Pular para o conteúdo principal

Perambulando #13 - Messias

Lançamento de Messias - foto: Mirdad


Perambulando é uma seção deste blog destinada a expôr os vídeos que irei registrar nas andarilhadas por aí.

Ontem foi o show de lançamento do álbum triplo escrever-me, envelhecer-me, esquecer-me, do cantor e compositor baiano Messias. Acompanhado pela banda base formada por andré T (baixo, violão e programações), Jô Estrada (guitarra) e Mark Mesquita (bateria), Messias apresentou uma refinada seleção das 32 músicas que compõem sua trilogia. O show foi no Espaço Cultural da Barroquinha, ao lado do cinema Glauber Rocha, dentro de uma igreja reformada para espaço de eventos; muito bacana, por sinal, e histórico também - o rock é herege e não costuma freqüentar espaços sacros.


Messias - God If You Can Hear Me




Messias - The Machines are My Family




O público foi legal para uma quarta-feira à noite, chuvosa, com o show começando pra mais de 22h. Messias contou com os convidados Alex Pochat (cítara e trompete), Junix (guitarra), os hermanos da brincando de deus (Thiago - baixo, Cury - bateria, e César - guitarra), Joatan Nascimento (trompete) e Fernanda Monteiro (violoncelo), que proporcionaram o momento mais belo da noite, com a linda canção They Drug me Everyday, de Messias. A falha foi deste blogueiro que, com a bateria do celular arriada, não pode gravar o ápice do show, nem a participação da banda original do artista (brincando de deus) e o pulso mais rocker, com a participação do Junix (o vídeo abaixo com Offbeat cessa logo no início).


Messias - Avenida Contorno




Messias - Unread Books




Messias - Broadcast Your Escape




Messias - Offbeat (trecho)




Parabéns, meu caro Messias, por essa incrível empreitada de lançar um álbum triplo inteiramente do próprio bolso (inclusive esse belíssimo show de lançamento). Coragem e determinação extremamente louváveis!

Se quiser conhecer o escrever-me, envelhecer-me, envelhecer-me, faça download aqui, ou compre-o diretamente com o artista (o que é muito melhor), aqui.

Experimente ler um pouco mais sobre a trilogia do Messias, aqui, na visão letrada do caro Chico Castro Jr.

.

Comentários

On The Rocks disse…
parabéns pro cara, ele merece!

abs
cebola disse…
Sinceramente, inesquecível.

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…