Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2019

Composições de Mirdad: Warmth of an Iceberg — Orange Roots

Canção progressiva de 3'21'', com quatro ambientes distintos e harmonia que passeia pelas escalas menor e maior. Destaque para as diversas vozes de Jahgun (inclusive com um improviso em homenagem a Jacob Miller), a escaleta transcendental de Tadeu Mascarenhas, o groove de Iuri Carvalho, Fabrício Mota e Átila Santtana, e as participações de Matias Traut no trombone (3ª e 4ª parte) e Emmanuel Mirdad na guitarra reverso (2ª parte). A letra conta sobre o encontro carinhoso de um ser com a morte, em que acontece a sedução irrevogável e selvagem, a dança vertiginosa, o enlace e o doce sentimento que faz o ser deitar nos braços da amada para sempre.

Não consegue visualizar o player? Ouça no YouTube aqui
Não consegue visualizar o player? Ouça no Spotify aqui
Demais plataformas: Deezer | Tidal | Apple Music | Amazon Music | Napster
Warmth of an Iceberg
(Emmanuel Mirdad)
BR-N1I-15-00002

She possessed each compartment of my thought
Destructive, she arrested my wish
Slip without touchi…

Composições de Mirdad: My Impossible Wife — Orange Roots

Roots reggae com clima smooth, para namorar ou dançar juntinho “inna Maranhão style”, riff jazzy e harmonias distintas do progressivo. Destaque para a cristalina e dengosa interpretação do cantor Jahgun, as teclas de Tadeu Mascarenhas (rhodes e órgão) e o one drop de Iuri Carvalho. A letra versa sobre um estupefato ser que admira uma belíssima mulher que passou e assume ser impossível possuí-la.

Não consegue visualizar o player? Ouça no YouTube aqui
Não consegue visualizar o player?
Ouça no Spotify aqui
Demais plataformas: Deezer | Tidal | Apple Music | Amazon Music | Napster
My Impossible Wife
(Emmanuel Mirdad)
BR-N1I-16-00001

I run through the mirrors searching for a piece of you
That I can break and assemble in a shape that I desire
If I steal from you in secret your love that I don’t feel
At least once your scorn will not be my failure

The chat that my mind uses to betray me
It’s a crooked philosophy of the strange man that I am
Recognizing disturbances, someone made me alive

And t…

Composições de Mirdad: My Heart is an Actor — Orange Roots

Single que apresenta o som “psychedelic roots progressive reggae” do Orange Roots e abre o álbum de estreia “Fluid” (Surforeggae Sound System Brazil, 2019), destaque para a guitarra “violoncelo psicodélico” de Átila Santtana, que conduz a atmosfera de música “para surfar do nascer ao pôr do sol”, com a cadência manhosa da bateria de Iuri Carvalho e o baixo de Fabrício Mota, e os vocais de veludo do cantor Jahgun. A letra versa sobre uma entidade que não se vincula, seduz, atua e questiona: “Quem entenderá a verdade?”.

Não consegue visualizar o player? Ouça no YouTube aqui
Não consegue visualizar o player?
Ouça no Spotify aqui
Demais plataformas: DeezerTidal | Apple Music | Amazon Music | Napster
My Heart is an Actor
(Emmanuel Mirdad)
BR-N1I-15-00001

My heart is an actor
Who will get to defend it?
Sometimes it’s present yet so far
Sometimes it’s present and a pretender
Who will understand the truth?

My heart is an actor
What it searches for is a lie
Try to undo the union
Keep beating…

Conheça o reggae da Orange Roots e o seu psicodélico & progressivo álbum Fluid

Está disponível, em todas as plataformas, Fluid (2019), o álbum de estreia do Orange Roots, lançado pelo selo Surforeggae Sound System Brazil, que distribui álbuns de artistas de renome internacional como Groundation e Israel Vibration, entre outros. Mais abaixo, confira todos os links.

