Pular para o conteúdo principal

Literatura no Insta #03


Saí do
Instagram no final de 2016. Não fez falta. Agora, na pandemia de 2020, voltei com um novo @ [pegaram o meu antigo], para poder assistir às lives. Decidi compartilhar literatura nessa rede, aproveitando o acervo garimpado neste blog. Na rodada #03David Foster Wallace, Clarice Lispector, Ralph Elisson, Orides Fontela, Martha Galrão, Hélio Pólvora, Cidinha da Silva e Ângela Vilma, entre outros, 15 cards publicados no @emmanuelmirdad.

Presente no livro “A chuva de Maria”, pg 77, da poeta Martha Galrão. #marthagalrao #achuvademaria #muadiemaria #poesia #poema #literatura #poemas #literaturabrasileira #poesiabrasileira #leiamulheres

Os seis dias de Carnaval de uma mãe solteira, duas filhas pequenas, entre a arrochada de camisola no corredor do hotel para um strip-tease via Skype a um amasso no moreno casado no Pelô enquanto a esposa cuida das suas filhas. Quer continuar a ler? Joga no Google: conto Cinzas de Emmanuel Mirdad. Free! #emmanuelmirdad #cinzas #olimbodosclichesimperdoaveis #literatura #literaturabrasileira #contos #contosbrasileiros

Presente no conto “Mar de Azov”, que dá título ao livro do mestre Hélio Pólvora (1928-2015). “Ser homem é assumir a realidade” me impacta até hoje. Usei a frase como epígrafe. E ela continuará ressoando pelo resto do que me resta de vida. É o verbo mais corajoso que existe: assumir. “Assuma a sua porra, rapaz” é algo que sempre cobrarei. Eu assumo o que faço, assumo a realidade e faço. Sem historinha. Sem enrolação. Sem mentira. Assumir não como excepcional. Assumir como óbvio. Assumir é civilização. Civilizar o ser humano é assumir a realidade. Hélio sintetizou o que o meu pai me ensinou. E é o que tento ensinar por aí. Assuma a sua porra! #heliopolvora #mardeazov #literatura #literaturabrasileira #contos #contosbrasileiros

“Nunca fui mais odiado do que quando tentei ser honesto” & nunca fui mais amado (...) quando tentei dar a meus amigos as respostas incorretas e absurdas que eles desejavam ouvir. Exato! Trecho sensacional do escritor negro norte-americano Ralph Ellison (1914-1994), garimpado do epílogo clássico romance Homem invisível, traduzido por Mauro Gama e lançado no Brasil pela José Olympio. #ralphellison #homeminvisivel #invisibleman #romance #literatura #literaturaafro #literaturanegra #literaturaafroamericana #literaturaamericana #literaturanorteamericana #novel #joseolympioeditora #ralphellisoninvisibleman

Acompanhe as crônicas da morena mais frajola da Bahia, Joana Rizério, la @bandidacorazon #literatura #literaturabrasileira #bandidacorazon #joanarizerio #cronicas #cronicasbrasileiras #cronicabrasileira #amor #sobreoamor #leiamulheres

Nunca mais comi lagosta, siri ou caranguejo depois de ler o incrível artigo “Pense na lagosta”, do escritor norte-americano David Foster Wallace (1962-2008). Fiquei marcado mesmo, foi um “se ligue” muito foda, nunca havia pensado nessa perspectiva. Recomendo em alta a leitura: joga “Pense na lagosta David Foster” no Google, tem disponível para leitura no site da @revistapiaui. O trecho foi garimpado do indispensável livro de ensaios “Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo”, pg. 253, tradução de Daniel Galera e Daniel Pellizzari, lançado pela @companhiadasletras em 2012. #davidfosterwallace #pensenalagosta #literatura #literaturanorteamericana #literaturaamericana #artigo #ensaios #ensaio #considerthelobster #danielgalera #danielpellizzari #companhiadasletras #ciadasletras #ficandolongedofatodejaestarmeioquelongedetudo “Por mais estuporada que esteja depois do trajeto, por exemplo, a lagosta costuma voltar à vida de forma alarmante ao ser colocada na água fervente. Quando é despejada do recipiente para dentro do tacho fumegante, às vezes a lagosta tenta se segurar nas bordas do recipiente ou até mesmo enganchar as garras na beira do tacho como uma pessoa dependurada de um telhado, tentando não cair. Pior ainda é quando a lagosta fica imersa por completo. Mesmo que o sujeito tampe o tacho e saia de perto, normalmente é possível ouvir a tampa chacoalhando e rangendo enquanto a lagosta tenta empurrá-la. Ou escutar as garras da criatura raspando o interior do tacho enquanto se debate. Em outras palavras, a lagosta apresenta um comportamento muito parecido com o que eu ou você apresentaríamos se fôssemos atirados em água fervente (com a óbvia exceção dos gritos)”.

