sábado, 27 de fevereiro de 2010

Perambulando #12 - Mariana Magnavita

Mariana Magnavita, no seu 1º show em Salvador-BA

Perambulando é uma seção deste blog destinada a expôr os vídeos que irei registrar nas andarilhadas por aí.

Ontem foi o show de estreia em terra soteropolitana da baiana expatriada Mariana Magnavita, 27, cantora e compositora radicada em Oxford (Ing) há 16 anos. Aproveitando férias por aqui, juntou-se à produção precisa de Érica Telles e Ricardo Dantas, e apresentou um show intimista, no aconchego do Ciranda Café (Fonte do Boi, Rio Vermelho), baseado em seu 1º CD, White, lançado de forma independente na gringa.

Acompanhada pela precisão dos excelentes músicos Jorge Solovera (violão e direção musical), Fernanda Monteiro (violoncelo) e Laura Jordão (viola), Mariana abriu o show sozinha, cantando London London, de Caetano Veloso. O público, repleto de amigos e familiares, lotou o espaço sentado no chão, em almofadas, numa situação um pouco desconfortável, e o ar condicionado não funcionou direito. Mesmo assim, a voz suave e precisa, amparada por uma fragilidade cândida, aconchegou-se ao colo da plateia, e desde a primeira canção entoada, ganhou a graça de todos.


Mariana Magnavita - Smugglers Land



Mariana Magnavita - I Ask My Father



A afinação correta e a empostação lírica, Mariana trouxe de sua experiência como cantora de coral. Ela deu um tempo de sua carreira no audiovisual pra poder dedicar-se à música que, por mais que não trate disso, é um percurso de carreira que não depende de tanto e tantos outros.

À vontade em seu 1º show em Salvador, a cada início de música, comentava o que a letra tratava, pra firmar mais ainda a sua “roda de violão e amigos” que caracterizou sua apresentação. Risadas, com a freqüência constante de comentários sobre o desamor, muso de várias canções. Sem esquecer da malícia sutil que deixou escapar (ou quis que) ao falar sobre o amor livre, de meio período, de que trata sua canção Part Time Honey, logo abaixo. Nada mais “verão na Bahia ê” que esses amores para situações específicas. Folk-se!


Mariana Magnavita - Part Time Honey



Mariana Magnavita - Things That Go Around



Mariana Magnavita - We Walk Alone



Se você gostou do som da Mariana Magnavita, aproveite que no próximo sábado, dia 06 de março, ela faz um repeteco do show no mesmo bat-local -horário que este: Ciranda Café Cultura e Artes, na Fonte do Boi (Rio Vermelho), 21h, $10, com a discotecagem astral do DJ Munch na sequencia.

-----------------




Mariana Magnavita







.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Q.I.: Mariana Magnavita e Seminário Economia da Música


Sexta 26/02

Mariana Magnavita

O público baiano poderá conferir em casa o novo trabalho da cantora e compositora Mariana Magnavita, o álbum White (2009). A artista, que vive em Oxford, Inglaterra, e passa temporada de verão em Salvador, apresentará repertório baseado no disco, no Ciranda Café, no dia 26.02, ao lado de Jorge Solovera (violão), Fernanda Monteiro (violoncelo) e Laura Jordão (viola) – integrantes da Orquestra Sinfônica da Bahia. Será o primeiro show de Mariana fora da Inglaterra.

De estilo folk, com nuances do pop e da música celta, White é o primeiro disco da artista e foi elogiado por revistas especializadas britânicas, como Nightshift e Oxford Music Scene. Trata-se de um trabalho solo, independente, marcado pela voz melodiosa de Mariana na execução de canções de sua autoria que falam de vivências pessoais, refletindo temas universais, como amor e espiritualidade. As músicas são enriquecidas pela presença de instrumentos acústicos como violino, flauta doce, trompete, mbira, glockenspiel e piano. (Ouça aqui)

Onde: Ciranda Café, Cultura e Artes (Rua Fonte do Boi - Rio Vermelho)
Horário: 21h
Quanto: $ 10




Sexta e Sábado 26 e 27/02

Seminário Economia da Música

O Seminário Economia da Música, uma realização da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e do SEBRAE-BA, acontecerá nos proximos dias 26 e 27 de fevereiro em Salvador. O encontro objetiva subsidiar a contratação de diagnóstico sobre o setor musical baiano através da apresentação de pesquisas recentes da área, e discussão de metodologias utilizadas. Com isto visam contribuir para a elaboração de políticas públicas que atuem diretamente no setor musical e na profissionalização dos seus agentes produtivos na Bahia.

Onde: Auditório Orlando Moscozo (SEBRAE) - Rua Horácio César, 64, 8º andar - Dois de Julho (próximo ao Largo dos Aflitos)
Horário: 8h
Quanto: Gratuito
Inscrições através do email: economiadamusica2010@gmail.com
Maiores informações: (71) 3116-4048

.