Com nove faixas, produzido por Emmanuel Mirdad (que também compôs as músicas) e Átila Santtana, foi gravado em Salvador, Bahia, e apresenta a voz melodiosa e harmônica do cantor Jahgun, baiano radicado em Los Angeles, unido à concepção estética do artista visual Max Fonseca. Vibrando o reggae psicodélico & progressivo, uma formação valiosa: Iuri Carvalho na bateria, Fabrício Mota no baixo, Tadeu Mascarenhas nas teclas e Átila Santtana nas guitarras.

Quando a fluidez e o experimentalismo da psicodelia se encontram com o groove e a transcendência do reggae, e as diversas sensações e ambiências da poética canção progressiva se fundem à ancestralidade e cores do som do coração, eis que surge o som psy…

Surforeggae Sound System Brazil lança o álbum Fluid, da Orange Roots, na sexta 27/09

Quando a fluidez e o experimentalismo da psicodelia se encontram com o groove e a transcendência do reggae, e as diversas sensações e ambiências da poética canção progressiva se fundem à ancestralidade e cores do som do coração, eis que surge o som psychedelic roots progressive reggae do Orange Roots.

Nessa sexta 27/09, o selo Surforeggae Sound System Brazil lança Fluid (2019), o álbum de estreia do Orange Roots, em todas as plataformas.


Orange Roots é um grupo de reggae contemporâneo progressivo. Ao fundir a psicodelia com o reggae transcendental, honra a sua ancestralidade musical, toca o coração e define a atmosfera.

A voz e a imagem dessa fusão entre o moderno e o ancestral é do cantor rasta Jahgun, radicado em L.A., EUA. O seu timbre suave, harmônico e melodioso, as suas influências e experiências de projetos anteriores casaram perfeitamente com a ideia do projeto que não se restringe à música. Todo o visual do Orange Roots é uma concepção estética baseada no afrofuturismo e na p…

10 anos de criação da Flica

Hoje, 23 de setembro, dez anos atrás, Emmanuel Mirdad, Marcus Ferreira, Aurélio Schommer e Alan Lobo criaram a Flica, Festa Literária Internacional de Cachoeira.

Numa quarta-feira, à noite, 23 de setembro de 2009, no playground do Edf. Star Palace, na Pituba, Salvador, Bahia, quatro pessoas se reuniram e criaram a Flica. Na época, eu era sócio do produtor Marcus Ferreira na empresa Putzgrillo Cultura. Seguíamos tentando produzir vários projetos, após a primeira edição do Prêmio Bahia de Todos os Rocks em 2008. E uma das ideias que investimos foi a realização de uma festa literária, aos moldes da Flip, em Cachoeira, recôncavo baiano, cidade natal do meu sócio.

Página da minha agenda 2009 em que registrei a reunião que criou a Flica
Até então, só trabalhávamos com música. Por conta da nossa falta de aptidão com o universo literário (eu ainda não era um escritor profissional), sugeri convidarmos alguém do meio para ser sócio. Marcus topou, e eu convidei o escritor Aurélio Schommer, porque…

Lançamento da Flica 2019

Na quinta 19/09, aconteceu o lançamento da Flica 2019, no Salão de Atos da Governadoria, no CAB, Salvador, com a presença do Governador da Bahia, Rui Costa, do Prefeito de Cachoeira, Tato Pereira, diversas secretárias e secretários estaduais e municipais, deputadas e deputados, convidados, a autora homenageada, dirigentes, autoras e autores, e a curadoria 100% feminina (Kátia Borges com as Mesas Literárias, Lilia Gramacho e Mira Silva com a Fliquinha, e Bárbara Sá com a Geração Flica).

Nós, sócios da Cali, criadora e uma das realizadoras da Flica, agradecemos ao patrocínio fundamental do Governo da Bahia à primeira festa literária da Bahia! Investir em cultura é um ato de bravura e visão! Agradecemos também ao patrocinador Coelba que, via Fazcultura e Governo da Bahia, está de volta ao evento, e possibilitou o surgimento da Geração Flica, nova programação voltada aos jovens. E ao apoio da Prefeitura de Cachoeira, sempre presente e atuante com uma política de eventos culturais na cida…