terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O funeral de LucaSande


Lucas Sande, o DJ Cangaço

Enterramos o corpo de Lucas Sande, o melhor de nós, hoje à tarde, 25 de fevereiro de 2013, no cemitério que tem o nome do que vai nos acompanhar por um bom tempo.

Beatriz veio do Rio Grande do Sul. Marinho veio de Santa Catarina. O irmão, valente, a amparar o pai, desolado pela maior dor de todas. A mãe, grata por tanto amor, a afagar os últimos carinhos no rosto silencioso do seu filho, nosso amigo. E a pedir a presença de Rodrigo, Ivan e Pedro Araujo, os amigos mais irmãos do nosso Sande. Cânticos, orações, Victor Uchôa lendo seu lindo texto de despedida e o hino do Bahia puxado com plenos pulmões. Ele, fiel, vestido com a camisa do Bahia, embalado pela bandeira do Bahia, num sonho de paz eterna, tricolorizado por um colar de Gandhi, flores e os crachás do trabalho, funcionário exemplar que era, responsável, atuante e competente. O chapéu de cangaceiro, cravejado por depoimentos emocionados em caneta azul.

Muitos parentes e amigos vieram de Santo Antônio de Jesus, a cidade natal do menino do interior que encantou a capital, moldando e transmutando a opinião de tantos formadores que foram se despedir em silêncio e lágrimas. Uma multidão, caminhando lentamente, lá pros fundos do jardim, quase na borda limítrofe do muro, em silêncio.

Os prantos foram constantes, a cada momento um amigo desfalecia, aqui e ali, inconformados com a lógica perversa do acaso, que prega a peça escrota de ceifar a matéria do sorriso único de um irmão querido, delegando à memória uma necessidade urgente de ser preservada, vivenciada, relembrada, celebrada. Lembra daquela? E aquela vez? E quando ele falava assim?

A sepultura foi selada e diversas flores ornaram a última morada de um corpo que celebrou como poucos o gozo supremo da vida com oxigênio. O cerimonial encerrou, a Messiânica fez a última cerimônia e ninguém arredou o pé. Ficamos ali, ao lado, próximo, embaixo do sol quente como sempre foi a presença do solar Sande. Kalu, o cantor que o astro mais viu nesta breve vida, entoou "Zanzibar", a música que ele mais gostava, segundo Marinho e Araújo. Coro, palmas e o último groove.

Somos da turma de Sande, da voz do campeão, do povo o clamor, deste que nunca foi vencido em vibração porque sempre foi o melhor de todos, o dono do maior coração, da insuperável positividade de espírito que agora retorna à luz. Obrigado, meu querido astro, tua cerimônia foi digna de uma estrela única, singular e tão humana para muito além dessas palavras roucas, dessa dor tão pontiaguda. Pai nosso, cuida do nosso menino, amém.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

LucaSande, o melhor de nós



LucaSande era um astro, o melhor de todos nós da geração xibiatagem na Facom-Ufba (2002-2007). Um grande coração, um comediante nato, com um dom incrível, apurado pelo olhar minucioso que investigava o ser humano e suas comédias. Inteligente, sagaz, rápido e caceteiro, com um acervo de 2 teras num HD plural, de cultura popular a Tutakamón, que criava frases impagáveis, únicas.

Foi o melhor frasista que conheci depois de Nelson Rodrigues, capaz de arrancar risadas intermináveis em todas as manhãs durante cinco anos, salvando o diploma de vários faconianos, inclusive eu. Graças a Lucas Sande, me formei em Jornalismo. A geração favoreceu, e muito, mas se não houvesse o nosso astro, o que ostentava um potente taco de beisebol pra receber os calouros, as piadas, risadas, tiradas não teriam a potência e eficiência que transformaram meninos em homens. Poderíamos ter abandonado o curso fácil, mas ele estava lá, na nossa Varandinha, esperando o momento exato para transformar a besteira que um dizia num desfecho surpreendente, numa teoria nova e psicodélica, numa alegria pura em seu estado mais natural.

É muito difícil e assustador aceitar que um ser além como Lucas Sande, entupido de vida, de energia, de um repertório vasto e interminável para nos ajudar a desmitificar o complexo e compreender que o melhor da vida é o grande coração, partiu antes de nós. O melhor de nós partiu antes de nós. Logo ele, por que ele, como é que ele vai antes de mim?

Deus te ilumine e abençoe, meu querido astro. Desculpe-me por não ter insistido como deveria na produção do teu lado artístico. Mas a tua luz, imensa, e que tanto alegrou a todos que tiveram a sorte de te encontrar nessa existência LucaSande, vai continuar, pelo resto dos nossos dias, eterno. Paz, irmão, descanse, grande coração.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Meu Oscar 2013



Quase todo mundo que gosta de cinema adora palpitar e fazer uma lista pessoal dos merecedores dos Oscars. Este ano, resolvi publicar no blog a minha lista dos prêmios principais, movido pela adoração à obra prima de Michael Haneke, o filme Amor, uma aula magistral de cinema. Segue abaixo o "Meu Oscar 2013" (só com as categorias principais) e os palpites. Prometo que amanhã não irei apagar este post caso não acerte palpite algum.



