sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

A presença de Mayrant Gallo

Mayrant Gallo e Emmanuel Mirdad por Sarah Fernandes
Noite de autógrafos do livro Olhos abertos no escuro
San Pietro Tapas - Pituba - Salvador - Bahia - Brasil


Foi só pelo impacto de ler Pés quentes nas noites frias (Funceb-EGBA, 1999) que eu passei a escrever contos. E foi graças às leituras de muitos livros seus (leia trechos aqui), além do já citado, e das leituras que você me indicou, como os mestres Anton Tchekhov e Dino Buzzati, que pude escrever Olhos abertos no escuro (Via Litterarum, 2016), dedicado a você, com 30 epígrafes suas abrindo os meus contos, que selecionei com muito gosto.


Meu professor, mestre, amigo, que me honrou com a presença na noite de autógrafos no San Pietro Tapas, mesmo com a dor da ausência da querida Andréia. Para quem não o conhece, esse é Mayrant Gallo, o melhor escritor baiano em atividade (embora que o poeta eu considere Ruy Espinheira Filho), uma biblioteca viva de leituras, uma enciclopédia de cultura pop e erudita, um grande amigo, sempre presente. Grato! Valeu demais!



Nenhum comentário: