Pular para o conteúdo principal

Álbuns de Minha Vida: Tidal, de Fiona Apple

Tidal - Fiona Apple (1996)

Em 1997, a MTV me apresentou a cantora, compositora e pianista norte-americana Fiona Apple, através do videoclipe da música Criminal. Recordo-me que achei muito interessante o timbre de voz da esquisita talentosa esquálida linda, e fui pesquisar o som dela naquela cultuada loja de CD (que tinha ‘tudo’, antes da Flashpoint – esqueci o nome!). PS - Leia aqui o verbete wikipedia dela.

Descobri então um discaço chamado Tidal, lançado em 1996, considerado pela revista Rolling Stone um dos álbuns essenciais dos anos 90. Sombrio, profundo, climático, com pegada jazz, ‘pianado’, muito bem produzido, de fato trata-se de uma pérola, atemporal, uma obra prima que pariu uma cantora escrota, de timbragem ácida e muito teatral. Bem do jeito qu’eu gosto!

São dez faixas, dentre as quais destaco a linda Never is a Promise. Na boa, cada um tem a balada que merece, e essa é a minha predileta. Fica a dica para comprar ou baixar o Tidal, colocá-lo à noite, a dois, na ambiência cool de um jantar levemente noir, típica sala de espera de foda.

Fiona Apple - Never is a Promise




Além de Never is a Promise, destaco Shadowboxer e Sleep to Dream (esta não teve opção de incorporar, tem que clicar no link e ver no YouTube mesmo). Pra quem tiver o Tidal, ouvir as belíssimas Slow Like Honey e The Child is Gone. E pra completar os vídeos deste post, segue a versão ao vivo pra Criminal, que abriu, pra sempre, as portas de minha prateleira de CDs ao fuderoso Tidal de Fiona Apple.

Fiona Apple - Shadowboxer






Fiona Apple - Sleep to Dream (veja só neste link no YouTube)



Fiona Apple - Criminal




.

Comentários

Bons tempos que acompanhava a euforia da MTV, dos clipes que tanto ansiava...lembro muito da Apple com aquela voz peculiar, o bom gosto pra musica, atraindo minha alma musical! Bons tempos...

tenho poucas musicas dela, soltas, no meu pc!

abraço

seu blog é bem interessante, me define bastante, por isso resolvi te linkar no meu e te seguir por aqui, ok? sou de Salvador tambem, abs
Z, disse…
Sala de espera de foda... Bota ramones !

Bem, já ouvi , mais agora vou prestar mais atenção!

Ah... Baixe esse cd - http://www.umquetenha.org/?p=3826

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…