Meu Oscar 2013 - Melhor filme



Provável vencedor: A hora mais escura

PS: Não vi Argo e O lado bom da vida

Indicados:
- Amor
- As Aventuras de Pi
- Django Livre
- Indomável sonhadora
- Lincoln
- A hora mais escura
- Os miseráveis
- Argo
- O lado bom da vida



Meu Oscar 2013 - Melhor diretor



Provável vencedor: Steven Spielberg por Lincoln

PS: Não vi O lado bom da vida

Indicados:
- Michael Haneke (Amor)
- Steven Spielberg (Lincoln)
- Ang Lee (As aventuras de Pi)
- Benh Zeitlin (Indomável sonhadora)
- David O. Russell (O lado bom da vida)



Meu Oscar 2013 - Melhor ator



O MELHOR, DE FATO (não indicado): Jean-Louis Trintignant por Amor

Provável vencedor: Daniel Day-Lewis por Lincoln

PS: Não vi O lado bom da vida

Indicados:
- Joaquin Phoenix (O mestre)
- Daniel Day-Lewis (Lincoln)
- Denzel Washington (O voo)
- Hugh Jackman (Os miseráveis)
- Bradley Cooper (O lado bom da vida)



Meu Oscar 2013 - Melhor atriz



Provável vencedora: Quvenzhané Wallis por Indomável sonhadora

PS: Não vi O lado bom da vida

Indicadas:
- Emmanuelle Riva (Amor)
- Naomi Watts (O impossível)
- Jessica Chastain (A hora mais escura)
- Quvenzhané Wallis (Indomável sonhadora)
- Jennifer Lawrence (O lado bom da vida)



Meu Oscar 2013 - Melhor ator coadjuvante



O MELHOR, DE FATO (não indicado): Leonardo DiCaprio por Django livre

Provável vencedor: Tommy Lee Jones por Lincoln

PS: Não vi Argo e O lado bom da vida

Indicados:
- Christoph Waltz (Django livre)
- Tommy Lee Jones (Lincoln)
- Philip Seymour Hoffman (O mestre)
- Robert De Niro (O lado bom da vida)
- Alan Arkin (Argo)



Meu Oscar 2013 - Melhor atriz coadjuvante



Provável vencedora: Sally Field por Lincoln

PS: Não vi As sessõesO lado bom da vida

Indicadas:
- Sally Field (Lincoln)
- Amy Adams (O mestre)
- Anne Hathaway (Os miseráveis)
- Helen Hunt (As sessões)
- Jacki Weaver (O lado bom da vida)



Meu Oscar 2013 - Melhor roteiro original



Provável vencedor: Mark Boal por A hora mais escura

PS: Não vi Moonrise Kingdom

Indicados:
- Michael Haneke (Amor)
- Quentin Tarantino (Django livre)
- Mark Boal (A hora mais escura)
- John Gatins (O voo)
- Wes Anderson, Roman Coppola (Moonrise Kingdom)



Meu Oscar 2013 - Melhor roteiro adaptado



Provável vencedor: Chris Terrio por Argo

PS: Não vi Argo

Indicados:
- David Magee (As aventuras de Pi)
- Tony Kushner (Lincoln)
- Lucy Alibar, Benh Zeitlin (Indomável sonhadora)
- Chris Terrio (Argo)
- David O. Russell (O lado bom da vida)

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Melhores da revista piauí em 2009

Capas das revistas piauí 30, 35, 28, 29, 34, 33, 36, 38, 31, 37 e 32 de 2009.


Os 29 melhores textos/HQs que foram publicados na revista piauí em 2009 você confere nos links abaixo, selecionados por mim, assinante (primeiro das bancas e depois na forma padrão) desde a piauí_5, num levantamento que fiz em 2013.

A melhor piauí de 2009 foi a de número 30, de março, com destaque para a importância de Miles Davis para o jazz, o conto Aquele nunca vira o mar, do escritor francês Le Clézio, Nobel de literatura em 2008, e o diário de uma jovem atriz paulista em pleno inverno de Moscou afim de estudar Stanislavski.

Completando o top five, a #35 (agosto), com as cartas da poeta americana Elizabeth Bishop descrevendo a literatura, a política e costumes do Brasil nos anos dourados; a #28 (janeiro), com a reportagem de João Moreira Salles sobre o colapso econômico da Islândia; a #29 (fevereiro), com um trecho do romance O filho da mãe, de Bernardo Carvalho; e a #34 (julho), com a reportagem de Fábio Fujita sobre o ex-goleiro Edinho, filho de Pelé. A pior piauí do ano, foi a #39, de dezembro.

PS: Os links foram retirados do post porque a revista trocou de servidor duas vezes, e não há como definir se o conteúdo continuará disponível na internet. Recomenda-se procurar o site da revista no Google, e pesquisar pelo título da matéria para verificar se está disponível para leitura ou não.


Melhores 2009 - Parte I


Em defesa do romance
Incivilizado, bárbaro, órfão de sensibilidade e pobre de palavra, ignorante e grave, alheio à paixão e ao erotismo - um mundo sem literatura teria como traço principal o conformismo, a submissão dos seres humanos ao estabelecido. Seria um mundo animal.
Mario Vargas Llosa
piauí #37


Milhas à frente
Num intervalo de vinte anos, Miles Davis revirou pelo avesso a história do jazz três vezes seguidas.
Rafael Teixeira
piauí #30


A grande ilusão
Depois da farra, o colapso - o choque, a confusão e a revolta no país mais afetado pela crise econômica mundial.
João Moreira Salles
piauí #28


Aquele que nunca vira o mar
Ele não olhava para o sol, nem para o céu. Já não via sequer a faixa de terra longínqua, nem o vulto das árvores. Não havia ninguém ali, ninguém além do 
mar, e Daniel estava livre.
Jean-Marie G. Le Clézio
piauí #30


O Brasil é mesmo um horror
Em cartas inéditas ao colega Robert Lowell, a poeta americana Elizabeth Bishop descreve a literatura, a política e costumes nos anos dourados.
Correspondência entre Elizabeth Bishop e Robert Lowell - Parte 01
Introdução de Otavio Frias Filho
piauí #35


“Foi uma revolução rápida e bonita”
"A suspensão dos direitos, a cassação de boa parte do Congresso etc., isso tinha de ser feito, por mais sinistro que pareça", escreveu Elizabeth Bishop a Robert Lowell a propósito do golpe militar de 1964. "De outro modo teria sido uma mera 'deposição', e não uma 'revolução' - muitos homens de Goulart continuariam lá no Congresso, todos os comunistas ricos fugiriam (como alguns fugiram, é claro) e os pobres e ignorantes seriam entregues à sua sorte"
Correspondência entre Elizabeth Bishop e Robert Lowell - Parte 02
Introdução de Otavio Frias Filho
piauí #36


