Pular para o conteúdo principal

Leituras 2014

Os 59 livros lidos e relidos em 2014


Dentre os 59 livros lidos e relidos em 2014, selecionei passagens em 29 livros, com destaque para a coleção de cinco livros de contos do mestre baiano Hélio Pólvora, três livros de crônicas do mestre Nelson Rodrigues, o livro de ensaios de David Foster Wallace e a beleza das crônicas de Clarice Lispector. Além disso, divulguei os lançamentos de escritores baianos como João Filho, Herculano Neto, Ricardo Thadeu e Dênisson Padilha Filho, entre outros. Abaixo, você pode conferir, por ordem de preferência, quais foram os livros lidos e relidos, além dos que tiveram passagens selecionadas. Boa leitura!




"Nada mais límpido, nítido, inequívoco, do que o nosso racismo ... A "democracia racial" que nós fingimos é a mais cínica, a mais cruel das mistificações"

Memórias
Nelson Rodrigues
Leia trechos aqui





"'A fidelidade é invenção do ciúme, que por sua vez transforma o outro, o parceiro, em objeto de posse.' Ficaram em silêncio, até ele perguntar: 'Quer dizer que você não sente fidelidade por mim?' E Luzinete: "Enquanto gostar de você, serei fiel'"

O grito da perdiz
Hélio Pólvora
Parte 1 - leia aqui | Parte 2 - leia aqui | Parte 3 - leia aqui





"Desculpem, mas se morre"

A descoberta do mundo (Releitura)
Clarice Lispector
Leia trechos aqui







"A vida é repleta de tristezas: pouco importa o que fazemos, no final todos vamos morrer; cada um de nós está preso à solidão de um corpo autônomo"

O demônio do meio-dia
Andrew Solomon
Leia trechos aqui





"Ser um turista massificado, para mim, é se tornar um puro americano contemporâneo: alheio, ignorante, ávido por algo que nunca poderá ter"
Ficando longe do fato de já estar 
meio que longe de tudo
David Foster Wallace
Leia trechos aqui





"O brasileiro tem por hábito cochichar o elogio e berrar o insulto"

O reacionário
Nelson Rodrigues
Leia trechos aqui






"O Brasil é um adiamento infinito"

A cabra vadia
Nelson Rodrigues
Leia trechos aqui







"— O que é ser homem, pai?
O pai pensa.
— Ser homem é assumir a realidade"

Mar de Azov
Hélio Pólvora
Parte 1 - leia aqui | Parte 2 - leia aqui




"O homem não pode sobreviver além do limite imposto pelo tempo, pela dor ... tudo, toda ação é, portanto, uma peça a mais montando o emblema turvo do fim"

O inédito de Kafka (Releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui







A geração da utopia
(Leya, 2013)
Pepetela








"O diabo é que estou sempre querendo a mulher que não tenho, a mulher que não vejo — ou a outra, a que perdi"

Massacre no km 13
Hélio Pólvora
Parte 1 - leia aqui | Parte 2 - leia aqui
Parte 3 - leia aqui



Contos e novelas escolhidos I 
(Coleção Mestres da Literatura Baiana, 2013)
Hélio Pólvora




"A nudez esclarece as pessoas"

Pés quentes nas noites frias (Releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui






"Um filho é uma clamorosa inutilidade. Pões nele o egoísmo de uma permanência na face da Terra, mas dia virá em que ele te olhará de frente e perguntará: por que nasci? Ou, então, concluirá irritado: afinal, eu não pedi para nascer. E assim ele condenará a tua e a sua inutilidade"
Noites vivas
Hélio Pólvora
Parte 1 - leia aqui | Parte 2 - leia aqui | Parte 3 - leia aqui




"Se nos escuta, coisa de que duvido, o mar nada responde, porque simplesmente existe, e sua existência tem provavelmente a idade da Terra e enche uma eternidade de monólogos"
Estranhos e assustados
Hélio Pólvora
Parte 1 - leia aqui | Parte 2 - leia aqui
Parte 3 - leia aqui | Parte 4 - leia aqui



Contos e novelas escolhidos II 
(Coleção Mestres da Literatura Baiana, 2013)
Hélio Pólvora




"Disse que ia sair para comprar cigarros... E o fez mesmo. Voltou para casa e está dormindo"

Nem mesmo os passarinhos tristes (Releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui







Cuidado com as velhinhas carentes e solitárias
(E Realizações, 2013)
Matéi Visniec









A história do comunismo contada aos doentes mentais
(E Realizações, 2012)
Matéi Visniec








Da sensação de elasticidade
quando se marcha sobre cadáveres
(E Realizações, 2012)
Matéi Visniec









Predadores
(Língua Geral, 2012)
Pepetela









O negro no futebol brasileiro
(Mauad X, 2010)
Mario Filho








"A maior liberdade possível é a capacidade de solidão"

