Pular para o conteúdo principal

Perambulando #11 - Tiganá & Luiz Brasil

Luiz Brasil e Tiganá Santana

Perambulando é uma seção deste blog destinada a expôr os vídeos que irei registrar nas andarilhadas por aí.

Depois de alguns meses fora do ar, a seção volta com tudo; de primeira mão, exclusivo do blog El Mirdad - Farpas e Psicodelia, destaco, na íntegra, o show da dupla espetacular de músicos baianos Tiganá Santana e Luiz Brasil, que rolou no dia 13.01.10 no restaurante Tom do Sabor, Rio Vermelho, em Salvador-BA. Acompanhados pelo exímio percussionista baiano Antenor Cardoso, os amigos celebraram a eficiente parceria que foi concretizada no álbum Maçalê, que será lançado em breve. Trata-se do álbum de estreia de Tiganá, que foi produzido por Luzbra, fruto de um edital ganho (1º lugar) em 2008.

Dois violões, aço e nylon, a percuteria de Antena e um repertório conciso, autoral de ambos, acrescido de duas canções do eterno mestre Dorival Caymmi. Nada mais que isso. E a plateia hipnotizada, nas confortáveis instalações do restaurante musical. É o bastante. Reverenciem a unidade do bom som.


Tiganá & Luiz Brasil - Reverência




Tiganá & Luiz Brasil - Querubim




Tiganá & Luiz Brasil - Vazante




Tiganá & Luiz Brasil - Azul Mar




Desde 2008 que acompanho os shows de Tiganá em Salvador. Após uma excelente temporada no Teatro Gamboa, que rendeu os vídeos que fazem parte do Videorelease dele que produzi (veja aqui), o artista ganhou o edital de gravação da Funceb em 1º lugar, entrando em estúdio respaldado por uma grande equipe, chefiada por ninguém menos que Luiz Brasil, o maior produtor musical deste país.

Pra resumir, o caro Luzbra acompanhou Caetano Veloso por dez anos, trabalhando como músico, arranjador e produtor, além de Gilberto Gil, Gal Costa e Maria Bethânia, entre outros. Foi o responsável pela produção e arranjos dos dois maiores sucessos comerciais de Cássia Eller, além de acompanhá-la como músico por divertidos anos também. Enfim, Luiz Brasil é o cara sábio que trabalha assim: o músico faz um take ruim, ele não diz “de novo”, e sim “então, vamos ouvir pra ver se ficou bom?”; mesmo que saiba que tá ruim, desse jeito, ele faz com que o músico ouça e reconheça ele próprio o erro; assim, não se envergonha e faz melhor no próximo take. Vi isto ao vivo. Esse sim é um profissional competente e sábio!

Surgiu então a parceria Tiganá e Luiz Brasil, que pariu um super álbum de música brasileira, que pela primeira vez na história fonográfica deste país, traz canções autorais gravadas em línguas africanas. E em francês também, como veremos abaixo. Maçalê já está disponível para compra (veja aqui), e pode ser ouvido aqui também.

Prossigamos com o show. Agora, pra mim, o grande momento do show: Tiganá interpretando a bela canção Vou Ver Juliana, do eterno mestre Dorival Caymmi. Que autoridade, meu caro! Poucos conseguem tal intenção itaponzeira! Como disse ontem pra ele: “Tiga, irmão, tenho certeza de que o mestre ficou contente, onde ele estiver”.


Tiganá & Luiz Brasil - Vou Ver Juliana




Tiganá & Luiz Brasil - A Luz do Oculto e o Sol do Sentimento




Tiganá & Luiz Brasil - Madalena




Tiganá & Luiz Brasil - Le Mali Chez La Carte Invisible





Desde o final da temporada do Teatro Gamboa, em 2008, que Tiganá faz alguns shows memoráveis em parceria com grandes músicos. O primeiro foi com o guitarrista sobrenatural Mou Brasil, um encontro “cabeçudaço”,que rendeu a belíssima canção Vencerá o Amor, que algum dia postarei aqui no blog; Tiganá prevê que venha gravá-la no seu próximo disco. Depois, foi a vez do mestre Roberto Mendes, com o show Vozes no Espelho; apenas voz e violão, numa incrível sintonia, registrada inclusive pela Perambulando (reveja aqui). Com o santamarense sábio (que afirma que Tiga veio antes dele), o compositor construiu a bela canção Sobre o Amor que Não Fez Bem, que também poderá entrar no próximo disco.

E, por fim, por enquanto, aproveitando a breve estadia de verão do amigo Luzbra, este show de supetão, acompanhados pela percussão sempre precisa e vibrante de Antenor Cardoso, vulgo Antena, que a Perambulando tem o enorme prazer de divulgar na íntegra, sem cortes.


Tiganá & Luiz Brasil - Cipó




Tiganá & Luiz Brasil - Festa de Rua




Tiganá & Luiz Brasil - Muloloki




Tiganá & Luiz Brasil - Dembwa (10 de Agosto)




Tiganá & Luiz Brasil - Do Fundo




E este foi o show na íntegra (e na ordem exata de apresentação das músicas) de Luiz Brasil e Tiganá Santana, que aconteceu no restaurante musical Tom do Sabor, na quarta-feira 13.01.2010. O blog El Mirdad - Farpas e Psicodelia agradece a Marcus Ferreira, por ter renderizado os vídeos, e a Minêu, por ter emprestado a câmera HD.

.

Comentários

Zanom. disse…
Não deu para eu ver tudo ainda, mas já agradeço pelo presente.

Vou curtir muito mais, tenho certeza.

Valeu irmão!
Cebola disse…
Fantástico... vou vendo aos poucos daqui.Pluralizando a rede, hein pai?

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…