Pular para o conteúdo principal

Vamos ouvir: Qualquer Frágil Fio de Fantasia, do Lise

Qualquer Frágil Fio de Fantasia (2011) - Lise




Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

Release disponível no site do projeto:

"
O Lise, projeto do multiistrumentista mineiro Daniel Nunes (também integrante da banda instrumental Constantina), lança em 2011 o CD “Qualquer Frágil Fio de Fantasia”, no qual consolida seus experimentos sonoros que absorvem elementos da música contemporânea aliados ao pós-rock, eletrônica de vanguarda, música ambiente e até hip hop.

No novo CD as composições do Lise absorvem a música contemporânea, eletrônica e ambiente, partindo de temas instrumentais e experimentação de novas sonoridades. Participam do álbum artistas da cena musical alternativa de BH como o multiinstrumentista Barulhista, Dedig e Matéria Prima (os dois últimos, integrantes da banda Zimun), cuja participação resulta em uma inusitada canção de rap experimental (na faixa "Cuando el tiempo es la poesia", também conhecida com o título alternativo de "Parece Constantina"). O CD "Qualquer Frágil Fio de Fantasia” está disponível para audição no site do artista (www.projetolise.com).


Através do projeto "Lise em Rotação" (viabilizado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte), o Lise também promove workshops gratuitos sobre produção musical em estúdios caseiros (home studios), tendo como exemplo o próprio processo de produção de seu CD, gravado em casa. O objetivo é apresentar ferramentas e técnicas de produção de áudio para artistas independentes, profissionais do mercado audiovisual e interessados em música. 


O projeto já se apresentou em capitais brasileiras como Rio de Janeiro e Maceió e integrou a programação dos festivais Conexão Vivo, Pequenas Sessões, Lab e Escambo. No exterior, realizou shows na Argentina. Daniel também é membro-fundador da banda Constantina, com a qual se apresentou no festival SXSW - South by Southwest (considerado o maior festival de música do mundo), no Texas/EUA, e em Nova York/EUA (na primeira edição norte-americana do festival Grito Rock), além de shows por diversas cidades brasileiras. Outro projeto do qual participa é o premiado Reações Visuais, experimentação audiovisual que trabalha a transformação de sons urbanos em imagens digitais através de software-arte ao lado do artista L_ar. Com este trabalho, venceu o Prêmio Interações Estéticas – Funarte 2008 e Rede Nacional Artes Visuais – Funarte 2009 e se apresentou em festivais e projetos como Circuito Sesc de Artes, Festival On_Off - Itaú Cultural (sendo os únicos artistas brasileiros na programação) e III Mostra Livre de Cinema (Rio de Janeiro).
"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

O fim do Blog do Ël Mirdad

Esta é a última postagem do Blog do Ël Mirdad (que um dia já foi Farpas e Psicodelia). Ao fim, foram 1.083 postagens em 8 anos de atividade, de 2009 a 2016. Divulguei o trabalho de muitos artistas, nas áreas da música, literatura e audiovisual (eventos, shows, quadrinhos, etc.), e também o meu trabalho como compositor, escritor e produtor cultural. Das seções que fiz, a que mais me orgulhou foi Leituras. Abaixo, seguem duas imagens com estatísticas que o próprio Blogger oferece, apuradas em 22 de dezembro. O motivo para o fim desse blog é que não assinarei mais como Emmanuel Mirdad, e não tem lógica manter um canal de comunicação vinculado a esse nome.


Algum dia farei outro blog? Acho difícil. Caso faça, divulgarei apenas o meu trabalho como escritor, o único que continua, assinando, a partir de 2017, como Emmanuel Rosa.


Muito obrigado pela sua audiência. E espero que o Google mantenha esse acervo ativo, para quando você quiser voltar por aqui e ler (ou ouvir) algo que lhe agradou, d…