O filho de Rosemeri
Depois da acusação de tráfico de drogas e de duas prisões, o ex-goleiro e atual assistente técnico do Santos se escora na família para devolver a normalidade à sua rotina.
Fábio Fujita
piauí #34


O filho da mãe
Não adianta querer entender por que o simples fato de ser quem ele é, um mero recruta, o obriga a fazer o que não quer. É seu lugar e sua hora
Bernardo Carvalho
piauí #29


Você conhece esse cara?
Sua família fugiu do Império Otomano e Carlos Slim preferiu criar um império próprio. Dono de 5% do PIB do México, além de vários outros nacos da economia mundial, ele continua a usar ternos da Sears.
Lawrence Wright
piauí #35


Saindo das trevas
O dia a dia de uma depressão crônica e o eterno temor de uma recaída
Daphne Merkin
piauí #33


Minha pátria está morta
Vivo em minha mátria, a palavra.
Rose Ausländer
piauí #37


Carta de Gaza
A. J. Liebling foi um dos grandes nomes do jornalismo americano do século XX. 
Ele esteve na Faixa de Gaza em 1957, pouco depois de Israel ter encerrado quatro meses de ocupação do território. Escrito há pouco mais de 50 anos, seu relato continua atual.
A. J. Liebling
piauí #29


Melhores 2009 - Parte II


De veterinário a agente
O chato de ser agente penitenciário é ter que ficar escutando os presos se vangloriando dos crimes que cometeram
Leonardo Ferreira de Lira
piauí #31


O império global da mandioca
O segredo do biscoito de polvilho que veio de São Paulo e conquistou o Rio de Janeiro com uma receita mais do que simples.
Clara Becker
piauí #32


A busca, noite adentro
O que eu quero é o breu da noite como condição, como algo no qual eu possa afundar e me dissolver.
Per Petterson
piauí #32


Esse russo filho-da-puta está destruindo meu ego
Uma jovem atriz paulista passa um mês em Moscou em pleno inverno para estudar Stanislavski
Martha Nowill
piauí #30


O tio pelo sobrinho
Exército prendeu e torturou o homônimo.
Luiz Maklouf Carvalho
piauí #30


Hany no Alá-lá-ô
Um diretor palestino que veio ao Brasil filmar um livro de Paulo Coelho observa as diferenças entre o Ocidente capitalista, o Oriente Médio fundamentalista e o Rio da sensualidade ensolarada.
Fernanda Torres
piauí #34


9 de novembro de 1989 e eu
Lembranças do dia em que a avenida Karl Marx ficou engarrafada pela primeira vez e as prateleiras se encheram de chocolates.
Tim Apmann
piauí #38


Melhores 2009 - Parte III


Mulher Filé dá capilé a repórter nerd
Com bom humor, sensacionalismo, invenções e vulgaridade, o Meia Hora resiste às Organizações Globo no Rio.
Roberto Kaz
piauí #28


Como não ser ator
No curso de Fátima Toledo, a preparadora de elenco de nove entre dez filmes nacionais, é proibido representar.
Emilio Fraia
piauí #28


Fina sintonia
Intérpretes são testemunhas privilegiadas da história. E costumam guardar segredos com rigor maior do que padres, médicos ou mordomos.
Dorrit Harazim
piauí #36


O arcaico e o moderno
A amizade epistolar entre Mário de Andrade e Pio Lourenço Corrêa.
Gilda de Mello e Souza
piauí #31


Petróleo encalacrado no pré-sal
Achar petróleo a 5 mil metros de profundidade exigiu centenas de milhões de dólares e uma operação de guerra. Será preciso muito mais para tirá-lo de lá.
Consuelo Dieguez
piauí #28


Maquiavel e a mulher mais feia do mundo
O autor conta em detalhes como traçou o ser mais desprovido de encanto dos últimos tempos.
Caio Túlio Costa
piauí #33


Melhores 2009 - HQs


Eduardo tem que salvar a humanidade
Quadrinhos
Allan Sieber
piauí #30


Nicotina
Quadrinhos
Caco Galhardo
piauí #38


Minha jaula, minha vida
Quadrinhos
André Dahmer
piauí #31


Cachalote
Quadrinhos
Daniel Galera e Rafael Coutinho
piauí #33

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Bate-papo literário com Emmanuel Mirdad no Soterópolis TVE




Os escritores Emmanuel Mirdad, Davi Boaventura e Masé Quadros num bate-papo com Ricardo Castro, no Programa Soterópolis (TVE Bahia) de 21/02/2013.

Filmado da internet por um celular.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Edmilia Barros, sócia da Mirdad - Gestão em Cultura

Edmilia Barros, nova sócia da Mirdad Gestão em Cultura (foto: Bob Nunes)


Quarta-feira, 20 de fevereiro. Na página oficial do Facebok, a Mirdad - Gestão em Cultura anunciou que a produtora cultural Edmilia Barros é a nova sócia de Emmanuel Mirdad na empresa baiana. A empresária será a Diretora Executiva e de Conteúdo, responsável também pela concepção e administração dos projetos da produtora junto ao seu sócio. O lançamento do site oficial da Mirdad - Gestão em Cultura será em março. Aláfia!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Vamos ouvir: BaianaSystem, o som do verão

BaianaSystem, por Filipe Cartaxo


Release do BaianaSystem ao longo do post, disponível no site da banda:

"
A Bahia exporta para o mundo o som produzido pela guitarra baiana. E é para mostrar as novas possibilidades sonoras do instrumento popularizado no Carnaval de Salvador que, há dois anos, o BaianaSystem produz uma música urbana com influências das culturas brasileira, africana e jamaicana. “Eu não gosto da ideia de resgate, porque referencia o passado. A guitarrinha precisa dialogar com o que está se produzindo hoje”, ressalta o idealizador do projeto, Robertinho Barreto.

