Pular para o conteúdo principal

Melhores da revista piauí em 2015

Capas das revistas piauí 101, 107, 100, 105, 102, 106, 
108, 103, 104, 111, 109 e 110 de 2015.


Os 46 melhores textos/HQs que foram publicados na revista piauí em 2015 você confere nos links abaixo (acesso gratuito e para assinantes da revista), selecionados por mim, assinante (primeiro das bancas e depois na forma padrão) desde a piauí_5, num levantamento que fiz durante o ano.

A melhor piauí de 2015 foi a de número 101, de fevereiro, com destaque para o encontro de Reinaldo Moraes com Wolinski, o artigo do escritor holandês Ian Buruma sobre a sujeição das mulheres e a emancipação feminina no Japão e na Europa em ruínas, e as reportagens de Malu Delgado (sobre o trote na USP) e Consuelo Dieguez (investigando a ascensão da Friboi), entre outros.

Completando o top five, a #107 (agosto), com o melhor texto publicado na revista em 2015, do escritor Karl Ove Knausgård, sobre o assassino de aparência comum que matou a tiros 69 jovens na ilha de Utøya, em 2011, na Noruega; a #100 (janeiro), com a história do bar do McSorley, um clássico de Nova York, pelo escritor Joseph Mitchell; a #105 (junho), com o emocionante diário de uma adoção por um casal gay; e a #102 (julho), com o artigo de Jon Ronson sobre como uma frase infeliz pode destruir uma pessoa. A pior piauí do ano, foi a #110, de novembro (a #111 de dezembro também foi muito ruim e a #109, de outubro, foi a pior edição de aniversário dos últimos anos).

PS: Os links foram retirados do post porque a revista trocou de servidor duas vezes, e não há como definir se o conteúdo continuará disponível na internet. Recomenda-se procurar o site da revista no Google, e pesquisar pelo título da matéria para verificar se está disponível para leitura ou não.


Melhores 2015 - Parte I


Um de nós
Anders Breivik, que matou a tiros 69 jovens na ilha de Utøya, em 2011, tinha o nome e a aparência de um norueguês comum.
Karl Ove Knausgård
piauí #107


O bar do McSorley
A história de um clássico de Nova York.
Joseph Mitchell
piauí #100


Na cama com Wolinski
Um encontro entre o autor de Pornopopéia e o decano do Charlie Hebdo.
Reinaldo Moraes
piauí #101


Solidariedade fatal
Às vésperas do Réveillon, centenas de abelhas atacam um casal de idosos no interior de São Paulo.
Armando Antenore
piauí #107


Não controlamos o destino de nossos corpos
Um jovem escritor explica, numa carta ao filho, o que significa ser negro na América.
Ta-Nehisi Coates
piauí #108


Diário de uma adoção
Os processos de adoção podem ser morosos, às vezes exasperadamente lentos. E de repente um e-mail ou telefonema nos coloca no olho do furacão.
Gilberto Scofield Jr.
piauí #105


Sexo depois da guerra
A sujeição das mulheres e a emancipação feminina no Japão e na Europa em ruínas.
Ian Buruma
piauí #101


Juízo final
Uma paciente de Alzheimer decide pôr fim à própria vida.
Robin Marantz Henig
piauí #106


O coração do meu mundo 
ou o papagaio que gostava de bolo de arroz
Às vezes penso que o meu vício de deformar a realidade começou precisamente com a necessidade de ganhar lugar no passado dos meus pais e irmã.
Dulce Maria Cardoso
piauí #105


O sobrevivente
Sérgio Sant’Anna e a obsessão pela literatura.
Bernardo Esteves
piauí #103


A vida por um tuíte
Como uma frase infeliz pode destruir uma pessoa.
Jon Ronson
piauí #102


Melhores 2015 - Parte II


Venido a menos
Há mais de quatro décadas, o fotógrafo chileno Camilo Vergara captura as transformações e a degradação de paisagens urbanas nos Estados Unidos.
Graciela Mochkofsky
piauí #105


Massacre no canal Saint-Martin
O fundamentalismo do Estado Islâmico é uma forma de totalitarismo – semelhante, sob muitos aspectos, ao nazismo e ao stalinismo.
Ruy Fausto
piauí #111


Ainda estrangeiro
Kamel Daoud, o escritor que fez a versão árabe do romance de Camus.
Adam Shatz
piauí #106


O dilema de Salter
Um dos melhores escritores norte-americanos do século XX lidou até o fim com a frustração de não ser famoso.
Alejandro Chacoff
piauí #106


Os 43 que faltam
Como um grupo de estudantes desapareceu num estado dominado pelo tráfico.
Carol Pires
piauí #100


