Pular para o conteúdo principal

Perambulando #06 - Rômulo Fróes

Rômulo Fróes & Beto Barreto - Anjo




Perambulando é uma seção deste blog destinada a expôr os vídeos que irei registrar nas andarilhadas por aí.

Nesta edição, destaco o pocket show do cantor e compositor paulistano Rômulo Fróes, que rolou ontem (quarta), 05/08, lá na Midialouca, no Rio Vermelho, Salvador-BA.

Ele veio ajudar a montagem da exposição de sua talentosa esposa Tatiana Blass, que vai começar amanhã, 20h, no MAM (visitem!!!). Aproveitou pra gravar um Especial das Seis muito massa, com o seu terceiro e mais novo álbum No Chão sem o Chão, um discaço duplo que eu fiquei viciado. Na boa, é bom pra caralho, sonoridade calcada no melhor da música brasileira (que, na minha opinião, fica nos anos 70, comandada, entre outros, por Lanny Gordim e Tutti Moreno), em composições inéditas feitas por Rômulo e outros sacanas como Nuno Ramos e Clima, que oxigenam, com muito gás, esse ótimo momento criativo que já tá rolando na música de nosso país, como Mariana Aydar, Tiganá Santana, Marcela Bellas, etc. etc.

Por falar em Mariana, segue abaixo uma música do Rômulo Fróes que ela gravou no discaço Peixes Pássaros Pessoas, e que ele tocou pra'gente ontem:

Rômulo Fróes - Nada Disso é pra Você Querer




No pocket show, rolaram duas participações super-especiais, cruciais para a realização do evento e para a primeira circulação do Rômulo aqui em soterópolis: a cantora e compositora Manuela Rodrigues e o guitarrista e bom pai Beto Barreto. Segue abaixo uma ilustração destas:

Rômulo Fróes & Beto Barreto - Deserto Vermelho




Rômulo Fróes & Manuela Rodrigues - Fui Eu




Rômulo Fróes & Beto Barreto - Sei Lá




No final do evento, empolgado com a saída de terça para o Coletivo Circo dá Samba (altamente recomendável para a diversão das noites de terças), levamos Rômulo e Tati, por certeira indicação de Paulo da Midia, à Kombi 4 Rodas, em Amaralina, pr'ele provar uma bela MANIÇOBA. Prato fantástico, bom pra caralho (again), uma mesa de bate papo e muitas risadas, com Manuela, Mou Brasil e Luciano Salvador, que gerou esse vídeo histórico abaixo, que ilustra o exato instante em que um paulistano roots se encontra com as raízes da nossa boa mãe Bahia. Éxa! Retornem quando quiserem!

Rômulo Fróes na Maniçoba



.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…