Pular para o conteúdo principal

15 anos de Last Fly, 15 anos do Orange Poem

Papel original digitalizado da letra escrita na contracapa 
do módulo do PhD no ano 2000, mas com as correções da última versão


Pode uma canção gerar um projeto? Pois quinze anos atrás, no dia 24 de agosto do ano 2000, uma quinta-feira, compus Last Fly, que originou o projeto e banda Orange Poem, trampo que me dediquei até 2007, e ano passado finalizei com a produção de seis EPs (reunidos em um disco duplo - ouça aqui).

Na série Composições deste blog, contei a história da canção - leia aqui. Um trechinho sobre a debutante:

"(...) Era manhã, estava ensaiando para a gravação de um demo com canções de amor dedicadas à namorada da época. Entre uma música e outra, fiquei tocando notas a esmo no violão Alhambra de minha mãe (o mesmo em que ela tocava Bossa Nova comigo na barriga pra espantar o tédio da gravidez em casa). Por um acaso (ou uma quase psicografia), passei do meu acorde preferido menor para o maior (de F#m para F#) e segui pela harmonia A, E, F#m e G#m duas vezes. Simples e triste. Lento e fluido. Um voo. Segui cantando palavras em inglês a esmo. Coincidentemente (ou sincronia?) o módulo de estudos do cursinho PhD estava aberto na disciplina de inglês (que nem era a minha, pois fiz espanhol), lição de verbos. O primeiro que meu olho bateu: to know. Cantei a lição: "I knew...". (...) Empolgado com a melodia, parei para escrever a letra, diretamente em inglês com alguns erros gramaticais. Last Fly ficou pronta, um presente do inconsciente que provocou uma bagunça no desejo. Mostrei primeiro ao colega de PhD Maurício Borges (o que insistiu por Zanom). Opinião: 'Tá bem Pink Floyd'. Orgulho bateu. (...)"

A banda Orange Poem gravou a canção em 2004/2005, e o cantor e compositor Glauber Guimarães colocou a sua voz em dezembro de 2013. Ouça abaixo:



Não consegue visualizar o player? Clique aqui.

Em 2010, pra comemorar o aniversário da música, gravei um vídeo tosco, desafinado, só pra ter o registro da canção crua, tal como criei no ano 2000. Ouça abaixo:



Não consegue visualizar o player? Clique aqui.

No perfil da banda no Soundcloud, além de ouvir Last Fly em streaming, você pode fazer o download. Faça aqui.

No aniversário de 20 anos, prometo reunir a banda ou fazer um som pra comemorar. Grato, minha filha, mas a festa não teve baile por falta de recursos. No fim, o que vale, é o amor. E eu te amo, mãe laranja.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

O fim do Blog do Ël Mirdad

Esta é a última postagem do Blog do Ël Mirdad (que um dia já foi Farpas e Psicodelia). Ao fim, foram 1.083 postagens em 8 anos de atividade, de 2009 a 2016. Divulguei o trabalho de muitos artistas, nas áreas da música, literatura e audiovisual (eventos, shows, quadrinhos, etc.), e também o meu trabalho como compositor, escritor e produtor cultural. Das seções que fiz, a que mais me orgulhou foi Leituras. Abaixo, seguem duas imagens com estatísticas que o próprio Blogger oferece, apuradas em 22 de dezembro. O motivo para o fim desse blog é que não assinarei mais como Emmanuel Mirdad, e não tem lógica manter um canal de comunicação vinculado a esse nome.


Algum dia farei outro blog? Acho difícil. Caso faça, divulgarei apenas o meu trabalho como escritor, o único que continua, assinando, a partir de 2017, como Emmanuel Rosa.


Muito obrigado pela sua audiência. E espero que o Google mantenha esse acervo ativo, para quando você quiser voltar por aqui e ler (ou ouvir) algo que lhe agradou, d…