Nas mãos dele, a guitarrinha dialoga de forma harmônica com as sonoridades africanas e com a liberdade e psicodelia do dub. O instrumento se renova e interage com as bases trabalhadas e mixadas por Chico Corrêa e João Meirelles. Em todas as músicas produzidas pelo grupo há inserções de sons e efeitos com liberdade de improvisos. 
"


Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

"
O vocal também é especial. Na voz de Russo Passapusso, o BaianaSystem explora novas possibilidades de timbragens e de interação com a produção das bases rítmicas dos sound system`s. Essa linguagem e a filosofia das “colagens” dos sistemas de sons, do recriar a partir do existente, tornam o desafio do grupo.

BaianaSystem tem um formato que possibilita diversas combinações, “sistemas”. Com isso, amplia a ideia de sound system`s para novas timbragens, estéticas e formações musicais. A base do grupo, no entanto, vem sendo preparada pelo núcleo formado pelo guitarrista Robertinho Barreto, o vocalista Russo Passapusso, o baixista e também produtor do disco Marcelo Seco, o percussionista Wilton Batata e o DJ João Meireles (bases e mixdubs).

Concepção visual – BaianaSystem tem uma concepção visual idealizada e executada por Filipe Cartaxo. Em todos os materiais produzidos para a banda, Filipe explora grafismos como referências às manifestações populares da Bahia, como o Carnaval e as demais festas de largo.
"



Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

"
CD – Toda essa inventividade sonora pode ser conferida no primeiro CD homônimo ao grupo, onde o BaianaSystem canta a cidade e suas nuances cotidianas. Para reforçar o time, o disco conta com participações como as de Chico Corrêa, Lucas Santtana, Gerônimo, Roberto Mendes, Buguinha Dub e o mais constante parceiro do grupo, BNegão. O álbum teve grande aceitação do público e da mídia, tendo recebido críticas positivas de revistas especializadas em música, como a Bravo.

Reconhecimento – O BaianaSystem já participou de projetos, além de ter sido apoiado por editais como Conexão Vivo (2010 e 2011), Caixa Cultural (2010) e Oi Futuro (2011). Dentre as apresentações do grupo no ano passado estão a Womex/Dinamarca, World Music Shangai e Expo Shangai/China em 2010, o Festival de Inverno de Garanhuns, o Brasil Rural Contemporâneo 2010 de Brasília, o REC Beat de Pernambuco, o Festival UFSCAR de São Paulo e o Sesc/Prata da Casa, no mesmo estado.

"


Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Vamos ouvir: House of Tolerance, da banda Cambriana


House of Tolerance (2012) - Cambriana


Release da Cambriana, disponível no site da banda:

"

Cambriana é uma banda de “pop psicodélico” de Goiânia, Goiás, inspirada por artistas como Brian Eno, The Kinks, Grizzly Bear, Neil Young, Radiohead, entre outros.

Luis Calil (vocal) iniciou o processo de criação do álbum de estreia da banda, House of Tolerance, no fim de 2010, com ajuda via internet de um amigo de Brasília, Wanderson Meireles, nas composições, e apoio de Rafael Morihisa e Israel Santiago (guitarristas) nas gravações.

Um ano depois, o álbum - gravado, produzido e mixado pela própria banda, sem qualquer ajuda externa - foi disponibilizado na internet, no dia 27 de Janeiro de 2012. Ele se espalhou rapidamente pelas redes sociais, e foi elogiado por praticamente todos os sites de música alternativa do Brasil (como Move That Jukebox, Rock In Press, Rock ‘n’ Beats, Meio Desligado, Miojo Indie, etc).

Em poucos meses, a banda já contava com milhares de seguidores no Facebook e Twitter, dezenas de milhares de downloads, e centenas de milhares de acessos no YouTube. Convites de shows levaram a banda a completar sua formação ao vivo com Pedro Falcão (baixo), Heloísa Cassimiro (bateria) e Wassily Brasil (teclado).

Ao longo de 2012, a banda se apresentou em várias cidades de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, e Brasília. O grupo também tocou em grandes festivais como o Vaca Amarela, em Goiânia (ao lado do Móveis Coloniais de Acaju e Black Drawing Chalks), e o Canto da Primavera, em Pirenópolis, onde dividiu o palco com artistas como o Otto, Marcelo Jeneci, Criolo e Milton Nascimento.

Em Setembro, saiu o primeiro clipe, da música The Sad Facts (que rapidamente alcançou mais de 30 mil acessos), e o lançamento da versão física de House of Tolerance, pelo selo Fósforo Cultural. A banda, no entanto, já estava no segundo mês do processo de criação de um novo EP, que viria a ser lançado no início de 2013.
"

Vamos ouvir o ótimo álbum House of Tolerance. Aperte o play e curta:




Não consegue visualizar o player? Ouça aqui


HOUSE OF TOLERANCE 
released 27 January 2012 
1. Vegas
2. Astray
3. Face to Face
4. Safe Rock
5. Better Days
6. Waitress
7. Big Fish
8. The Sad Facts
9. Swell
10. Invicto

Todas as músicas compostas por Luis Calil. "Waitress" e "Invicto" compostas em co-autoria com Wanderson Meireles. 

Álbum produzido e gravado por Luis Calil, Wanderson Meireles, Rafael Morihisa e Israel Santiago. Violinos em "Invicto" gravados por Carol Steinkopf. 

Vocais e violões gravados no Estúdio Volt (GO). 

Mixado por Luis Calil. 

Foto usada na capa por Kaspar Oja. (kasparoja.tumblr.com)

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Melhores da revista piauí em 2010

Capas das revistas piauí 42, 45, 47, 41, 51, 46, 44 e 49 de 2010.


Os 16 melhores textos/HQs que foram publicados na revista piauí em 2010 você confere nos links abaixo, selecionados por mim, assinante (primeiro das bancas e depois na forma padrão) desde a piauí_5, num levantamento que fiz em 2013.

A melhor piauí de 2010 foi a de número 42, de março, com destaque para a excelente reportagem do médico e escritor norte-americano Atul Gawande sobre o poder misterioso da coceira, que pode ser a chave para uma nova teoria sobre o cérebro e o corpo, e o premiado conto Dochera, do escritor boliviano Edmundo Paz Soldán, em tradução de Sérgio Molina.

