Pular para o conteúdo principal

Seleta: 115 melhores músicas da série Música para Escrever 2020


Em 2020, a série Música para Escrever divulgou 385 discos (entre álbuns, EPs e single) de 200 bandas e artistas de 44 países (confira neste post aqui), com os melhores sons de post-rock, a alumiar a mente e transcender em palavras. Confira a Seleta com as 115 melhores músicas:

Ouça no Spotify aqui [faltam 07 músicas]*

Ouça no YouTube aqui

01) 13 Angels Standing Guard 'Round The Side of Your Bed [Thee Silver Mt. Zion Memorial Orchestra]

02) On The Roof of The World [Cul de Sac]

03) Teraphim [Ravena]

04) Matryoshka [Icaro]

05) Melting Mind [Archaique Smile]

06) Lullaby [This Is Your Captain Speaking]

07) Ghost Track [daturah]

08) The Long Rain [Deadhorse]

09) MacGyver [Hurry, Eskimo]

10) Dimension of Miracles [Mooncake]

11) Nothing has to Happen [HUNGRY GHOSTS]

12) Indian Summer [Enemies]

13) Arcatractic [Delayed Schedules]

14) Multihost [Unconditional Arms]

15) Paroxysm of Happiness [April Rain]

16) Have You Been in Darkness [The Stolen Orchestra]

17) Oro de Corazon [STAGHORN]

18) On the Run [VIRTA]

19) Trim Splint [Cloudkicker]

20) Great White Black [gazelle(s)]

21) Memories of You [Anoice]

22) Wreath [The Pirate Ship Quintet]

23) You’re My Sun. Then and Now. Forever [Da Voile]

24) Gestos y Distancia [Parahelio]

25) Varisema [Helu]

26) Antarctica [Grün]

27) Requiem for a Love [A Shelter In The Desert]

28) Are You Having Trouble Breathing? [Feed Me To The Waves]

29) transparent [the abyss inside us]

30) Keepsake [Coastlands]

31) Stars Down to Earth [Ikaray]

32) Silence of Siberia [Lowercase Noises]

33) Barren Temples [Dumbsaint]

34) Annie [Secret Gardens]

35) Paper Ships [Lullabies for Falling Empires]

36) That’s How The Light Gets In [Rumour Cubes]

37) Upon Life’s Gravity III: Dust Hymn (The Great Burden of Existence) [Crawl Across the Sky]

38) Saudade [City of Dawn]

39) Part II – In Truman’s Blood [The Shaking Sensations]

40) Within the Nick of Time [Our Ceasing Voice]

41) Ships Will Sink [Unknown Connection Failure]

42) See the Land [aeris]

43) Home [Deer Park Ranger]

44) Portals [MAGMA WAVES]

45) Noir Kid [Violet Cold]

46) Set Them on Fire [POSTVORTA]

47) Signals [Spacecraft]

48) Somehow I Manage to Always Disappear [GallantHorn]

49) Snøskred [Homo_Novus.]

50) One Last Midnight [Emprier]

51) Nearly Saw a Light [Flies Are Spies From Hell]

52) Bara [Overhead, The Albatross]

53) Sendai / Kurosawa [Sora Shima]

54) Caledonia [Flash the Readies]

55) P [Labradford]

56) Első [TÖRZS]

57) Tequesta [The Mercury Program]

58) Sunnar [glaston]

59) Sunlight (แสง) [Hope the flowers]

60) Bring You Home Again [Our Transient Lives]

61) Crazy Horse Invincible [The Great Went]

62) Veliger [Astetal]

63) Bluebird [In2Elements]

64) DNR [Vanish]

65) Gorgoneion [Tryptonaut]

66) Crank [Mental Architects]

67) Alecta [Terraformer]

68) Always (Where Sea Meets Shore) [Aramid]

69) Eleonora [Plight Radio]

70) We Are All, In All Places, Strangers and Pilgrims, Travelers and Sojourners [All Shall Be Well (AASBWAAMOTSBW)]

71) The Great Ascending [So Far As I Know]

72) Boga [amiina]

73) To Be Buried and Discovered Again [The End of The Ocean]

74) Slowly, Then All At Once [The Sound of Rescue]

75) Jhades [Cucs De Llum]

76) Wandering Stars [November Might Be Fine]

77) Black Seas of Eternity [Glasir]

78) Bioluminescence [Together to the Stars]

79) Sorrow Surrenders its Crown [Telepathy]

80) Hello from the Children of Planet Earth [A LAST PICTURE FROM VOYAGER]

81) Icarus [Sound Architects]

82) Hour of Need [Kerretta]

83) vorare [jeffk]

84) Cartographers of Human Purpose [ALL IS VIOLENT]

85) Compress [shallov]

86) Expand [shallov]

87) Wolf Eyes, You're Staring [Cold, Cold Heart]

88) Anima [ṘO]

89) The Counterpart [Vaudlow]

90) Blind [Break My Fucking Sky]

91) Serendipity [Kalte Sonne]

92) Aphasia [Hiboux]

93) Icarus [Monkey3]

94) The Taklamakan [Hashshashin]

95) Albatross [The Chasing Monster]

96) Crépuscule Et Aube [Vesperine]

97) The Way We Were [winterThieves.]

