Pular para o conteúdo principal

Seleta: Counting Crows


Eu sou fã do som de “August and Everything After” (1993), o álbum de estreia da banda californiana Counting Crows. Para mim, uma referência de mixagem, masterização, timbragem e execução, tudo no lugar certinho, o som da batera, nossa, muito bom! Além disso, as canções são lindas demais: as baladas “Raining in Baltimore” [citei até numa música minha], “Perfect Blue Buildings”, “Anna Begins” e “Time and Time Again”, as estradeiras “Rain King” e “A Murder of One”, e o megahit “Mr. Jones”, que toca muito por aqui até hoje.

Baladas e pop rock para pegar estrada resumem bem a eficiência da Counting Crows, a sombra e a luz de uma melancolia solar, imersão e fuga, antíteses que se complementam numa mescla de folk, blues, rock e country, músicos exímios e um vocalista figuraça que às vezes exagera na interpretação [melhor ouvir os discos]. Counting Crows e a importância da poesia nas letras, uma das bandas preferidas dos anos 1990, recomendo!

Na Seleta de hoje, as 77 músicas que mais gosto, gravadas por Counting Crows, presentes em seis álbuns e um EP da discografia oficial do grupo (os prediletos são “August and Everything After”, “This Desert Life” e “Hard Candy”). Prepara as malas e inclua Counting Crows na sua viagem, tanto na alegria, quanto na tristeza!

Ouça no Spotify aqui

Ouça no YouTube aqui

01) Mr. Jones [August and Everything After, 1993]

02) Rain King [August and Everything After, 1993]

03) Mrs. Potter's Lullaby [This Desert Life, 1999]

04) Four Days [This Desert Life, 1999]

05) Children in Bloom [Recovering the Satellites, 1996]

06) Perfect Blue Buildings [August and Everything After, 1993]

07) Anna Begins [August and Everything After, 1993]

08) Raining in Baltimore [August and Everything After, 1993]

09) Colorblind [This Desert Life, 1999]

10) Miller's Angels [Recovering the Satellites, 1996]

Os seis álbuns e um EP participantes desta Seleta

11) Amy Hit the Atmosphere [This Desert Life, 1999]

12) Good Time [Hard Candy, 2002]

13) Miami [Hard Candy, 2002]

14) Time and Time Again [August and Everything After, 1993]

15) Sullivan Street [August and Everything After, 1993]

16) Goodnight Elisabeth [Recovering the Satellites, 1996]

17) Holiday in Spain [Hard Candy, 2002]

18) A Long December [Recovering the Satellites, 1996]

19) Goodnight L.A. [Hard Candy, 2002]

20) Round Here [August and Everything After, 1993]

Counting Crows no início dos anos 1990

21) A Murder of One [August and Everything After, 1993]

22) I Wish I Was a Girl [This Desert Life, 1999]

23) Hard Candy [Hard Candy, 2002]

24) Hanginaround [This Desert Life, 1999]

25) Monkey [Recovering the Satellites, 1996]

26) If I Could Give All My Love (Richard Manuel is Dead) [Hard Candy, 2002]

27) I'm Not Sleeping [Recovering the Satellites, 1996]

28) Butterfly in Reverse [Hard Candy, 2002]

29) Ghost Train [August and Everything After, 1993]

30) Omaha [August and Everything After, 1993]

Adam Duritz (voz), David Bryson (guitarra), Charlie Gillingham (teclados), Millard Powers (baixo), Jim Bogios (bateria), David Immerglück (guitarra) e
Dan Vickrey (guitarra)

31) Speedway [This Desert Life, 1999]

32) Why Should You Come When I Call? [Hard Candy, 2002]

33) Black and Blue [Hard Candy, 2002]

34) Anyone But You [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

35) You Can't Count on Me [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

36) Daylight Fading [Recovering the Satellites, 1996]

37) American Girls [Hard Candy, 2002]

38) Big Yellow Taxi [Hard Candy, 2002]

39) Sundays [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

40) Earthquake Driver [Somewhere Under Wonderland, 2014]


41) St. Robinson in His Cadillac Dream [This Desert Life, 1999]

42) Possibility Days [Somewhere Under Wonderland, 2014]

43) Washington Square [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

44) On Almost Any Sunday Morning [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

45) Carriage [Hard Candy, 2002]

46) All My Friends [This Desert Life, 1999]

47) Up All Night (Frankie Miller Goes to Hollywood) [Hard Candy, 2002]

48) Have You Seen Me Lately? [Recovering the Satellites, 1996]

49) Angels of the Silences [Recovering the Satellites, 1996]

50) Come Around [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

Foto: Ehud Lazin

51) Shallow Days (Demo) [August and Everything After (deluxe edition), 2007]

52) Kid Things [This Desert Life, 1999]

53) Insignificant [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

54) Dislocation [Somewhere Under Wonderland, 2014]

55) Another Horsedreamer's Blues [Recovering the Satellites, 1996]

56) Recovering the Satellites [Recovering the Satellites, 1996]