Completando o top five, a #45 (junho), com o melhor texto publicado pela revista no ano, o hilário Prevaricações primevas, de Reinaldo Moraes; a #47 (agosto), com os contos escolhidos da escritora norte-americana Lydia Davis; a #41 (fevereiro), com o perfil do jovem advogado Ricardo Zamariola Jr., que venceu a mais célebre causa de direito de família dos últimos tempos (o caso Sean), por Dorrit Harazim; e a #51 (dezembro), com a excelente HQ Insônia, de Caco Galhardo. A pior piauí do ano, foi a #40, de janeiro.

PS: Os links foram retirados do post porque a revista trocou de servidor duas vezes, e não há como definir se o conteúdo continuará disponível na internet. Recomenda-se procurar o site da revista no Google, e pesquisar pelo título da matéria para verificar se está disponível para leitura ou não.


Melhores 2010 - Parte I


Prevaricações primevas
Adão desistira de dormir para não perder a contemplação extática da mulher
Reinaldo Moraes
piauí #45


A coceira
Seu poder misterioso pode ser a chave para uma nova teoria sobre o cérebro e o corpo.
Atul Gawande
piauí #42


Dochera
Mulher que espera um taxi na noite e enlouquece homens solitários sem consolo - sete letras
Edmundo Paz Soldán
piauí #42


Contos escolhidos
Depois de falar com filho, esposa número um, não raro raivosa, janta sozinha, embora na companhia de uma grande televisão.
Lydia Davis
piauí #47


A travessia de Suez
“A Travessia de Suez” é uma novela, ou seja, um conto longo ou um romance curto, da qual damos aqui, em primeira mão, o primeiro capítulo. Resumo: um sujeito morre e, ao chegar nas altas instâncias celestiais, descobre que foi uma encarnação de Deus na Terra, sem jamais se dar conta disso. 
Reinaldo Moraes
piauí #46 - Flip 2010


O funeral da memória
O mundo ocidental transformou o 65º aniversário da libertação de Auschwitz numa cerimônia nacional, sem que nenhum cigano e nenhum judeu, que não falassem polonês, fossem convidados a se expressar na língua que era a deles quando foram aniquilados.
Catherine Herszberg
piauí #44


Matem todos os americanos
A revolta de trabalhadores na Amazônia contra os gerentes de Fordlândia.
Greg Grandin
piauí #45


Zamariola sai do casulo
Quem é o advogado de 28 anos que venceu a mais célebre causa de direito de família dos últimos tempos - o caso Sean - e como ele viveu a maratona que antecedeu o embarque do menino para os Estados Unidos.
Dorrit Harazim
piauí #41


Melhores 2010 - Parte II


Reflexos do palco
Ribaltas, glórias, malediscências e rapazes bem dotados: as cartas de John Gielgud
Cartas de John Gielgud - Parte I
piauí #46


Últimos reflexos do palco
Sessenta anos gloriosos de teatro não foram suficientes para que John Gielgud se transformasse num rosto conhecido da multidão
Cartas de John Gielgud - Parte II
piauí #47


O malandro voltou fissurado
No romance Pornopopéia, Reinaldo Moraes retoma a ginga dialética de um sargento de milícias e faz o vadio enfrentar o presente.
Mario Sergio Conti
piauí #51


O louco de palestra
Ele sempre começa com “Eu gostaria de fazer uma colocação”.
Vanessa Barbara
piauí #49


Soco, sufoco e fogo no gogó de GOG
A polícia perversa pega pretos, pobres e prostitutas, os políticos prometem em palanques praias e piscinas, pura palhaçada em proveito próprio, mas o poeta da periferia prevê populares portando pistolas, pólvora, pescoço, peito e pulmões perfurados.
Luiz Maklouf Carvalho
piauí #41


Caro, trabalhoso, chato
O jornalismo investigativo americano luta para sobreviver.
Branca Vianna
piauí #49


Melhores 2010 - HQs


Insônia
Quadrinhos
Caco Galhardo
piauí #51


O homem de cabeça de papelão
Quadrinhos
Allan Sieber
piauí #41

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Melhores da revista piauí em 2011

Capas das revistas piauí 55, 59, 56, 61, 52, 58, 62, 53, 57, 54 e 63 de 2011.


Os 26 melhores textos/HQs que foram publicados na revista piauí em 2011 você confere nos links abaixo, selecionados por mim, assinante (primeiro das bancas e depois na forma padrão) desde a piauí_5, num levantamento que fiz em 2013.

A melhor piauí de 2011 foi a de número 55, de abril, com destaque para os cartuns de Wolinski, a versão controversa das histórias de Persio Arida na época da ditadura, as lembranças da construção de Brasília por Marcos de Azambuja, e os textos de Saul Steinberg e Fred Vargas, entre outros.

Completando o top five, a #59 (agosto), com a reportagem de Marcia Angell sobre o assustador crescimento do número de pessoas com transtornos mentais e de pacientes tratados com antidepressivos; a #56 (maio), com o melhor texto publicado pela revista no ano, a emocionante reportagem de Consuelo Dieguez sobre a tragédia da Região Serrana do Rio; a #61 (outubro), com o texto de Curzio Malaparte, autor de A Pele e Kaputt; e a #52 (janeiro), com o escritor irlandês Colm Tóibín narrando a trajetória de seu país, da pobreza à prosperidade e de volta à pobreza, em apenas quinze anos, e a reportagem de Clara Becker sobre os médicos legistas. A pior piauí do ano, foi a #60, de setembro.

PS: Os links foram retirados do post porque a revista trocou de servidor duas vezes, e não há como definir se o conteúdo continuará disponível na internet. Recomenda-se procurar o site da revista no Google, e pesquisar pelo título da matéria para verificar se está disponível para leitura ou não.


