Pular para o conteúdo principal

Todas as crônicas, de Clarice Lispector


Todas as crônicas”, de Clarice Lispector, foi lançado pela editora Rocco em 2018. Trechos do release:

“Os textos publicados no Jornal do Brasil de 1967 a 1973 têm a marca da subjetividade. Logo em sua primeira colaboração dos sábados no ‘Caderno B’, a autora rompe a tradição da crônica corrida, ocupando a página com vários textos curtos. Um deles anotava: ‘Olhar-se no espelho e dizer-se deslumbrada: como sou misteriosa. Sou tão delicada e forte. E a curva dos lábios manteve a inocência. Não há homem ou mulher que por acaso não se tenha olhado ao espelho e se surpreendido consigo próprio.’ Inaugurava-se ali uma nova da relação do escritor com a mídia impressa. Ao folhetim, à crítica, ao ensaio e à crônica como a conhecíamos até então, a escritora acrescentava uma dimensão pessoal única, cuja riqueza literária até hoje não foi igualada pelas gerações seguintes”.

Clarice Lispector, sabiamente, aproveitou o espaço para fazer quase um diário íntimo, falando dos filhos, da casa, das empregadas, do Rio, do seu passado, dos lugares por onde andou e andava, dos amigos, dos bichos, de arte em geral, respondendo (às vezes de forma desaforada) aos leitores que lhe mandavam cartas”.

“‘Todas as crônicas’ permite uma apreciação completa da atividade da autora como cronista, apresentando 120 textos inéditos em livro. A obra está dividida em três partes: a primeira corresponde ao período do Jornal do Brasil, contendo material que não havia sido publicado na coletânea ‘A descoberta do mundo’; a segunda engloba as colaborações com outros veículos de imprensa; a terceira recupera esparsos do livro ‘Não esquecer’”.


1967
Leia aqui
“O inalcançável é sempre azul”

1968 [parte 1]
Leia aqui
“A verdade do mundo é impalpável”

1968 [parte 2]
Leia aqui
“Sou tão misteriosa que não me entendo”

1969 [parte 1]
Leia aqui
“Agora eu conheço esse grande susto de estar viva, tendo como único amparo exatamente o desamparo de estar viva”

1969 [parte 2]
Leia aqui
“Quero que os outros compreendam o que jamais entenderei”

1970
Leia aqui
“O que é mais fácil de se fazer? Existir, depois que passa o medo”

1971
Leia aqui
“Quem se recusa à visão de um bicho está com medo de si próprio”

1972-1973
Leia aqui
“Vida é vida, e não adianta fugir: quando a gente foge, ela corre atrás. É melhor ir ao encontro dela”


Todos os trechos presentes no livro “Todas as crônicas” (Rocco, 2018), de Clarice Lispector.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Rock

Foto: Griffin Wooldridge Para curtir, dirigir, criar, transar, cozinhar, fazer trilha na mata, correr na orla, mergulhar no íntimo, vasculhar os recônditos da mente e se sentir vivo & pulsante na existência, confira as  1 3 playlists de rock da Seleta , com Pink Floyd , Radiohead , The Cranberries , Placebo ,  Led Zeppelin ,  Dire Straits , Creedence Clearwater Revival , U2 ,  The Wallflowers , Counting Crows ,  Audioslave ,  Black Sabbath e Bjørn Riis . Entre 2018 e 2022 , selecionei  1.080 músicas prediletas, presentes em  132 álbuns , 09 EPs e 17 singles , um universo de sensações guitarreiras & poéticas! PS: Esse post será atualizado a cada nova Seleta Rock criada. Seleta: Pink Floyd (2022) 145 músicas | 18 álbuns Ouça aqui Seleta: Radiohead (2022) 130 músicas | 11 álbuns, 07 EPs e 14 singles Ouça aqui Seleta: The Cranberries (2021) 90 músicas | 08 álbuns Ouça aqui Seleta: Placebo (2022) 110 músicas | 15 álbuns e 1 single Ouça  aqui Seleta: Led Zeppelin (2022) 85 mús

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T