Pular para o conteúdo principal

Endereços do Pink Floyd

Nos bastidores do Pink Floyd
(Generale, 2012)
Mark Blake


Ao ler a biografia Nos bastidores do Pink Floyd (Generale, 2012), de Mark Blake, aproveitei para saciar a minha curiosidade ao navegar no fantástico Google Maps e Google Street View e encontrar os endereços dos locais mencionados pelo jornalista. Abaixo, alguns dos endereços da banda que sou mais fã, Pink Floyd.

Uma amostra do livro está disponível no Google Books aqui


Foto: Google

Grantchester Meadows, nº 109, distrito de Newnham, Cambridge, Inglaterra

Nessa casa em destaque, cresceu David Gilmour

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google

Rock Road, Cambridge, Inglaterra

Nessa rua, cresceu Roger Waters

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google

Downshire Hill, Hampstead, Londres, Inglaterra

Nessa rua, cresceu Nick Mason

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google

Hatch End, Londres, Inglaterra

Na área de Hatch End, cresceu Richard Wright

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


 Foto: Google

Glisson Road, nº 60, Cherry Hinton, Cambridge, Inglaterra

Na primeira casa à esquerda, nasceu Syd Barrett

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google


Hills Road, nº 183, Cambridge, Inglaterra

Nessa casa em destaque, cresceu Syd Barrett

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google

St. Margaret's Square, nº 6, Cambridge, Inglaterra

Nessa casa de porta verde, viveu Syd Barrett, até morrer em 2006

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google

Hills Road, CB2 8PE, Cambridge, Inglaterra

Nesse prédio da Hills Road Sixth Form College, funcionou, de 1900 a 1974, a Cambridge and County School for Boys, a escola onde Roger Waters estudou, e que o inspirou a criar parte importante da magnífica obra The Wall.

Além de Waters, também estudaram nessa escola Syd Barrett, além do artista Storm Thorgerson, amigo e contemporâneo de ambos, e co-foundador do Hipgnosis, responsável pelas capas dos discos do Pink Floyd, além de Led Zeppelin, Yes e outros.

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google

4-12 Little Titchfield Street, Londres, Inglaterra

Nesse prédio em destaque, funcionava a faculdade de Arquitetura da Regent Street Polytechnic, onde o embrião do Pink Floyd foi formado: em setembro de 1963, os estudantes de arquitetura Roger Waters (começou tocando guitarra), Nick Mason e Richard Wright (este entrou por último no grupo, e depois trocaria a faculdade de arquitetura por música) aceitaram o convite dos estudantes Keith Noble e Clive Metcalfe (os dois colocaram uma nota no quadro da faculdade: "Alguém quer começar uma banda?") e formaram a banda The Sigma 6 (completando, a irmã de Keith, Sheilagh, que fazia os vocais com o irmão - depois ela saiu e a namorada de Wright assumiu: Juliette Gale). No verão londrino de 1964, os dois que fizeram o convite original saíram, e os guitarristas Bob Klose e Syd Barrett entraram na banda.

Atualmente, no prédio funciona a escola de Direito da University of Westminster (no que a Regent Street Polytechnic se tornou, a partir de 1992).

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google

Edbrooke Road, nº 4, em Londres, Inglaterra

50 anos atrás, em um dos apartamentos desse pequeno prédio, com a entrada pela porta preta da imagem, funcionou a primeira sede da empresa Blackhill Enterprises, formada pelos membros do Pink Floyd (Syd Barrett, Roger Waters, Richard Wright e Nick Mason) e os seus primeiros empresários, Andrew King e Peter Jenner (o dono do apartamento).

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Foto: Google

Palace Gate, Kensington, Londres, Inglaterra

Nessa rua, num tal Countdown Club, Roger Waters, Nick Mason, Richard Wright e Syd Barrett se apresentaram, pela primeira vez, com o nome Pink Floyd a batizar a banda, em fevereiro de 1965.

Google Maps aqui

Trecho do livro aqui


Fotos: Internet

Pinkney "Pink" Anderson (1900-1974), bluesman da Carolina do Sul, e Floyd Council (1911-1976), bluesman da Carolina do Norte, inspiraram Syd Barrett a dar o nome definitivo da banda: Pink Floyd, que, entre 1965 e 1966, teve as variações The Pink Floyd Blues Band, The Pink Floyd Sound e The Pink Floyd.

Nomes anteriores da banda: The Sigma 6, The Megadeaths, The Screaming Abdabs, The Abdabs e The Spectrum Five, The Tea Set e T-Set.

Uma amostra de Pink Anderson aqui

Uma amostra de Floyd Council aqui

Trecho do livro aqui

Mais informações sobre a escolha do nome aqui


Fotos: Internet | Montagem: Mirdad

Tá explicado!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

O fim do Blog do Ël Mirdad

Esta é a última postagem do Blog do Ël Mirdad (que um dia já foi Farpas e Psicodelia). Ao fim, foram 1.083 postagens em 8 anos de atividade, de 2009 a 2016. Divulguei o trabalho de muitos artistas, nas áreas da música, literatura e audiovisual (eventos, shows, quadrinhos, etc.), e também o meu trabalho como compositor, escritor e produtor cultural. Das seções que fiz, a que mais me orgulhou foi Leituras. Abaixo, seguem duas imagens com estatísticas que o próprio Blogger oferece, apuradas em 22 de dezembro. O motivo para o fim desse blog é que não assinarei mais como Emmanuel Mirdad, e não tem lógica manter um canal de comunicação vinculado a esse nome.


Algum dia farei outro blog? Acho difícil. Caso faça, divulgarei apenas o meu trabalho como escritor, o único que continua, assinando, a partir de 2017, como Emmanuel Rosa.


Muito obrigado pela sua audiência. E espero que o Google mantenha esse acervo ativo, para quando você quiser voltar por aqui e ler (ou ouvir) algo que lhe agradou, d…