Pular para o conteúdo principal

Produções de Emmanuel Mirdad: Anos 2020 e 2021


A pandemia em 2020 cancelou a 10ª edição da Flica. Em 2021, a Cali e a parceira Icontent realizaram o Flica na Rede, um programa de memórias da festa literária mais charmosa do Brasil, viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc e transmitido pela internet. Foi a minha última produção pela Cali e despedida da Flica (vendi a minha participação para o amigo Jomar Lima). Em 2022, lançarei uma nova empresa de produção.

Voltei a trabalhar com música, e produzi a gravação do EP “Andanças”, que marca a nova fase da Orange Poem. Será lançado no começo de 2022, com o presente da voz & trompete do irmão Mateus Aleluia Filho (composições minhas & em parceria e uma de Mateus). A produção musical foi dividida com Tadeu Mascarenhas, gravado no seu estúdio Casa das Máquinas em Salvador, Bahia.

Também na música, comecei a produzir a gravação do álbum “Silent Dreams”, o novo trabalho do irmão Jahgun (canta muito!). Reggae da melhor qualidade, com a produção musical de Átila Santana (junto comigo), um mestre do gênero jamaicano, gravado no seu Ilha de Criação, em Salvador, Bahia, com o luxo da bateria da enciclopédia do reggae, Iuri Carvalho. “Silent Dreams” deverá ser lançado nos meados de 2022.

Na literatura, produzi o lançamento virtual do meu primeiro romance, “oroboro baobá”, disponibilizando uma edição feita por mim para download gratuito do PDF e em posts do blog.



Flica na Rede

Com a pandemia cancelando a festa presencial em Cachoeira, tivemos a oportunidade de realizar algo na internet, e eu criei o projeto de memórias da Flica, um produto audiovisual (a versão digital do evento não conseguiu patrocínio).

A série de programas Flica na Rede, apresentados por Edgard Abbehusen e Mira Silva, celebra a memória da festa literária mais charmosa do Brasil. São 16 programas, em que autores e atrações que participaram das nove edições da Festa Literária Internacional de Cachoeira, ocorridas entre 2011 e 2019, contam as suas lembranças, impressões da festa e da cidade, vivências, emoções, com depoimentos exclusivos e surpreendentes, e a participação do público de Cachoeira interagindo e recordando também.

Flica na Rede tem o apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Pedro Calmon (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal, e a realização da Cali e Icontent.

As gravações ocorreram em Cachoeira, primeiro numa imersão de quatro dias no estúdio da Fundação Hansen Bahia, depois em mais quatro dias do descarnaval, no Cine-Theatro Cachoeirano. Por conta da pandemia, fiz a direção de maneira remota, lotado em Salvador, amparado pelas produtoras Camila Camila e Duca Amorim, e pelo coordenador de produção Jomar Lima & equipe.

Conseguimos a proeza de colocar ao vivo quase 90 autores e atrações que participaram das Mesas Literárias e da Fliquinha, de cada uma das 9 edições da festa, e registrar as suas memórias das suas vivências em Cachoeira e na Flica, além de registrar o pocket-show de 7 atrações artísticas locais.



Patrocinadores
– Lei Aldir Blanc | Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo | Governo Federal | Governo da Bahia | Secretaria de Cultura | Fundação Pedro Calmon (Programa Aldir Blanc Bahia)

Funções – Direção | Curadoria | Roteirista | Criação do projeto | Sócio da marca 

Info – Ao Vivo no Jornal da Manhã (TV Bahia) – veja aqui | Todos os 16 programas – veja aqui

PS: As fotos oficiais da gravação dos programas são de Lavínia Conceição

-----


Gravação do EP Andanças
Orange Poem & Mateus Aleluia Filho

Em 2021, resolvi voltar a investir na música, e retomei a marca Orange Poem, que vinha conseguindo excelente resultado no YouTube, com mais de 400 mil views sem nenhuma publicidade, novo lançamento ou show.

