Pular para o conteúdo principal

Cinco poemas e três trechos de Martha Galrão no livro Maturando pernas em rabo de peixe

Martha Galrão (foto: Haroldo Abrantes)


[sem título]
Martha Galrão

Chove
Não resiste acesa
nenhuma fogueira

Noite austera
escura, erma
nem uma fogueira
acesa

Cumpro a sina
de nomear tochas
para iluminar meu enigma

O silêncio torna a encobri-lo

Tudo é noite
não posso dizer
mais do que posso.

--------

[sem título]
Martha Galrão

Somos muitas mulheres
que sentiram as mãos do tio, pai, padrasto
entre as coxas
e o sussurro indecente no ouvido:
papai pode

vi o olho roxo da minha amiga
pintado por um murro de seu pai

as que apanharam dos irmãos,
namorados, maridos,
são muitas, são todas,
sou eu e é você

são putas
somos todas putas
e quem não é
está à beira de ser.

--------

[sem título]
Martha Galrão

Vento frio, mãos frias, coração apertado,
reverberação de palavras
se pudesse escreveria um poema, agora,
a poesia me olha de lado:
fique aí com sua agonia pois não estou aqui
pra isso.

--------

Urdidura
Martha Galrão

se vou cair no corpo
sem fundo
a palavra me ampara

--------

[sem título]
Martha Galrão

Fui pleno manguezal.
Como minha bisavó, minha avó,
minha mãe
eu pari uma menina
eu pari uma mulher.
Não há, meus orixás, nesse mundo,
felicidade maior que essa.

--------

“Não sei de onde vem
a velocidade do mal estar.
Errei o caminho.
A cigarra fere a acácia
e deixa que o secreto escorra
entre a raiz e os ramos.
Quero fazer do meu corpo
um arco nu e alongado
mas o veneno da Língua
me fere como um machado.”


“Ao ver dois homens juntos
esperar crueldade
novos decretos, novas palavras
para designar velharias.

Carregar o mistério do mundo
no âmago da alma
como o corpo carrega, sombrio,
sangue e tendões.”


“você me lambe com sua Língua
você me lambe com sua lábia
as suas lambidas me deixam molhada
em minha vulva sua voz encorpada”


Presentes no livro de poemas “Maturando pernas em rabo de peixe” (Organismo, 2021), de Martha Galrão, páginas 25, 38, 30, 11 e 56, respectivamente, além dos trechos dos poemas “Desnorteamento” (p. 32), “O testamento de Maria” (p. 33) e “sem título” (p. 44), presentes na mesma obra.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Edson Gomes

Os discos e as músicas do cantor e compositor Edson Gomes são os meus prediletos e as que eu mais gosto dentre tudo que é feito de reggae no Brasil. No meado dos anos 1990, eu só ouvia Bob Marley & The Wailers o tempo inteiro, e foi o ilustre mestre cachoeirano quem despertou o meu interesse para outros sons além do gigante jamaicano. Fiquei fã de Edson Gomes antes de conhecer Burning Spear , Peter Tosh , Alpha Blondy , Gregory Isaacs e muitos outros. Foram os clássicos dele, e são muitos, muita música boa, arranjos excelentes, o sonzaço da banda Cão de Raça (adoro a timbragem e improvisos do guitarrista Tony Oliveira ), que me apresentaram a magia do Recôncavo Baiano , de Cachoeira , muitos anos antes da Flica . Na Seleta de hoje, as 42 músicas que mais gosto, gravadas por Edson Gomes & Banda Cão de Raça , presentes em seis álbuns : “ Resgate Fatal ” (1995), “ Campo de Batalha ” (1992), “ Recôncavo ” (1990), “ Apocalipse ” (1997), “ Reggae Resistência ” (1988) e “ Acor