Melhores 2011 - Parte I


O fim do mundo
A catástrofe de Friburgo, obra nacional.
Consuelo Dieguez
piauí #56


Misteriosa entrega e mudança de si mesmo
A imersão do autor de O Jogo da Amarelinha nos labirintos secretos de Paris.
Cartas de Julio Cortázar | Introdução de Davi Arrigucci Jr.
piauí #58


O traidor
“Não chore”, disse-lhe o embaixador, “vamos mandá-lo para a Espanha. Você vai ser bem acolhido. Vai ser perdoado. Não é culpa sua se os russos fizeram de você um comunista quando ainda era um menino. Não chore”.
Curzio Malaparte
piauí #61


Rakudianai
A política, a prisão, o encontro com o crocodilo, o julgamento e meu pai: lembranças de quarenta anos atrás.
Persio Arida
piauí #55


Migalhas de um casamento
Com 86 anos, a gente tem o direito de começar a viver. Tem noites assim. Noites em que um homem se levanta e age.
Fred Vargas
piauí #55


A epidemia de doença mental
Por que cresce assombrosamente o número de pessoas com transtornos mentais e de pacientes tratados com antidepressivos e outros medicamentos psicoativos.
Marcia Angell
piauí #59


Minha dor não sai no jornal
Eu era fotógrafo de O Dia, em 2008, quando fui morar numa favela para fazer uma reportagem sobre as milícias. Fui descoberto, torturado e humilhado. Perdi minha mulher, meus filhos, os amigos, a casa, o Rio, o sol, a praia, o futebol, tudo.
Nilton Claudino
piauí #59


Ouvindo os mortos
Médicos legistas são uma espécie rara: aos vivos, preferem os que já não podem falar, mas ainda têm muito a dizer.
Clara Becker
piauí #52


Tufão, tromba, trombeta: dadá
Odores de Bucareste, solidão em Milão, restaurantes franceses com cozinheiros chineses em Nova York.
Saul Steinberg
piauí #55


Minha natureza atormentada
Durante mais de três décadas, o escritor americano John Cheever registrou metodicamente seus abismos interiores: alcoolismo, um casamento atritado, bissexualismo clandestino, solidão e remorso. Publicado postumamente, o diário soturno alterou de maneira definitiva a imagem do artista tido como o arauto da beleza e da luz.
John Cheever
piauí #53


Ler um romance
Acompanhamos essas histórias como se observássemos uma paisagem e, transformando-a em pintura com os olhos da mente, deixamos que ela nos influencie.
Orhan Pamuk
piauí #62


Videla é a mãe
A inauguração de Brasília e a missão brasileira na ONU: às vezes, a clareza e a brevidade são absolutamente necessárias.
Marcos de Azambuja
piauí #55


Melhores 2011 - Parte II


Curtindo adoidado
A vida e as tentações de Keith Richards (trecho da biografia).
David Remnick
piauí #52


Cadeia de erros
Como e por que o Legacy da Embraer bateu no Boeing da Gol e matou 154 pessoas.
Ivan Sant'anna
piauí #57


Pátria e morte
Notas e correspondências deixadas por kamikazes japoneses na Segunda Guerra Mundial.
Emiko Ohnuki
piauí #61


O preço da felicidade, o custo da desgraça
Em texto exclusivo para a piauí, o escritor irlandês narra a trajetória de seu país, da pobreza à prosperidade e de volta à pobreza, em apenas quinze anos.
Colm Tóibín
piauí #52


Casa bem-assombrada
O Itamaraty antes da sua ida para Goiás.
Marcos de Azambuja
piauí #54


Com Roberto Marinho
Minhas três décadas de trabalho na construção da Rede Globo, ao lado do dono.
José Bonifácio de Oliveira Sobrinho
piauí #63


Os que morrem, os que vivem
Champinha, estuprador e assassino, continua preso apesar de ter cumprido sua pena.
Luiz Henrique Ligabue
piauí #56


Curtindo a vida adoidado
Com suas frases impagáveis, agressões a mulheres, teorias conspiratórias sobre o 11 de Setembro e seu exibicionismo, Charlie Sheen supera o Império do Entretenimento e redefine o papel da celebridade no panorama cultural.
Bret Easton Ellis
piauí #56


Em defesa da obra
As corporações da mídia querem que os escritores trabalhem de graça, não façam arte e exponham a vida privada na internet – e contam com o apoio de Paulo Coelho.
Bernardo Carvalho
piauí #62


Senhor Norma Culta
Evanildo Bechara defende que o aluno deva ser poliglota em sua própria língua. “Ninguém vai à praia de fraque ou de chinelo ao Municipal”, diz.
Clara Becker
piauí #57


O mundo gira e o lusitano roda
Aos 102 anos, e com uma obra de mais de quarenta filmes, o diretor português Manoel de Oliveira se prepara para levar às telas três contos de Machado de Assis.
Paulo Nogueira
piauí #57


Melhores 2011 - HQs


Meio século de sexo - Cartuns
Os costumes eróticos franceses.
Wolinski
piauí #55


Desencontros literários
Quadrinhos
Caco Galhardo
piauí #59


Cartuns
Nani
piauí #59

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Smetak 100 anos

Smetak 100 anos - intervenção de Mirdad

SMETAK 100 ANOS
12/02/1913 - 12/02/2013

Centenário do mestre Walter Smetak em onze links:

I. Matéria no jornal O Estado de São Paulo sobre os 100 anos de Anton Walter Smetak - leia aqui

II. Homenagem de Gilberto Gil a Smetak - veja aqui

III.  Matéria no Programa Metrópolis da TV Cultura - veja aqui

IV. Quem foi pelo blog Linha do Tempo da Invenção Musical - conheça aqui

V. Vídeo "Smetak, som e espírito", produzido por Jessica Smetak Paoli, neta de Smetak, autora da biografia do mestre de mesmo nome do vídeo - assista aqui

VI. Post do centenário de Smetak pelo Blog do Guttemberg - leia aqui

VII. Conheça um dos 2 LPs lançados pelo mestre Anton Walter Smetak, nessa lista de vídeos do youtube. Trata-se de "Smetak", de 1974 - ouça aqui e download aqui

VIII. Site oficial da exposição "Smetak - Imprevisto" - acesse aqui

IX. Documentário sobre a exposição "Smetak - Imprevisto" - assista aqui

X. Texto e ilustração sobre Smetak pelo artista Miguel Cordeiro - leia e veja aqui

XI. Blog "Smetak, som e espírito", de Jessica Smetak Paoli - acesse aqui

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Melhores da revista piauí em 2006

Capas das revistas piauí 03, 01 e 02 de 2006.