Intervalo: Grant Lee Buffalo

Grant Lee Buffalo - Fuzzy (Live in Frankfurt)


.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Estação Jazz #12: The Bad Plus

The Bad Plus

A atração do Estação Jazz desta segunda é o power trio de jazz norte-americano The Bad Plus. Formado no ano 2000, possui seis álbuns lançados e ficou famoso por suas virtuosas versões para clássicos do rock.

No programa de hoje, vamos conferir essas furiosas releituras para Black Sabbath (Iron Man), Yes (Long Distance Runaround), Rush (Tom Sawyer), Nirvana (Smells Like Teen Spirit) e Pink Floyd (Comfortably Numb), entre outros, além de composições próprias.

Quem trouxe a atração foi o convidado especial Alan Lobo, o Lobão, produtor cultural e pesquisador musical, que faz sua estreia nas ondas do rádio. Além de Mirdad, vai rolar a competente apresentação de Leto Vieira, que substituiu dignamente o gran chief Mário Sartorello.

Serviço:
Estação Jazz #12 com The Bad Plus
21h - Educadora FM 107,5
www.educadora.ba.gov.br

Confira aqui o Myspace do power trio e o site oficial.

.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Perambulando #11 - Tiganá & Luiz Brasil

Luiz Brasil e Tiganá Santana

Perambulando é uma seção deste blog destinada a expôr os vídeos que irei registrar nas andarilhadas por aí.

Depois de alguns meses fora do ar, a seção volta com tudo; de primeira mão, exclusivo do blog El Mirdad - Farpas e Psicodelia, destaco, na íntegra, o show da dupla espetacular de músicos baianos Tiganá Santana e Luiz Brasil, que rolou no dia 13.01.10 no restaurante Tom do Sabor, Rio Vermelho, em Salvador-BA. Acompanhados pelo exímio percussionista baiano Antenor Cardoso, os amigos celebraram a eficiente parceria que foi concretizada no álbum Maçalê, que será lançado em breve. Trata-se do álbum de estreia de Tiganá, que foi produzido por Luzbra, fruto de um edital ganho (1º lugar) em 2008.

Dois violões, aço e nylon, a percuteria de Antena e um repertório conciso, autoral de ambos, acrescido de duas canções do eterno mestre Dorival Caymmi. Nada mais que isso. E a plateia hipnotizada, nas confortáveis instalações do restaurante musical. É o bastante. Reverenciem a unidade do bom som.


Tiganá & Luiz Brasil - Reverência




Tiganá & Luiz Brasil - Querubim




Tiganá & Luiz Brasil - Vazante




Tiganá & Luiz Brasil - Azul Mar




Desde 2008 que acompanho os shows de Tiganá em Salvador. Após uma excelente temporada no Teatro Gamboa, que rendeu os vídeos que fazem parte do Videorelease dele que produzi (veja aqui), o artista ganhou o edital de gravação da Funceb em 1º lugar, entrando em estúdio respaldado por uma grande equipe, chefiada por ninguém menos que Luiz Brasil, o maior produtor musical deste país.

Pra resumir, o caro Luzbra acompanhou Caetano Veloso por dez anos, trabalhando como músico, arranjador e produtor, além de Gilberto Gil, Gal Costa e Maria Bethânia, entre outros. Foi o responsável pela produção e arranjos dos dois maiores sucessos comerciais de Cássia Eller, além de acompanhá-la como músico por divertidos anos também. Enfim, Luiz Brasil é o cara sábio que trabalha assim: o músico faz um take ruim, ele não diz “de novo”, e sim “então, vamos ouvir pra ver se ficou bom?”; mesmo que saiba que tá ruim, desse jeito, ele faz com que o músico ouça e reconheça ele próprio o erro; assim, não se envergonha e faz melhor no próximo take. Vi isto ao vivo. Esse sim é um profissional competente e sábio!

Surgiu então a parceria Tiganá e Luiz Brasil, que pariu um super álbum de música brasileira, que pela primeira vez na história fonográfica deste país, traz canções autorais gravadas em línguas africanas. E em francês também, como veremos abaixo. Maçalê já está disponível para compra (veja aqui), e pode ser ouvido aqui também.

Prossigamos com o show. Agora, pra mim, o grande momento do show: Tiganá interpretando a bela canção Vou Ver Juliana, do eterno mestre Dorival Caymmi. Que autoridade, meu caro! Poucos conseguem tal intenção itaponzeira! Como disse ontem pra ele: “Tiga, irmão, tenho certeza de que o mestre ficou contente, onde ele estiver”.


Tiganá & Luiz Brasil - Vou Ver Juliana




Tiganá & Luiz Brasil - A Luz do Oculto e o Sol do Sentimento




Tiganá & Luiz Brasil - Madalena




Tiganá & Luiz Brasil - Le Mali Chez La Carte Invisible





Desde o final da temporada do Teatro Gamboa, em 2008, que Tiganá faz alguns shows memoráveis em parceria com grandes músicos. O primeiro foi com o guitarrista sobrenatural Mou Brasil, um encontro “cabeçudaço”,que rendeu a belíssima canção Vencerá o Amor, que algum dia postarei aqui no blog; Tiganá prevê que venha gravá-la no seu próximo disco. Depois, foi a vez do mestre Roberto Mendes, com o show Vozes no Espelho; apenas voz e violão, numa incrível sintonia, registrada inclusive pela Perambulando (reveja aqui). Com o santamarense sábio (que afirma que Tiga veio antes dele), o compositor construiu a bela canção Sobre o Amor que Não Fez Bem, que também poderá entrar no próximo disco.

