Pular para o conteúdo principal

Melhores da revista piauí em 2016

Capas das revistas piauí 115, 119, 120, 113, 118, 117, 114, 121, 112 e 116 de 2016.


Os 41 melhores textos/HQs, que foram publicados na revista piauí em 2016 (exceto as edições de novembro e dezembro), você confere na lista abaixo, selecionados por mim, que fui assinante (primeiro das bancas e depois na forma padrão) da piauí_5 à piauí_121, num levantamento que fiz durante o ano. Não disponibilizo os links para acesso porque a revista trocou de servidor duas vezes, e não há como definir se o conteúdo continuará disponível na internet. Recomenda-se procurar o site da revista no Google, e pesquisar pelo título da matéria para verificar se está disponível para leitura ou não.

A melhor piauí de 2016 foi a de número 115, de abril, com destaque para a reportagem de Bernardo Esteves sobre a guerra centenária contra o mosquito Aedes aegypti, a matéria de Adriana Abujamra sobre as utopias e os tormentos que marcaram a trajetória da Cosac Naify, o diário com fragmentos da rotina de um casamento triplo entre mulheres, a HQ com a parceria entre Rafael Coutinho e Antonio Prata, a matéria sobre o estrategista militar e conselheiro de presidentes, e um dos textos da série da colombiana Margarita García Robayo, entre outros.

Completando o top five, a #119 (agosto), com o melhor texto publicado na revista em 2016, do editor Tiago Ferro, sobre a morte de sua filha de 8 anos; a #120 (setembro), com Siddhartha Mukherjee informando as novas descobertas sobre a esquizofrenia, que reacendem velhas questões sobre genes e identidade; a #113 (fevereiro), com o sensacional texto de Karl Ove Knausgård sobre o que acontece durante uma neurocirurgia; e a #118 (julho), com a reconstituição da tragédia de Mariana, o maior desastre ambiental do país, pela jornalista Consuelo Dieguez. A pior piauí do ano, foi a #116, de maio.


Melhores 2016 - Parte I


Já não era mais terça-feira, mas também não era quarta
Um editor escreve sobre a morte de sua filha de 8 anos.
Tiago Ferro
Edição 119 | Agosto de 2016
_história pessoal


Vozes de Chernobil
Relatos de quem sobreviveu ao maior desastre nuclear da história.
Svetlana Aleksiêvitch
Edição 114 | Março de 2016
_anais da catástrofe


Trump e os limites da democracia
Por que os Estados Unidos se tornaram um terreno fértil para a tirania?
Andrew Sullivan
Edição 117 | Junho de 2016
_questões americanas


Só a arte me interessa, mas amo você
Estou pronto a ser submetido à tortura chinesa para encontrar o adjetivo exato. Sou um homem chato e desagradável, mergulhado na literatura.
Vladimir Nabokov
Edição 113 | Fevereiro de 2016
_correspondência


Cartas a Véra
A longa relação de cumplicidade entre Nabokov e sua mulher.
Jorio Dauster
Edição 113 | Fevereiro de 2016
_questões epistolares


Viagem ao fundo da mente
O que acontece durante uma neurocirurgia.
Karl Ove Knausgård
Edição 113 | Fevereiro de 2016
_questões médico-existenciais


A via-crúcis de Charles
As utopias e os tormentos que marcaram a trajetória da Cosac Naify.
Adriana Abujamra
Edição 115 | Abril de 2016
_vultos do mercado editorial


A estrada para o Maláui
Moçambique volta a ser palco de conflitos armados depois de vinte anos de paz.
Gisele Lobato
Edição 120 | Setembro de 2016
_carta da África


Conspiração amarga
Se há muito se sabe que o açúcar é o vilão, por que a gordura pagou o pato durante tanto tempo?
Ian Leslie
Edição 117 | Junho de 2016
_questões alimentares


O arquivo Assad
Como uma organização independente conseguiu reunir documentos oficiais capazes de incriminar o governo de Bashar al-Assad por violações aos direitos humanos.
Ben Taub
Edição 119 | Agosto de 2016
_carta da Síria


Melhores 2016 - Parte II


Mal de família
Novas descobertas sobre a esquizofrenia reacendem velhas questões sobre genes e identidade.
Siddhartha Mukherjee
Edição 120 | Setembro de 2016
_questões psiquiátricas


A organização
Como Marcelo Odebrecht chegou ao comando da maior empreiteira do país – e acabou na prisão.
Malu Gaspar
Edição 121 | Outubro de 2016
_anais da República


A guerra dos cem anos
Por que o Brasil não consegue vencer o Aedes aegypti?
Bernardo Esteves
Edição 115 | Abril de 2016
_anais da entomologia


Cenas de um casamento
O trio de mulheres que divide a cama e a vida no Rio de Janeiro.
Verônica, Nina e Ana
Edição 115 | Abril de 2016
_diário


