Pular para o conteúdo principal

Seleta: Burning Spear

Álbuns de Burning Spear participantes desta Seleta


Burning Spear (Winston Rodney, nascido na Jamaica em 1945) completou 70 anos no mês passado e é um dos mais importantes artistas jamaicanos em atividade, uma lenda viva do reggae, com vários discos lançados desde os anos 1970 e clássicos como Slavery Days, Cry Blood Africans e Hail H.I.M., entre muitos outros. Tem uma obra robusta, repleta de canções de louvor a Jah e de afirmação da negritude, e uma voz peculiar, como outros grandes ícones jamaicanos, tal Joseph Hill, Apple Gabriel e Peter Tosh. Na Seleta de hoje, as 98 melhores faixas da obra de Burning Spear, do período de 1973 a 2008, na opinião do fã Emmanuel Mirdad, presentes em 22 álbuns disponíveis na página do artista no site Grooveshark (muitos álbuns estão incompletos e os álbuns dub foram destacados na Seleta aqui). Para escutar, baixa clicar no player abaixo.



Não consegue visualizar o player? Ouça aqui


Repertório da Seleta Burning Spear, de 1973 a 2008:

01) House of Reggae - Calling Rastafari (1999)

02) Live Good - Marcus Garvey (1975)

03) Cry Blood Africans - Hail H.I.M. (1980)

04) Let's Move - Calling Rastafari (1999)

05) Tradition - Marcus Garvey (1975)

06) Jah See and Know - Hail H.I.M. (1980)

07) Shout it Out - Dry & Heavy (1977)

08) African Teacher - Hail H.I.M. (1980)

09) My Roots - Mek We Dweet (1990)

10) Slavery Days - Marcus Garvey (1975)

11) Follow Marcus Garvey - Hail H.I.M. (1980)

12) The Invasion - Marcus Garvey (1975)

13) Freeman - Freeman (2003)

14) Marcus Senior - Social Living (1978)

15) Walk - Our Music (2005)

16) Stick to The Plan - Jah is Real (2008)

17) Not Stupid - Rasta Business (1995)

18) Hail H.I.M. - Hail H.I.M. (1980)

19) Mek We Yadd - Resistance (1985)

20) Old Boy Garvey - The Fittest of the Fittest (1983)


Burning Spear - foto daqui


21) Clean it Up - Appointment with His Majesty (1997)

22) As It Is - Calling Rastafari (1999)

23) Rise Up - Freeman (2003)

24) You Were Wrong - Jah is Real (2008)

25) Mister Garvey - Social Living (1978)

26) We Feel It - Freeman (2003)

27) 700 Strong - Jah is Real (2008)

28) My Island - Appointment with His Majesty (1997)

29) Marcus Say Jah No Dead - Social Living (1978)

30) The Sun - Dry & Heavy (1977)

31) Fire Down Below - Studio One Presents Burning Spear (1973)

32) Weeping and Wailing - Rocking Time (1974)

33) Any River - Dry & Heavy (1977)

34) We are Free - Studio One Presents Burning Spear (1973)

35) The Fittest of the Fittest - The Fittest of the Fittest (1983)

36) Red, Gold and Green - Marcus Garvey (1975)

37) Columbus - Hail H.I.M. (1980)

38) Every Other Nation - Rasta Business (1995)

39) I Stand Strong - The World Should Know (1993)

40) Image - Farover (1982)


Burning Spear - foto daqui


41) Lion - Man in the Hills (1976)

42) Nayah Keith - Social Living (1978)

43) Grandfather - Jah is Real (2008)

44) Down in Jamaica - Our Music (2005)

45) Grassroot - Jah is Real (2008)

46) Hey Dready - Freeman (2003)

47) Come - Social Living (1978)

48) Wickedness - Jah is Real (2008)

49) Trust - Freeman (2003)

50) Farover - Farover (1982)

51) Appointment with His Majesty - Appointment with His Majesty (1997)

52) Calling Rastafari - Calling Rastafari (1999)

53) Glory be to Jah - Appointment with His Majesty (1997)

54) Rasta Business - Rasta Business (1995)

55) African Jamaican - Appointment with His Majesty (1997)

56) Creation - Rasta Business (1995)

57) Sons of He - Calling Rastafari (1999)

58) Fire Man - The Fittest of the Fittest (1983)

59) Jah Say - Resistance (1985)

60) We Been There - Resistance (1985)


Burning Spear - foto daqui 


61) Repatriation - The Fittest of the Fittest (1983)

62) Holy Foundation - Resistance (1985)

63) Mi Gi Dem (I Give Them) - The World Should Know (1993)

64) Down by the Riverside - Studio One Presents Burning Spear (1973)

65) Throw Down Your Arms - Dry & Heavy (1977)

66) Give Me - Marcus Garvey (1975)

67) Dry & Heavy - Dry & Heavy (1977)

68) Mother - Man in the Hills (1976)

69) Door Peep Shall Not Enter - Studio One Presents Burning Spear (1973)

70) Old Time Saying - Rocking Time (1974)

71) Wailing - Dry & Heavy (1977)

72) Jordan River - Marcus Garvey (1975)

73) Ethiopian Live Out - Studio One Presents Burning Spear (1973)

74) Oh Jah - Farover (1982)

75) It's a Long Way Around - Dry & Heavy (1977)

76) Mamie - Rocking Time (1974)

77) Pick Up the Pieces - Studio One Presents Burning Spear (1973)

78) Bad to Worst - Rocking Time (1974)

79) Don't Sell Out - Appointment with His Majesty (1997)

80) Africa - Rasta Business (1995)


Burning Spear - foto daqui


81) This Experience* - People of the World (1986)

82) Identity - The World Should Know (1993)

83) We are Going* - People of the World (1986)

84) Hello Rastaman - Rasta Business (1995)

85) The World Should Know - The World Should Know (1993)

86) People of the World* - People of the World (1986)

87) Loving Day - The World Should Know (1993)

88) Land of My Birth - Jah Kingdom (1991)

89) Civilization - Mek We Dweet (1990)

90) When Jah Call - Jah Kingdom (1991)

91) No Worry You'self - People of the World (1986)

92) Reggae Physician - Appointment with His Majesty (1997)

93) Built This City - People of the World (1986)

94) Thank You - Jah Kingdom (1991)

95) Peace - The World Should Know (1993)

96) Man in the Hills - Live (1977)

97) Black Soul - Live (1977)

98) Jah Kingdom - Love & Peace: Burning Spear Live! (1994)


*No site está com o título errado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…