Belo e singelo poema de Érica Azevedo, presente no livro A chuva & o labirinto, lançado pela @editoramondrongo em 2017. #ericaazevedo #literatura #poesia #poema #literaturabrasileira #leiamulheres #leiamulheresnegras #achuvaeolabirinto

Não existe “nós” no “eu te amo”. #emmanuelmirdad #afarsa #olimbodosclichesimperdoaveis #literatura #literaturabrasileira #contos #contosbrasileiros

Trecho da escritora norte-americana Flannery O'Connor (1925-1964), garimpado do seu 1º romance, “Sangue sábio” (“Wise Blood”, 1952), que serve de epígrafe da edição brasileira de “Out of the Woods” (1999), livro de contos do escritor norte-americano Chris Offutt, lançada como “Além das montanhas” pela Rocco em 2003, com tradução de Mário Molina. #flanneryoconnor #sanguesabio #wiseblood #epigrafe #alemdasmontanhas #outofthewoods #chrisoffutt #rocco #literatura #literaturanorteamericana #romance #contos #novel #shortstories #leiamulheres

“A despeito da vida de fracassos que impuseram aos meus iguais consegui superar as previsões estatísticas, mantive minha alegria de viver. Não estou deprimido e não vou me matar. Não, mesmo!” Garimpado do livro de crônicas “#Parem de nos matar!”, da escritora mineira Cidinha da Silva, pg 153. #paremdenosmatar #cidinhadasilva #literatura #literaturabrasileira #literaturanegra #cronicas #cronica #leiamulheres #leiamulheresnegras

“só a raiz é o fruto” Yeba! Issoaê, poeta maravilhosa, viva @oridesfontela! Poema garimpado do livro Poesia completa, lançado pela Hedra em 2015. #oridesfontela #literatura #literaturabrasileira #poesia #poema #poemas #poesiacompleta #hedra #poesiabrasileira #leiamulheres

Trecho garimpado do romance Tchau, do cronista baiano Ricardo Cury, lançado em 2019. #ricardocury #literatura #literaturabrasileira #romance #tchau

Clarice Lispector, 100 anos em 2020. Garimpado do livro predileto da mestra, A descoberta do mundo, de crônicas, lançado pela Rocco. #claricelispector #claricelispector100anos #centenarioclaricelispector #literatura #literaturabrasileira #cronicas #cronica #leiamulheres

Dois suicidas se atiram do alto de um prédio e conversam durante a queda fatal. Antônio pergunta: “Você afinal está se matando por quê?”. João responde “Por amor” e espanca: “Duvidoso como é, o amor me provocou dores horríveis. Nunca se sabe se o que chamamos amor é desamparo, solidão doentia ou desejo incontrolável de dominação. O que na verdade me seduz é que o amor destrói certezas com a mesma incomparável transparência com que o caos significante enfrenta a insignificância da ordem. Não, o amor não é a solução para a vida. Mas é culminância. Morrer por ele me trouxe paz.” “Dois corpos que caem”, contaço predileto do livro “Troços & destroços”, do escritor João Silvério Trevisan, lançado pela editora Record em 1998. #doiscorposquecaem #troçosedestroços #joaosilveriotrevisan #literatura #literaturabrasileira #contos #livrodecontos #conto #editorarecord #record #suicidio #suicidas

Ângela Vilma é poeta e professora. Entre 2007 e 2012, fez um acervo maravilhoso de crônicas no blog Aeronauta, cheio de preciosidades. Recomendo em alta a leitura. Joga no Google Blog Aeronauta, de Ângela Vilma que vcs vão achar o link no meu blog com uma seleta massa. #angelavilma #aeronauta #literatura #literaturabrasileira #cronicas #cronica #leiamulheres

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Edson Gomes

Os discos e as músicas do cantor e compositor Edson Gomes são os meus prediletos e as que eu mais gosto dentre tudo que é feito de reggae no Brasil. No meado dos anos 1990, eu só ouvia Bob Marley & The Wailers o tempo inteiro, e foi o ilustre mestre cachoeirano quem despertou o meu interesse para outros sons além do gigante jamaicano. Fiquei fã de Edson Gomes antes de conhecer Burning Spear , Peter Tosh , Alpha Blondy , Gregory Isaacs e muitos outros. Foram os clássicos dele, e são muitos, muita música boa, arranjos excelentes, o sonzaço da banda Cão de Raça (adoro a timbragem e improvisos do guitarrista Tony Oliveira ), que me apresentaram a magia do Recôncavo Baiano , de Cachoeira , muitos anos antes da Flica . Na Seleta de hoje, as 42 músicas que mais gosto, gravadas por Edson Gomes & Banda Cão de Raça , presentes em seis álbuns : “ Resgate Fatal ” (1995), “ Campo de Batalha ” (1992), “ Recôncavo ” (1990), “ Apocalipse ” (1997), “ Reggae Resistência ” (1988) e “ Acor