98) She Was Buried with Paper Wings [Alcove]

99) Almohada [Kjjjjjjjjj]

100) S C N V [the Singer is Dead]

101) ARP244 [Far Behind The Sun]

102) From The Distance [Incoma]

103) Not Fun Time [As In We]

104) Cauterized [Besides]

105) Ruin [Coldbones]

106) Therapsida [Stone From The Sky]

107) Emptiness [Celephaïs]

108) Outward The Sky [Below The Sun]

109) Flood Poems [Inventions]

110) Anomia [Vanlock]

111) No Grave But Sea [MinionTV]

112) Life of a Revelation [Cat Kamikazee]

113) Waltz of Denial [madebygrey]

114) Quando Vão Saber Que Já Apanhei o Suficiente? [E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante]

115) Górecki Magnús [Stafrænn Hakon]

* As 07 músicas que não estão disponíveis no Spotify: “Matryoshka”, da Icaro; “Melting Mind”, da Archaique Smile; “See the Land”, da aeris; “Gorgoneion”, da Tryptonaut; “ARP244”, da Far Behind The Sun; “From The Distance”, da Incoma; e “No Grave But Sea”, da MinionTV.

Background: Gordon Johnson from Pixabay

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dez passagens de Clarice Lispector nas cartas dos anos 1950 (parte 1)

Clarice Lispector (foto daqui ) “O outono aqui está muito bonito e o frio já está chegando. Parei uns tempos de trabalhar no livro [‘A maçã no escuro’] mas um dia desses recomeçarei. Tenho a impressão penosa de que me repito em cada livro com a obstinação de quem bate na mesma porta que não quer se abrir. Aliás minha impressão é mais geral ainda: tenho a impressão de que falo muito e que digo sempre as mesmas coisas, com o que eu devo chatear muito os ouvintes que por gentileza e carinho aguentam...” “Alô Fernando [Sabino], estou escrevendo pra você mas também não tenho nada o que dizer. Acho que é assim que pouco a pouco os velhos honestos terminam por não dizer nada. Mas o engraçado é que não tendo absolutamente nada o que dizer, dá uma vontade enorme de dizer. O quê? (...) E assim é que, por não ter absolutamente nada o que dizer, até livro já escrevi, e você também. Até que a dignidade do silêncio venha, o que é frase muito bonitinha e me emociona civicamente.”  “(...) O dinheiro s

Oito passagens de Conceição Evaristo no livro de contos Olhos d'água

Conceição Evaristo (Foto: Mariana Evaristo) "Tentando se equilibrar sobre a dor e o susto, Salinda contemplou-se no espelho. Sabia que ali encontraria a sua igual, bastava o gesto contemplativo de si mesma. E no lugar da sua face, viu a da outra. Do outro lado, como se verdade fosse, o nítido rosto da amiga surgiu para afirmar a força de um amor entre duas iguais. Mulheres, ambas se pareciam. Altas, negras e com dezenas de dreads a lhes enfeitar a cabeça. Ambas aves fêmeas, ousadas mergulhadoras na própria profundeza. E a cada vez que uma mergulhava na outra, o suave encontro de suas fendas-mulheres engravidava as duas de prazer. E o que parecia pouco, muito se tornava. O que finito era, se eternizava. E um leve e fugaz beijo na face, sombra rasurada de uma asa amarela de borboleta, se tornava uma certeza, uma presença incrustada nos poros da pele e da memória." "Tantos foram os amores na vida de Luamanda, que sempre um chamava mais um. Aconteceu também a paixão

Dez poemas de Carlos Drummond de Andrade no livro A rosa do povo

Consolo na praia Carlos Drummond de Andrade Vamos, não chores... A infância está perdida. A mocidade está perdida. Mas a vida não se perdeu. O primeiro amor passou. O segundo amor passou. O terceiro amor passou. Mas o coração continua. Perdeste o melhor amigo. Não tentaste qualquer viagem. Não possuis casa, navio, terra. Mas tens um cão. Algumas palavras duras, em voz mansa, te golpearam. Nunca, nunca cicatrizam. Mas, e o humour ? A injustiça não se resolve. À sombra do mundo errado murmuraste um protesto tímido. Mas virão outros. Tudo somado, devias precipitar-te — de vez — nas águas. Estás nu na areia, no vento... Dorme, meu filho. -------- Desfile Carlos Drummond de Andrade O rosto no travesseiro, escuto o tempo fluindo no mais completo silêncio. Como remédio entornado em camisa de doente; como dedo na penugem de braço de namorada; como vento no cabelo, fluindo: fiquei mais moço. Já não tenho cicatriz. Vejo-me noutra cidade. Sem mar nem derivativo, o corpo era bem pequeno para tanta