Pular para o conteúdo principal

Discografia Mirdad: The Orange Poem - Hybrid


Hybrid é o álbum duplo da banda de blues psicodélico & rock progressivo Orange Poem, de Salvador, Bahia, com os vocais de Glauber Guimarães (ex-Dead Billies), Teago Oliveira (Maglore), Nancy Viégas (Radiola), Mauro Pithon (ex-Úteros em Fúria), Rodrigo Pinheiro (Mulher Barbada) e a presença mais que especial da voz de floresta, ancestral, do mestre septuagenário Mateus Aleluia (ex-Os Tincoãs), um dos mais importantes e referenciais artistas da música afro-baiana.

Produzido pelo multifuncional Emmanuel Mirdad, curador e coordenador da festa literária Flica, o álbum foi gravado pelo experiente e talentoso Tadeu Mascarenhas, do estúdio Casa das Máquinas, responsável pela gravação de vários discos da nova música baiana. São 18 canções que foram lançadas digitalmente no Soundcloud da banda ao longo do ano, divididas em seis EPs, com uma bela arte gráfica assinada pelo também designer Glauber Guimarães, responsável pelo visual do poema laranja.

As músicas são quase todas de Emmanuel Mirdad, exceto por três parcerias com a banda, seu pai e o guitarrista laranja Saint. Como o próprio nome sugere, as letras são poemas em inglês, que tratam da condição humana, indagações, conflitos do íntimo, transcendências, angústias, revelações e relações espirituais, com algumas homenagens a ícones como Raul Seixas, Pink Floyd, Clarice Lispector e Salvador Dalí.




Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

Ouça no Youtube aqui e aqui

Download aqui

Release aqui

Ficha Técnica

HYBRID (2014)

Produzido por Emmanuel Mirdad

CD 01
Psychedelic

01. Cuts (BR-N1I-14-00014)
02. Last Fly (BR-N1I-14-00002)
03. Wideness (BR-N1I-14-00008)
04. Melissa (BR-N1I-14-00018)
05. The Unquietness (BR-N1I-14-00005)
06. Rain (BR-N1I-14-00003)
07. 8/8/88 (BR-N1I-14-00017)
08. Lost Mails (BR-N1I-14-00009)
09. Clouds, Dreams (BR-N1I-14-00015)
10. Homage (BR-N1I-14-00007)
11. Illusion's Wanderer (BR-N1I-14-00016)

Todas as composições de Emmanuel Mirdad, exceto "Illusion's Wanderer", de Ildegardo Rosa e Emmanuel Mirdad

CD 02
Rock

01. Child's Knife (BR-N1I-14-00011)
02. Neither Gods, Nor Devils (BR-N1I-14-00006)
03. Farewell Song (BR-N1I-14-00004)
04. One and Three (BR-N1I-14-00013)
05. Shining (BR-N1I-14-00010)
06. The Green Bee (BR-N1I-14-00012)
07. Dubious Question (BR-N1I-14-00019)

Todas as composições de Emmanuel Mirdad, exceto "One and Three", de Emmanuel Mirdad e Saint, e "Shining", de Emmanuel Mirdad, Artur Paranhos, Marcus Zanom, Hosano Lima Jr. e Fábio Vilas-Boas.


The Orange Poem

Marcus Zanom - guitarra e sanfona
Mirdad - violão 12 cordas, gritos e backing vocal
Hosano Lima Jr. - bateria
Saint - guitarra
Artur Paranhos - baixo
Tadeu Mascarenhas - piano, sintetizador, órgão, guitarra portuguesa, sanfona e guitarra

Convidados especiais


Mateus Aleluia
Voz em "Cuts" e "Clouds, Dreams"
Backing vocal em "Illusion's Wanderer"


Nancy Viégas - voz em "Wideness", "Lost Mails" e "Shining"

Glauber Guimarães - voz em "Last Fly", "Rain" e "Farewell Song"

Mauro Pithon - voz em "Child's Knife", "One and Three" e "The Green Bee"


Teago Oliveira


Rodrigo Pinheiro
Voz em "The Unquietness", "Homage" e "Neither Gods, Nor Devils"





Ildegardo Rosa (in memoriam)
Voz em português em
"Illusion's Wanderer" e "The Green Bee"





Rajasí Vasconcelos - backing vocal e violão reverse em "Dubious Question", risadas em "Last Fly"

Gabriel Franco - grito em "Rain"

"Illusion's Wanderer" contém fragmentos de 14 poemas de Ildegardo Rosa, montados por Emmanuel Mirdad

"Child's Knife" contains "Les Autres", a Herculano Neto's poem, translated by Pedro Vianna

"The Green Bee" contains a fragment of "A Tirania das Formas", a Ildegardo Rosa's poem

Recording, mixing and mastering: Tadeu Mascarenhas at Casa das Máquinas, Salvador-BA

Artwork: Glauber Guimarães

Contracapa






Encarte







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…