Os 13 melhores textos/HQs que foram publicados na revista piauí em 2006 você confere nos links abaixo, selecionados por mim, assinante (primeiro das bancas e depois na forma padrão) desde a piauí_5, num levantamento que fiz em 2015.

A melhor piauí de 2006 foi a de número 03, de dezembro, com destaque para o melhor texto publicado na revista no ano, as memórias de Millôr Fernandes, com uma bela introdução de Mario Sergio Conti, além das reflexões de Fernanda Torres sobre o pânico de ser atriz e a decepção dos pesquisadores de Guimarães Rosa por seus herdeiros impedirem a publicação de cartas e anotações do autor de Sagarana, entre outros.

No ano de estreia, destaca-se também a #02 (novembro), com João Moreira Salles detonando o limbo e a crônica de Antonio Prata sobre os riscos de ir de São Paulo ao Rio de carro; e a #01 (outubro), com o conto de Rubem Fonseca, o diário da escritora Cecília Giannetti batalhando em NY e a reportagem de Sílvio Ferraz sobre o sequestro do engenheiro brasileiro no Iraque.

PS: Os links foram retirados do post porque a revista trocou de servidor duas vezes, e não há como definir se o conteúdo continuará disponível na internet. Recomenda-se procurar o site da revista no Google, e pesquisar pelo título da matéria para verificar se está disponível para leitura ou não.


Melhores 2006 - Parte I


Millôr, um nome a zelar
Millôr se impõe uma forma fixa, a identidade nominal, e, dentro da prisão de si mesmo, expõe a liberdade
Millôr Fernandes, Mario Sergio Conti
piauí #03


O limbo não passa de um teologúmeno
O que a libertinagem, a fraqueza, as salas de espera e, talvez, a irmãzinha do Papa têm a ver com o destino das crianças inocentes
João Moreira Salles
piauí #02


No dorso instável de um tigre
O pânico de ser atriz vem da autoconsciência, do julgamento de si mesmo, da expectativa e de qualquer ruído que lembre o quão inútil é a profissão
Fernanda Torres
piauí #03


Diário arquivado
Para decepção dos pesquisadores de Guimarães Rosa, seus herdeiros impedem a publicação de cartas e anotações do autor de Sagarana
Cassiano Elek Machado
piauí #03


How do you do, Dutra?
É mais arriscado [e divertido] ir de São Paulo ao Rio de carro do que remar da África a Salvador
Antonio Prata
piauí #02


Miriam
Miriam, a mulher com um problema na garganta
Rubem Fonseca
piauí #01


Melhores 2006 - Parte II


Hoje o bicho pega na boate
O primeiro emprego em Nova York ninguém esquece
Cecília Giannetti
piauí #01


Desaparecido no deserto
Mistérios do sequestro do engenheiro brasileiro no Iraque
Sílvio Ferraz
piauí #01


A primeira menina do mundo
Nasceu na África há 3,3 milhões de anos
Marcos Sá Corrêa
piauí #01


Aí é luta, patuléia!
Uma desavença fonética opõe a jovem guarda aos palindromistas tradicionais - seria "Acena, Vanessa!" aceitável?
Vanessa Barbara
piauí #02


Enlarge your penis!
Mitos e realidades sobre os métodos de aumento do órgão masculino mais importante depois (depois?) do cérebro
Antonio Prata
piauí #03


O terceiro homem
Peter Norman, o branco solidário com o protesto negro
Dorrit Harazim
piauí #02


Melhores 2006 - HQ


Jean-Paul Sartre
Edward Sorel traça o perfil de Jean-Paul Sartre, o filósofo que, além do existencialismo, defendia a poligamia
Edward Sorel
piauí #03

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Melhores da revista piauí em 2012

Capas das revistas piauí 72, 67, 68, 71, 75, 69, 70, 74, 66 e 73 de 2012.


Os 36 melhores textos/HQs que foram publicados na revista piauí em 2012 você confere nos links abaixo (acesso gratuito e para assinantes da revista), selecionados por mim, assinante (primeiro das bancas e depois na forma padrão) desde a piauí_5, num levantamento que fiz em 2013.

A melhor piauí de 2012 foi a de número 72, de setembro, com destaque para o melhor texto publicado na revista no ano (e, até agora, o melhor de todas as edições), Pense na lagosta, de David Foster Wallace, o diário de Noemi Jaffe sobre os campos de concentração na 2ª Guerra Mundial e a história de paixão, revolução e traição durante a Revolução Cubana, entre outros.

Completando o top five, a #67 (abril), com o texto de Thomas Lynch sobre um profissional da morte, os últimos momentos de Tony Judt registrados por sua viúva e as lembranças de Fernanda Torres sobre a filmagem de Kuarup; a #68 (maio), com o texto de Francisco Goldman sobre os órfãos roubados na ditadura argentina e o que Clint Eastwood aprendeu; a #71 (agosto), com a súplica de um filho para que deixem sua mãe partir e um trecho da biografia de Carlos Marighella; e a #75 (dezembro), com o relato de uma tragédia numa praia do México e a reportagem de Consuelo Dieguez sobre uma operação desastrosa da Polícia Federal. A pior piauí do ano, foi a #64, de janeiro.

PS: Os links foram retirados do post porque a revista trocou de servidor duas vezes, e não há como definir se o conteúdo continuará disponível na internet. Recomenda-se procurar o site da revista no Google, e pesquisar pelo título da matéria para verificar se está disponível para leitura ou não.