Para celebrar o reboot laranja, transformei o Orange Poem em música universal, e produzi a gravação do EP “Andanças”, com cinco músicas e nova sonoridade (sem guitarra e com percussão). O cantor, trompetista e compositor Mateus Aleluia Filho, amigo-irmão de Cachoeira, aceitou o convite e nos deu o presente da sua voz & instrumento no “Andanças” (além de parceria numa música comigo e outra inédita dele).

A gravação rolou de outubro a dezembro no estúdio Casa das Máquinas em Salvador, Bahia, com produção musical de Tadeu Mascarenhas (junto comigo), que também tocou vários instrumentos. O EP “Andanças” ainda traz a bateria de Hosano Lima Jr. (único remanescente da banda original), e a percussão de Sebastian Notini, Thiago Trad e Ícaro Sá. O lançamento vai ser no começo de 2022.


Patrocinador – Meu bolso

Funções – Produtor fonográfico | Produtor musical | Produtor executivo | Compositor

-----


Gravação do álbum Silent Dreams — Jahgun

Em 2021, voltei com tudo para a música e toquei outra gravação ao mesmo tempo do EP “Andanças”: um novo disco de reggae. O meu primeiro lançamento nesse gênero foi “Fluid”, do projeto Orange Roots, lançado em 2019. Convidei o amigo-irmão Jahgun, cantor e compositor radicado em Los Angeles, a voz do “Fluid”, para gravar mais uma vez as minhas composições, só que o disco seria assinado por ele, já que o Orange Roots não existe mais. Para a minha sorte, ele topou! Yeba!

Assim como no “Fluid”, acertei com o produtor Átila Santana, um mestre do reggae, a criação dos arranjos e a gravação do álbum “Silent Dreams”, com nove músicas minhas (produção musical junto comigo, e mais a gravação de guitarras e teclados). O baterista Iuri Carvalho, a enciclopédia do reggae, também retorna ao nosso som. No baixo, uma lenda, que só será divulgada depois.

A produção de “Silent Dreams” no estúdio Ilha de Criação, em Salvador, Bahia, começou em outubro, e continua a todo vapor. O lançamento vai ser nos meados de 2022.


Patrocinador – Meu bolso

Funções – Produtor fonográfico | Produtor musical | Produtor executivo | Compositor

-----


Lançamento do romance “oroboro baobá”

oroboro baobá” é o meu primeiro romance. Em outubro de 2020, lancei-o de maneira virtual, editando e disponibilizando o PDF para download, além de produzir imagens com as páginas do livro, e disponibilizá-las no blog e Facebook. Fiz a divulgação na imprensa também.

Patrocinador – Meu bolso

Funções – Editor | Produtor | Assessor de imprensa

Info – Download, matérias e release aqui

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Flávio José

Flávio José (foto: divulgação ) O artista de forró que mais gosto é o cantor, sanfoneiro e compositor Flávio José . Para mim, ele é a Voz do Nordeste . Um timbre único, raro, fantástico. Ouvir o canto desse Assum Preto-Rei é sentir o cheiro da caatinga, arrastar os pés no chão de barro ao pé da serra, embalar o coração juntinho com a parceira que amo, deslizar os passos como se no paraíso estivesse, saborear a mistura de amendoim com bolo de milho, purificar o sorriso como Dominguinhos ensinou, banhar-se com as rezas das senhoras sábias, prestar atenção aos causos, lendas e histórias do povo que construiu e orgulha o Brasil . Celebrar a pátria nordestina é escutar o mestre Flávio José ! Natural da sertaneja Monteiro , na Paraíba , em 2021 vai completar 70 anos (no primeiro dia de setembro), com mais de 30 discos lançados e vários sucessos emplacados na memória afetiva do povo brasileiro (fez a alegria e o estouro da carreira de muitos compositores, que tiveram a sorte de serem grav