Breve Espaço
Cristovão Tezza
Leia trechos aqui








"Baiano não morre de depressão, mata de pirraça"

Dicionário amoroso de Salvador
João Filho
Leia trechos aqui







Fim
(Cia das Letras, 2013)
Fernanda Torres









Menelau e os homens
(Casarão do Verbo, 2011)
Dênisson Padilha Filho









Mirantes
(7 Letras, 2012)
Roberval Pereyr









Billy Jackson
(RV Cultura e Arte, 2013)
Victor Mascarenhas e Cau Gomez







"Assombrava-me a afirmação de que o que acontece já aconteceu. De que o presente foi, o futuro é, e o passado será. De que o que se diz já foi dito"

O gol esquecido
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui





"Sempre preferi as mulheres às expressões de virilidade em meio aos homens ... Ainda hoje não troco um corpo de mulher por uma partida de futebol"

Dizer adeus (Releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui






"Não há sentido no espaço, nem no tempo, pois não há pessoas à vista"

As aventuras de Nicolau & Ricardo: detetives
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui






"O segredo de tudo, desconfia, está em acordar enquanto é tempo. Entender ou acordar, tanto faz"

O sangue que corre nas veias
Rodrigo Melo
Leia trechos aqui






"A sorte, meu amigo, é como a desgraça: só acontece aos outros"

Ângelo Sobral desce aos infernos
Ruy Espinheira Filho
Leia trechos aqui






"O lado vazio da cama
É a presença humana
Que mais atemoriza"

Recordações de andar exausto (Releitura)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui





"sou inquilino inadimplente
do meu próprio eu"

Trilogia do tempo
Ricardo Thadeu
Leia trechos aqui






"gosto do meu passado
até quando ele me condena"

A casa da árvore
Herculano Neto
Leia trechos aqui







As fantasias eletivas
(Record, 2014)
Carlos Henrique Schroeder









A guerra da intriga (ou de Canudos)
(Penalux, 2013)
Tarcísio Borges







"Fiz dez segundos de silêncio: suicídio sempre extrai de mim um silêncio de reverência. O silêncio que espero que um dia façam por mim, quem sabe"

Heródoto, IV, 196
Reinaldo Santos Neves
Leia trechos aqui





"Por mais idade que se tenha, ninguém é sábio suficiente para que não continue sendo um permanente aprendiz"

Opinião
Mãe Stella de Oxóssi
Leia trechos aqui





"Os africanos não concebiam a existência de uma maldade genuína e nem tão pouco de uma bondade absoluta. Na sua visão, o dualismo é inerente a todo e qualquer ser, sagrado ou profano"

Òṣóṣi - o caçador de alegrias
Mãe Stella de Oxóssi
Leia trechos aqui





"Criar desculpas para os próprios atos é a melhor maneira de permanecer no erro"

Provérbios
Mãe Stella de Oxóssi
Leia trechos aqui







O batedor de faltas
(Record, 2008)
Claudio Lovato Filho








"Difícil: és mais sendo parte"

A dimensão necessária
João Filho
Leia trechos aqui








"Um muro é sempre o início de uma brecha"

A história decalcada
Henrique Wagner
Leia trechos aqui






"Não espere entendimento,
apesar de que o outro
é você"

O sol partido
João Mendonça
Leia trechos aqui





"Acredito que ela só existiu e sumiu da minha vida pra me ambientar à sucessão de golpes que é a nossa passagem pelo mundo"
O herói está de folga
Dênisson Padilha Filho
Leia trechos aqui





"Ser forasteiro e agnóstico nunca lhe pareceu um grande problema. Pelo contrário. O comportamento errático o protegia dos perigos da autopiedade e pavimentava atalhos para a realização de desejos vedados à maioria das pessoas"

A noite em que nós todos fomos felizes
Marcio Matos
Leia trechos aqui



Monstros fora do armário
(Não Editora, 2012)
Flávio Torres



"toda carta
de amor
é película"

Cavalo selvagem
Eliakin Rufino
Leia trechos aqui




Se tua mão te ofende
(P55, 2014)
Marcus Vinícius Rodrigues

São selvagem
(P55, 2014)
Kátia Borges

Antologia poética
(Coleção Mestres da Literatura Baiana, 2013)
Affonso Manta

Amores, rumores, traumas e flores
(All Print, 2014)
Nalini Vasconcelos

As muitas mulheres em mim
(P55, 2014)
Márcia Moreira



"Sou meio assim e meio de outro jeito
e quando alguém me quer inteira
estou em falta"

Lavanda
Mariana Paiva
Leia trechos aqui


Rede do sonho
(Cromos, 2011)
Odara Rufino

Blues para Marília
(Mondrongo, 2013)
Gustavo Felicíssimo

O retrato ou Um pouco de Henry James não faz mal a ninguém
(P-55, 2014)
Lima Trindade

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…