segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Pílulas: Parte 02 - Contra um Mundo Melhor, de Luiz Felipe Pondé

Luiz Felipe Pondé (foto: Divulgação - interferida por Mirdad)


"Mulheres têm o hábito de falar em nosso lugar mesmo quando dizem que querem nos ouvir"


"Casamentos não resistem ao fracasso masculino, homens deprimidos são sistematicamente abandonados, enquanto mulheres deprimidas reconstroem a vida todo dia. Homens reconstroem suas vidas mais facilmente quando se casam de novo com outras mulheres mais jovens, mas dificilmente homens deprimidos casam de novo, comumente são recusados por outras mulheres porque quase sempre a depressão masculina vem junto com perda financeira e perda de saúde, e mulheres, normalmente, não suportam homens fracos e sem dinheiro"


"Um erro comum das mulheres é supor que todos os homens são de fato a fim de todas as mulheres e que se interessam por sexo o tempo todo. A vida masculina está submetida a sutilezas de desejo tanto quanto a vida feminina, mas temos ainda poucos recursos de linguagem para nomear essas variações para além do imaginário cultural que entende que homens ‘comem’ qualquer mulher a qualquer hora. A favor desse silêncio masculino está o medo de ‘virar gay’ ao se tornar sensível, e a insegurança feminina de na verdade não saber lidar com um homem mais sofisticado existencialmente. No fundo, são as mulheres que gostam de homens burros"


Luiz Felipe Pondé
(2013 - Leya)


"A intimidade só existe quando há invasão do outro ... Quando você respeita o outro, é porque já ficou indiferente a ele. Quando amamos e desejamos, violamos"


"O amor familiar pode ser apenas resultado de falta de opção. O problema é que a vida sem família, na maioria esmagadora dos casos, é puro abandono. Precisamos nos sentir parte de algo (pelo menos a maioria de nós) e, para isso, pagamos o preço de não ser livres e de fingir que amamos uns aos outros"


"A delicadeza, a sofisticação da alma, o amor ao detalhe e a vontade de entender não são atributos das multidões, e aqui reside grande parte de toda a miséria moderna, ser um mundo de grandes números, dedicado a muitos idiotas"

Um comentário:

André Setaro disse...

Embora a patuleia não goste, acho lúcidos e pertinentes os artigos de Pondé.