Myriam Campello

O evangelho segundo a filosofia
(Record, 2016)
Aurélio Schommer

Finlândia
(Novo Século, 2016)
Scarlet Rose

Casa de Orates - Contos sobre loucura
(Mondrongo, 2016)
Org. Rodrigo Melo