Melhores 2012 - Parte I


Pense na lagosta
Uma incursão num mundo de exageros, mau gosto, prazeres e crueldade.
David Foster Wallace
piauí #72


A onda
Uma tragédia no México.
Francisco Goldman
piauí #75


Depois da lavoura
Trinta anos após deixar a literatura, Raduan Nassar doa sua fazenda a uma universidade pública, abandona a agricultura e se recolhe em silêncio no Retiro Feliz.
Rafael Cariello
piauí #70


O cérebro do meu pai
Trecho do livro Como ficar sozinho.
Jonathan Franzen
piauí #69


O papa-defunto
No interior dos Estados Unidos, um profissional da morte relata sua experiência.
Thomas Lynch
piauí #67


Filhos da guerra suja
Os órfãos roubados na ditadura argentina.
Francisco Goldman
piauí #68


O comandante ianque
Uma história de paixão, revolução e traição.
David Grann
piauí #72


Minha cerimônia do adeus
Num domingo de sol, vou ao cinema e começo a chorar no trailer. Eram as imagens de Xingu. Subitamente, me vi com 23 anos, de volta ao paraíso/inferno das filmagens de Kuarup, uma experiência que nunca mais me deixou e da qual me despeço aqui.
Fernanda Torres
piauí #67


A poeta e a pedra
Poemas de Wislawa Szymborska.
Eucanaã Ferraz
piauí #66


Uma vida que merece se encerrar
A era dos milagres da medicina criou uma nova fase de envelhecimento que não é vida e não é morte. A súplica de um filho para que deixem sua mãe partir
Michael Wolff
piauí #71


Nem vivos nem mortos
Os campos de concentração são a fome; mais do que tudo é ela a determinante de todos os outros acontecimentos, belos ou horríveis
Diário de Liwia Jaffe
piauí #72


Melhores 2012 - Parte II


Glória e perdição
Como uma operação da Polícia Federal contra o tráfico de drogas com ares de filme épico terminou em chanchada.
Consuelo Dieguez
piauí #75


Tudo que é ar desmancha no sólido 
Eurocopa 2012, quixotismos e crise espanhola.
Germán Labrador Méndez 
piauí #71


Tiro no cinema
Fragmento da biografia de Carlos Marighella.
Mário Magalhães 
piauí #71


Tentei fazer com meu filho o que o meu pai 
não conseguiu fazer comigo
O que aprendi.
Ozzy Osbourne
piauí #71


Volta, Rê Bordosa, vem viver outra vez ao meu lado
A doida não vinha com nenhum discursinho iconoclasta, tedioso e previsível, nenhuma palavra de ordem; era vexame em estado puro, libido destrambelhada, narcofissura, “falta de noção”.
Reinaldo Moraes
piauí #68


O intelectual é um urubu
Um bolo de rolo com o premiado padre-poeta Daniel Lima.
Ronaldo Bressane
piauí #68


No país do grande e amado Peterson
Intelectual paquistanês relembra as duas vezes em que esteve na Coreia do Norte, a convite do ditador Kim Il Sung: “Nunca em toda a minha vida senti tamanha aversão a um personagem político de esquerda”.
Tariq Ali
piauí #69


O fotógrafo que deu vida à morte
Alemão nascido em Berlim, Horst Faas alterou como poucos o curso da guerra travada pelos Estados Unidos no Vietnã.
Dorrit Harazim
piauí #69


Tony Judt: A vitória final
Durante dois anos de calvário, o historiador encontrou forças para escrever três livros, o último deles Pensando o Século XX, seu testamento intelectual: “A única coisa a respeito da qual ele era idealista era o debate público sério. Era só isso, além do amor, que restava em pé, não importava quanto a doença devastasse tudo o mais – e não era pouco o que ela devastava”, diz sua mulher.
Jennifer A. Homans
piauí #67


Se eu fosse mais disciplinado, poderia ter sido músico
O que aprendi.
Clint Eastwood
piauí #68


Pôr do sol em Ipanema
Humor do Méier ao Arpoador - Obituário de Millôr Fernandes.
Mario Sergio Conti
piauí #67


Melhores 2012 - Parte III


A transição
Lyndon Johnson e o dia do assassinato de John Kennedy.
Robert A. Caro
piauí #74


O petróleo depois da festa
Passados cinco anos da descoberta do pré-sal, área de exploração das reservas encolhe.
Consuelo Dieguez 
piauí #72


Cidade do átomo
Na fronteira entre França e Suíça, milhares de pesquisadores trabalham juntos em busca da nova física.
Bernardo Esteves
piauí #74


Era uma vez a transposição
Erros de planejamento do governo, açodamento político e pouco caso das empreiteiras encarecem, atrasam e comprometem as intermináveis obras do rio São Francisco.
Paula Scarpin
piauí #75


O liberal contra a miséria
A vida e as disputas com o PT do economista Ricardo Paes de Barros, o arquiteto improvável do programa social de Lula.
Rafael Cariello
piauí #74


A terra de Meirelles
Às vésperas de lançar mais um filme internacional, o cineasta reflete sobre as diferenças entre trabalhar no exterior e no Brasil.
Renato Terra
piauí #68


A década perdida
Como a Microsoft, a empresa mais valiosa do mundo em 2000, perdeu a vanguarda tecnológica, se burocratizou e foi atropelada pelos concorrentes.
Kurt Eichenwald
piauí #73


Cooperação conturbada
Quem são e por que brigam os editores da Wikipédia em português.
Bernardo Esteves
piauí #70


Tiririca no salão
O deputado mais votado do país chegou a Brasília como a maior piada da política brasileira. Uma vez lá, resolveu se levar a sério.
Clara Becker
piauí #68


O povo pop no poder
No livro Lulismo, Tales Ab’Sáber investiga o carisma do ex-presidente e os limites da crítica num Brasil em que todos são fãs de Paul McCartney.
Mário Sérgio Conti
piauí #69


Melhores 2012 - HQs


Sapato velho
Quadrinhos
Caco Galhardo
piauí #70


Cartuns de Alberto Montt 
piauí #75


Julio, Gina, Brigitte & tutti quanti 
Quadrinhos
Caco Galhardo e Reinaldo Moraes
piauí #75


A iluminação do botox
Quadrinhos
Aline e Robert Crumb
piauí #69