A sereia e o centauro
Poesia
Ana Martins Marques
piauí #100


Uma segunda oportunidade
A parábola de David Carr.
Graciela Mochkofsky
piauí #102


Varre que é macumba
Lixo, candomblé e media training.
Paula Scarpin
piauí #101


Cerimônia do adeus
A livraria Leonardo da Vinci sobreviveu à morte do fundador, a um pedido de concordata e a um incêndio criminoso. Mas não resistiu à Amazon.
Luiz Fernando Vianna
piauí #107


Revolução na Grécia
A estação de rádio local, na ilha de Mykonos, podia ser ocupada por uns poucos cozinheiros.
Alexander Clapp
piauí #107


O oráculo divergente
Minhas falsas memórias sobre o verdadeiro Renato Russo.
Michel Laub
piauí #108


O cérebro eterno
Após morrer de câncer, aos 23, Kim Suozzi teve o córtex preservado, na esperança de que a ciência possa, um dia, ressucitar sua mente.
Amy Harmon
piauí #110


Melhores 2015 - Parte III


Entre duas narrativas
Uma viagem a Israel e à Palestina.
Flavia Castro
piauí #103


O estouro da boiada
Como o BNDES ajudou a transformar a Friboi na maior empresa de carnes do mundo.
Consuelo Dieguez
piauí #101


Na mira do trote
Denúncias de violência entre estudantes põem na berlinda a Faculdade de Medicina da USP.
Malu Delgado
piauí #101


O diletante e os dinossauros
A combinação que tirou das ruas a lendária The New Republic.
Daniela Pinheiro
piauí #100


Pornofagia
O declínio da indústria nacional do sexo explícito.
Alejandro Chacoff
piauí #102


A última viagem
A chegada, a fuga e a prisão do brasileiro executado na Indonésia.
Ricardo Gallo
piauí #101


Macunaíma na tela
Os fracassos e o triunfo de Joaquim Pedro e Mário de Andrade.
Eduardo Escorel
piauí #106


Museu do futebol
O ostracismo do Pacaembu.
Fábio Fujita
piauí #105


O irmão brasileiro
A busca de Chico Buarque em Berlim.
Fernando de Barros e Silva
piauí #100


Doce remédio
Pesquisas com drogas psicodélicas, como o LSD, prometem aumentar a eficácia de tratamentos psíquicos e trazer alívio para doentes terminais.
Michael Pollan
piauí #105


A alemã tranquila
A ascensão de Angela Merkel, a mulher mais poderosa do mundo.
George Packer
piauí #102


O que se pode saber de um homem?
Até na voz, Mário de Andrade encarnava as ambivalências da sociedade brasileira.
José Miguel Wisnik
piauí #109


A grande sinuca celestial
Talvez eu tenha sido um grande surfista em alguma vida passada. Me contento hoje em ser um bom surfista de lençol.
Reinaldo Moraes
piauí #104


O segredo de Escobar
Bento Santiago tinha razões concretas para se sentir ameaçado por seu antigo amigo de seminário.
André Dutra Boucinhas
piauí #105


Melhores 2015 - HQs


Compreendendo a poesia
Quadrinhos
Grant Snider
piauí #104


Charlie Hebdo sob nova direção
Quadrinhos
Laerte
piauí #101


Notas de um fundamentalista da liberdade de expressão
Quadrinhos
Art Spiegelman
piauí #102


Vida digital
Cartuns
Jean Jullien
piauí #102


Meu pai nunca falou nada sobre essas coisas
Malandragens, modismos, trabalho, dificuldades do mundo moderno – e como lidar com tudo isso.
Allan Sieber
piauí #111


Back to work
Quadrinhos
Caco Galhardo
piauí #100


Doses diárias
Cartuns
Alberto Montt
piauí #101 e #109


Leonard Plume e a Falange dos Fiéis
Quadrinhos
Reinaldo Figueiredo
piauí #105


Alguns dos meus melhores amigos são os discos
Quadrinhos
Grant Snider
piauí #104


Comentários

Anônimo disse…
Que pena que você tirou os links para as matérias da Piauí! Sua seleção me foi muito útil.

Seria pq o endereço da Piauí mudou? Nesse caso, você poderia ter apenas mudado o começo do endereço para http://piaui.folha.uol.com.br/, já que o resto continuou igual.
Mirdad disse…
Sim, a piauí fez uma mudança, eu troquei TODOS os links de todas as seleções que eu fiz. E agora ela mudou de novo. Percebi que não adianta colocar o link, pois a qualquer momento ela pode modificá-los.

Então, sugiro que abra o site da revista, e coloque na pesquisa dela o título do texto que te interessar.

Abs

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…