Pular para o conteúdo principal

Cinco poemas e seis passagens de Orides Fontela no livro Helianto

Orides Fontela (foto daqui


Ode
Orides Fontela

E enquanto mordemos
frutos vivos
declina a tarde.

E enquanto fixamos
claros signos
flui o silêncio.

E enquanto sofremos
a hora intensa

lentamente o tempo
perde-nos.

--------

Impressões
Orides Fontela

Cimo
de palmeira rubra:
                  "vida".

Lago
de amarelo turvo:
             "tempo".

Cubo
de metal opaco:
            "Deus".

--------

Herança
Orides Fontela

O que o tempo descura
e que transfixa

o que o tempo transmite
e subverte

o que o tempo desmente
e mitifica.

--------

Claustro (II)
Orides Fontela

Antigo
jardim fechado:
águas, azulejos
            e sombra.

Macular esta paz?
               Proibido.
Só leves pensamentos
                transitam
– leves, tão
              leves
que agravam mais o silêncio.

E o jardim se aprofunda
                          espelho
verde do abismo: céu
nas águas claras

e este chão não existe
    – tudo é abismo –
e esta paz é vertigem
       – puro abismo –
e o pensamento fixo
    – mudo abismo –

tudo amplia mais o silêncio.

--------

Estrada
Orides Fontela

A estrada percorre
               o bosque
entre árvores mudas
entre pedras opacas
entre jogos de luz
            e sombra.

A estrada caminha
e o seu solo
(ancestralmente fundo)
não tem som.

A estrada prossegue
e seu silêncio
fixa presenças densas
e embriaga
sufocando toda a
                         memória...

--------

"Os extremos do amor:
áridos
restos"


"Cego?
Não: livre.
Tão livre que não te importa
a direção da seta.

(...)

Que forma te conteria?
Tuas setas armam
                               o mundo
enquanto – aberto – és abismo
             inflamadamente vivo."


"Inúteis o perfume
e a cor: apenas signos
de uma presença oculta
inútil mesmo a forma
claro espelho da essência

(...)

Basta o ser. O escuro
mistério vivo, poço
em que a lâmpada é pura
e humilde o esplendor
das mais cálidas flores."


"Da não-espera
acontecem as
flores."


"Um pássaro
invocou mudamente
o abismo."


"O
leque
fechado:
ausência.

(...)

O
leque
fechado:
espera."



Presentes no livro de poemas "Helianto" (1973), presente na coletânea "Poesia completa" (Hedra, 2015), de Orides Fontela, páginas 154, 103, 105, 158 e 159, respectivamente, além dos trechos dos poemas "Elegia (II)" (p. 156), "Eros" (p. 142), "Repouso" (p. 151), "Poemetos" (p. 153), "Gênesis" (p. 147) e "Poemas do leque" (p. 111), presentes na coletânea.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Edson Gomes

Os discos e as músicas do cantor e compositor Edson Gomes são os meus prediletos e as que eu mais gosto dentre tudo que é feito de reggae no Brasil. No meado dos anos 1990, eu só ouvia Bob Marley & The Wailers o tempo inteiro, e foi o ilustre mestre cachoeirano quem despertou o meu interesse para outros sons além do gigante jamaicano. Fiquei fã de Edson Gomes antes de conhecer Burning Spear , Peter Tosh , Alpha Blondy , Gregory Isaacs e muitos outros. Foram os clássicos dele, e são muitos, muita música boa, arranjos excelentes, o sonzaço da banda Cão de Raça (adoro a timbragem e improvisos do guitarrista Tony Oliveira ), que me apresentaram a magia do Recôncavo Baiano , de Cachoeira , muitos anos antes da Flica . Na Seleta de hoje, as 42 músicas que mais gosto, gravadas por Edson Gomes & Banda Cão de Raça , presentes em seis álbuns : “ Resgate Fatal ” (1995), “ Campo de Batalha ” (1992), “ Recôncavo ” (1990), “ Apocalipse ” (1997), “ Reggae Resistência ” (1988) e “ Acor