E, por fim, por enquanto, aproveitando a breve estadia de verão do amigo Luzbra, este show de supetão, acompanhados pela percussão sempre precisa e vibrante de Antenor Cardoso, vulgo Antena, que a Perambulando tem o enorme prazer de divulgar na íntegra, sem cortes.


Tiganá & Luiz Brasil - Cipó




Tiganá & Luiz Brasil - Festa de Rua




Tiganá & Luiz Brasil - Muloloki




Tiganá & Luiz Brasil - Dembwa (10 de Agosto)




Tiganá & Luiz Brasil - Do Fundo




E este foi o show na íntegra (e na ordem exata de apresentação das músicas) de Luiz Brasil e Tiganá Santana, que aconteceu no restaurante musical Tom do Sabor, na quarta-feira 13.01.2010. O blog El Mirdad - Farpas e Psicodelia agradece a Marcus Ferreira, por ter renderizado os vídeos, e a Minêu, por ter emprestado a câmera HD.

.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Especial: Rodrigo Damati (again)

























Íntegra das tirinhas Que Atirem a Primeira Pedra; O Pato, Semana Sci-Fi 01; Quase um Script de Manoel Carlos; Lojinha de Conveniências; Deixa, Deixa, Deixa; Natal em Família (Dos Outros); Bastava o Sunguete...; DEDEX - O Poder da Boa Leitura; Pior, Pior Mesmo; Amigo é Pra Essas Coisas; E Vá Cuidar da sua Vida, Antes que me Esqueça; e Amigável Lista de Afazeres do Dia, de Rodrigo Damati, publicadas no fotolog 29 Tiras (2009-2010). www.fotolog.com.br/29tiras

.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Especial: Bob Marley

foto: Adrian Boot

Hoje, caso estivesse vivo, Bob Marley faria 65 anos. Quero prestar aqui a minha homenagem a este grande artista, um ícone insuperável, responsável pela maior experiência que tive e que tenho em relação à música. Dentre tudo que já ouvi na minha curta existência, nada chegou próximo aos efeitos que suas canções (e arranjos da maior banda de reggae de todos os tempos, The Wailers) provocam em mim. Ninguém. É o meu ídolo musical mor (nunca só, sempre com a sua banda), que conheci em 1995 e levo comigo pro resto do que me resta.

Muito obrigado, Robert Nesta Marley O.M. Jah live!


Bob Marley & The Wailers - Zimbabwe



.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Pílulas: Katherine Funke


Katherine Funke é uma jornalista catarinense, radicada na Bahia, repórter da revista Muito, que curte escrever e fazer música ao seu modo. “Caseiro”, como diz. Possui os blogs Notas Mínimas e Histórias da Katherine; este, de onde foram pilulados os versos a seguir. Tem ainda o twitter Micronotas, pra quem quiser persegui-la. Boa leitura!

"...

a bola branca perfeita
entra pelas pupilas
meus olhos, imensos,
enxergam as formigas
que caminham no jardim
carregando pedaços pequenos
das flores que saíram de mim

------

Grite mais alto!
Se ninguém te ouve

Levante a voz
Porque pensamentos
Invisíveis nada fazem
A não ser atormentar
As cabeças onde nascem

------

aceito o banzo que
a escuridão traz,
só para ter, quiçá,
a paz fugaz de
um sonho bom

------

Já é tão cedo e já não tenho nem para respirar!
Relógio sem razão, este das rotinas!

------

Um poeta nunca está longe de si mesmo.

Ele carrega um pouco da própria poesia
em cada passo palavra pedra escalada
até mesmo quando suspende o tempo
para tentar entender se está feliz

------

eu, passarinho,
eu, leoa,
eu, árvore
e tua inteira vida
pela frente

------

Canta, sino dos ventos
Que me ensinas?
As cores do silêncio;
o valor do encontro lento,
do atrito rápido e da leveza infinita,
suspenso no andamento
sem maestro das horas

------

era de noite, tarde,
pensei comigo, uh,

acho que uma estrela
caiu do céu, e arde

------

então, deitei na rede
e senti o espírito
abandonar a matéria

..."

Íntegra do poema Sem Título (ou Pequeno Poema), e trechos dos poemas Nobody Hears When You Call?, Poesia Noturna, Bem Cedo, Você, Meu Amigo, Eu, Passarinho, Sino dos Ventos, Eu vi um Vaga-Lume e Para Helena Ignez, de Katherine Funke, publicados no blog Histórias da Katherine (2009). www.historiasdakatherine.wordpress.com

.