Umidade
Primeiro capítulo de um folhetim para meninas.
Margarita García Robayo
Edição 114 | Março de 2016
_educação sexual


Catecismo
O recato era uma virtude em degradê, que começava no México e se dissolvia na Argentina.
Margarita García Robayo
Edição 115 | Abril de 2016
_educação sexual


Meninas Furadas
Para uma moça católica, abortar era o mesmo que mutilar o Menino Deus com um alicate.
Margarita García Robayo
Edição 116 | Maio de 2016
_educação sexual


E eu com isso?
Queria conseguir uma bolsa da Nasa e sumir do mapa para sempre.
Margarita García Robayo
Edição 117 | Junho de 2016
_educação sexual


O grito silencioso
As professoras da Opus Dei acreditavam que os fetinhos agonizantes pediam socorro.
Margarita García Robayo
Edição 118 | Julho de 2016
_educação sexual


Boa noite, Cinderela
Era a primeira vez que eu ouvia falar da pílula do dia seguinte.
Margarita García Robayo
Edição 119 | Agosto de 2016
_educação sexual


Melhores 2016 - Parte III


Fooquedeu
Fragmentos sobre a exposição O Direito à Preguiça, o lugar do artista e a crise do país.
Nuno Ramos
Edição 118 | Julho de 2016
_diário


Os intocáveis
Como um grupo de procuradores combateu a corrupção na Itália – e acabou derrotado.
Rafael Cariello
Edição 116 | Maio de 2016
_anais da política


A onda
Uma reconstituição da tragédia de Mariana, o maior desastre ambiental do país.
Consuelo Dieguez
Edição 118 | Julho de 2016
_anais da catástrofe


Ao gosto do freguês
Como fazer filmes para as multidões.
Luiza Miguez
Edição 112 | Janeiro de 2016
_questões cinematográficas


Paris não é uma festa
Depois dos ataques, os franceses recorrem ao mundo descomplicado de Hemingway.
Alejandro Chacoff
Edição 112 | Janeiro de 2016
_questões literárias


O Maquiavel de Maryland
Estrategista militar e conselheiro de presidentes, Edward Luttwak se divide entre o estudo dos clássicos e a criação de gado.
Thomas Meaney
Edição 115 | Abril de 2016
_perfil


Esperando João
A parceria complicada entre o banqueiro Daniel Dantas e o inventor da bossa nova.
Consuelo Dieguez
Edição 112 | Janeiro de 2016
_anais da MPB


Sideral
O dia em que o sol desapareceu num buraco.
Helen Macdonald
Edição 118 | Julho de 2016
_autoficção


Os pretos, os brancos, os amarelos e as verdinhas
O mundo colorido de João Havelange.
Daniela Pinheiro
Edição 120 | Setembro de 2016
_despedida


Língua peçonhenta
O purgatório das palavras na literatura de Raduan Nassar.
Alejandro Chacoff
Edição 119 | Agosto de 2016
_questões literárias


Melhores 2016 - Parte IV


O momento
Quando é que um escritor começa de fato a escrever?
Arnon Grunberg
Edição 120 | Setembro de 2016
_questões literárias


Minsky e nós
As ideias do pai da Inteligência Artificial.
Pablo Nogueira
Edição 114 | Março de 2016
_despedida


Feitiço e o paulista de Macaé
O dia em que um jogador enfrentou Washington Luís em São Januário.
Boris Fausto
Edição 120 | Setembro de 2016
_memórias político-ludopédicas


Garrincha em forma
Um herói brasileiro na linha de produção de Robert Wilson.
Paula Scarpin
Edição 116 | Maio de 2016
_questões cênicas


No zoológico de Darwin
Notas de uma tumultuada expedição a Galápagos.
Vanessa Barbara
Edição 119 | Agosto de 2016
_diário


A chuteira e o jaleco
Um craque entre o futebol e a medicina.
Tostão
Edição 121 | Outubro de 2016
_memórias ludopédicas


A panaceia
Ascensão e queda da pílula do câncer.
Bernardo Esteves
Edição 120 | Setembro de 2016
_anais da oncologia


Parque de diversões
O Jornal do Brasil nos tempos do colunista Zózimo Barrozo do Amaral.
Joaquim Ferreira dos Santos
Edição 121 | Outubro de 2016
_anais da imprensa


Melhores 2016 - HQs


Cartuns
Laerte Coutinho
Edição 121 | Outubro de 2016
_cartuns


IPA
A distopia que não veio.
Rafael Coutinho, Antonio Prata
Edição 115 | Abril de 2016
_quadrinhos


Memórias póstumas de Ivan Lessa
Conselhos do além-túmulo de um humorista ranzinza.
Reinaldo Figueiredo
Edição 113 | Fevereiro de 2016
_quadrinhos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…