Pular para o conteúdo principal

Perambulando #10 - Eric Assmar Trio

foto: Pedro Coelho


Eric Assmar Trio - Texas Flood



Perambulando é uma seção deste blog destinada a expôr os vídeos que irei registrar nas andarilhadas por aí.

Nesta edição, destaco o show de estreia do Eric Assmar Trio, que rolou ontem, 15.10.09, no projeto Clube do Blues, Groove Bar, Barra, em Salvador-BA. O trio é formado por Rafael Zumaeta no baixo, Ricardo Ubdula na bateria e Eric Assmar na guitarra e vocal. E o projeto, de iniciativa muito massa, traz uma noitada de blues nas quintas do Groove Bar. Já passaram por lá o camarada Luiz Rocha e Ícaro Britto. E este mês ainda tem Lia Chaves e Diego Andrade (Mundiça). Não percam!

Foi o comparsa Lobão que primeiro me falou do prodígio Eric Assmar. Ele foi ao show do Vandex no Segundas Musicais em 2008, e me alertou sobre um certo “moleque”, que entupiu tudo no show, e foi o grande destaque na guitarra. Finalizou com a procedência: é filho de Álvaro Assmar, camarada da Educadora FM, maior nome do blues na Bahia, genial guitarrista e enciclopédia viva do rock e blues. Pronto! Antenas em riba, só fui coletando boas referências a partir daí, até que veio a Cerimônia de Entrega do Prêmio Bahia de Todos os Rocks 2008 (outro só em 2010 - é bienal), em que o Eric tocou ao vivo de novo com o Vandex. Confirmei o potencial do rapaz, mas queria vê-lo tocando blues. Acompanhei seu trabalho nas noites divertidaças do Cavern Beatles no 30s (toda sexta), mas o dia não chegava. Até que surgiu o Clube do Blues, e o trio do rebento sacana foi tocar o bom e velho blues.

O show demorou como a porra pra começar, mas pelo menos o Assmar pai, escolado entertainment, preparou um DVD coletânea só com petardos, o que ajudou a agüentar o atraso, e a preparar um ambiente bluesy. Até que finalmente o trio abriu pocando tudo, com uma versão massa pra Everyday I Have the Blues. Logo depois veio a gruvada Marry You, que você confere logo abaixo.

Eric Assmar Trio - Marry You



Em suma, o show foi bem legal, o clima tava ótimo pra uma estreia, cheio de amigos, familiares e conhecidos, a maioria sentada em cadeiras à beira do palco, como deve ser um clube de blues (parabéns, ‘produça’ do Groove). A banda tava coesa (embora o Ricardo, em alguns momentos, tocou muito forte para as sutilezas do blues), Zuma como sempre um baixista coerente, doido pra fazer a sua Black Music, mas pairando em outros estilos com profissionalismo, e Eric tocando à vontade, careteiro como deve ser um feeling guitar man, buscando a sinergia com os olhares atentos do público a todo instante, cantando bem, sem excessos, comandando a dinâmica com rigor, pra deixar o Assmar pai embiritado e orgulhoso.

Muitos aplausos, bis pra mais de quatro músicas depois, e repertório de vários clássicos como Sweet Home Chicago, Outside Woman Blues, Reelin’ and Rockin’, entre outros. No fim, ficou a sensação boa de ver que o ‘moleque’ tem muito potencial, e que enquanto estiver por aqui em Salvador, irei acompanhar a sua carreira de perto, admirando e dando toques também (como limar a cover de Raul que ficou desastrosa), porque ele também é um grande comparsa. Bota pra frente!

Segue abaixo Bold as Love, do mestre maior Jimi Hendrix, com uma longa lista de agradecimentos (perdoável, é claro!), e uma inusitada versão reggae pro clássico I Got a Woman, de Ray Charles.

Eric Assmar Trio - Bold as Love



Eric Assmar Trio - I Got a Woman



.

Comentários

Helenildo Amaral disse…
Muito bom o som do Eric Assmar Trio. Na próxima apresentação no Groove Bar não quero perder. Excelente dica!

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…