57) High Life [This Desert Life, 1999]

58) Scarecrow [Somewhere Under Wonderland, 2014]

59) Cover Up the Sun [Somewhere Under Wonderland, 2014]

60) Walkaways [Recovering the Satellites, 1996]


61) When I Dream of Michelangelo [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

62) The Ghost in You (live) [August and Everything After (deluxe edition), 2007]

63) Le Ballet D'or [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

64) The Tall Grass [Butter Miracle, Suite One, 2021]

65) 4 White Stallions [Hard Candy, 2002]

66) Los Angeles [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

67) Bobby and the Rat-Kings [Butter Miracle, Suite One, 2021]

68) John Appleseed's Lament [Somewhere Under Wonderland, 2014]

69) Margery Dreams of Horses (live) [August and Everything After (deluxe edition), 2007]

70) Hanging Tree [Saturday Nights & Sunday Mornings, 2008]

O vocalista Adam Duritz hoje em dia, sem os dreads que marcaram a sua imagem no Counting Crows

71) Angel of 14th Street [Butter Miracle, Suite One, 2021]

72) Elevator Boots [Butter Miracle, Suite One, 2021]

73) God of Ocean Tides [Somewhere Under Wonderland, 2014]

74) This Land is Your Land (Acoustic Demo) [August and Everything After (deluxe edition), 2007]

75) Mean Jumper Blues (Acoustic Demo) [August and Everything After (deluxe edition), 2007]

76) Catapult [Recovering the Satellites, 1996]

77) Palisades Park [Somewhere Under Wonderland, 2014]

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dez passagens de Clarice Lispector nas cartas dos anos 1950 (parte 1)

Clarice Lispector (foto daqui ) “O outono aqui está muito bonito e o frio já está chegando. Parei uns tempos de trabalhar no livro [‘A maçã no escuro’] mas um dia desses recomeçarei. Tenho a impressão penosa de que me repito em cada livro com a obstinação de quem bate na mesma porta que não quer se abrir. Aliás minha impressão é mais geral ainda: tenho a impressão de que falo muito e que digo sempre as mesmas coisas, com o que eu devo chatear muito os ouvintes que por gentileza e carinho aguentam...” “Alô Fernando [Sabino], estou escrevendo pra você mas também não tenho nada o que dizer. Acho que é assim que pouco a pouco os velhos honestos terminam por não dizer nada. Mas o engraçado é que não tendo absolutamente nada o que dizer, dá uma vontade enorme de dizer. O quê? (...) E assim é que, por não ter absolutamente nada o que dizer, até livro já escrevi, e você também. Até que a dignidade do silêncio venha, o que é frase muito bonitinha e me emociona civicamente.”  “(...) O dinheiro s

Oito passagens de Conceição Evaristo no livro de contos Olhos d'água

Conceição Evaristo (Foto: Mariana Evaristo) "Tentando se equilibrar sobre a dor e o susto, Salinda contemplou-se no espelho. Sabia que ali encontraria a sua igual, bastava o gesto contemplativo de si mesma. E no lugar da sua face, viu a da outra. Do outro lado, como se verdade fosse, o nítido rosto da amiga surgiu para afirmar a força de um amor entre duas iguais. Mulheres, ambas se pareciam. Altas, negras e com dezenas de dreads a lhes enfeitar a cabeça. Ambas aves fêmeas, ousadas mergulhadoras na própria profundeza. E a cada vez que uma mergulhava na outra, o suave encontro de suas fendas-mulheres engravidava as duas de prazer. E o que parecia pouco, muito se tornava. O que finito era, se eternizava. E um leve e fugaz beijo na face, sombra rasurada de uma asa amarela de borboleta, se tornava uma certeza, uma presença incrustada nos poros da pele e da memória." "Tantos foram os amores na vida de Luamanda, que sempre um chamava mais um. Aconteceu também a paixão

Dez passagens de Jorge Amado no romance Mar morto

Jorge Amado “(...) Os homens da beira do cais só têm uma estrada na sua vida: a estrada do mar. Por ela entram, que seu destino é esse. O mar é dono de todos eles. Do mar vem toda a alegria e toda a tristeza porque o mar é mistério que nem os marinheiros mais velhos entendem, que nem entendem aqueles antigos mestres de saveiro que não viajam mais, e, apenas, remendam velas e contam histórias. Quem já decifrou o mistério do mar? Do mar vem a música, vem o amor e vem a morte. E não é sobre o mar que a lua é mais bela? O mar é instável. Como ele é a vida dos homens dos saveiros. Qual deles já teve um fim de vida igual ao dos homens da terra que acarinham netos e reúnem as famílias nos almoços e jantares? Nenhum deles anda com esse passo firme dos homens da terra. Cada qual tem alguma coisa no fundo do mar: um filho, um irmão, um braço, um saveiro que virou, uma vela que o vento da tempestade despedaçou. Mas também qual deles não sabe cantar essas canções de amor nas noites do cais? Qual d