Pular para o conteúdo principal

Martha Anísia — Músicas para Idosos na Pandemia (Vol. 1)

Martha Anísia e o seu violão Alhambra. Foto: Emmanuel Mirdad


Martha Anísia, 82 anos, passou os meses de abril a agosto em quarentena irrestrita. Isolada no seu apê, manteve contato com as amigas via WhatsApp, quando teve a ideia de gravar músicas e enviar para elas. Com mais de 70 anos de música, uma vida dedicada à arte e ao ensino, acompanhada pelo seu violão Alhambra, registrou diversas canções no celular, e fez a alegria da família & geral com um canto doce, singelo, bonito & o seu violão que sempre nos encantou. Agora, resolve compartilhar com a internet o registro da sua quarentena [ao vivo sem cortes ou edição]. Parabéns, mãe, é um presentão!



Não consegue visualizar o player? Veja no YouTube aqui


MÚSICA PARA IDOSOS NA PANDEMIA

Martha Anísia


A pandemia surgiu, como um vendaval, como uma tempestade, como um tsunami e as pessoas foram pegas de surpresa. Violentamente sacudiu, arrastou padrões, conceitos, estruturas que a humanidade tinha construído. E algo invisível mostrou que nada visível é permanente. Tudo muda.


Ao refletir sobre isso, eu cantei “Como uma onda”, música de Lulu Santos, e enviei para as pessoas da minha amizade, para lembrar-lhes que tudo passa. Então, uma amiga escolheu uma música e me pediu que eu cantasse para ela. Assim eu fiz, apesar de não ser cantora e reconhecer as limitações que poderiam me impedir de realizar o seu pedido — estou nesse corpo há 82 anos, e o corpo tem limites.


E aconteceu um encadeamento de pedidos das amigas que escolhiam uma música e me pediam para cantar, e eu fui realizando os seus pedidos. Vejo, observo que existem muitas falhas, não há perfeição. Existem limitações do corpo onde estou, mas o sopro da minha alma tem chegado nos corações abertos para recebê-lo. É só isso.


Música para Idosos na Pandemia Vol. 1

01. As Rosas Não Falam (Cartola)

02. Hino ao Amor (Edith Piaf/M. Monnet)

03. Eu Sonhei que Tu Estavas Tão Linda (Lamartine Babo/Francisco Matoso)

04. Sorri (Turner/Parsons/Charles Chaplin)

05. O Doce Mistério da Vida (V. Herbert - Versão Alberto Ribeiro)

06. A Noite do Meu Bem (Dolores Duran)

07. Carinhoso (Pixinguinha/João de Barro)

08. Lua Branca (Chiquinha Gonzaga)

09. A Deusa da Minha Rua (Newton Teixeira/Jorge Faraj)

10. Siá Mariquinha (Luiz Assunção)

11. Índia (J. Flores/M. Guerreiro)

12. Rosa (Pixinguinha)

13. Noite Cheia de Estrelas (Cândido Neves)

14. Paz do Meu Amor (Luiz Vieira)

15. Normalista (Benedito Lacerda/David Nasser)


Voz e violão: Martha Anísia

Gravado no Voice Recorder do celular entre abril e agosto de 2020, em Salvador, Bahia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Edson Gomes

Os discos e as músicas do cantor e compositor Edson Gomes são os meus prediletos e as que eu mais gosto dentre tudo que é feito de reggae no Brasil. No meado dos anos 1990, eu só ouvia Bob Marley & The Wailers o tempo inteiro, e foi o ilustre mestre cachoeirano quem despertou o meu interesse para outros sons além do gigante jamaicano. Fiquei fã de Edson Gomes antes de conhecer Burning Spear , Peter Tosh , Alpha Blondy , Gregory Isaacs e muitos outros. Foram os clássicos dele, e são muitos, muita música boa, arranjos excelentes, o sonzaço da banda Cão de Raça (adoro a timbragem e improvisos do guitarrista Tony Oliveira ), que me apresentaram a magia do Recôncavo Baiano , de Cachoeira , muitos anos antes da Flica . Na Seleta de hoje, as 42 músicas que mais gosto, gravadas por Edson Gomes & Banda Cão de Raça , presentes em seis álbuns : “ Resgate Fatal ” (1995), “ Campo de Batalha ” (1992), “ Recôncavo ” (1990), “ Apocalipse ” (1997), “ Reggae Resistência ” (1988) e “ Acor