Pular para o conteúdo principal

Emmanuel Mirdad no Poética de Smetak


Admiro o trabalho do mestre Walter Smetak (1913-1984) há tempos; tenho os discos, fui às exposições, fiz a revisão editorial da biografia escrita pela neta Jessica, e até tentei adaptar a bio num longa, mas o projeto não foi à frente. Fiquei muito feliz com o convite da bárbara filha do mestre, a querida Babi (Bárbara Smetak), para participar do projeto Poética de Smetak (junto a ilustres como Carlinhos Brown, Adriana Calcanhotto, Rebeca Matta e Nancy Viégas, entre outros, uma realização da Somos Comunicação e Via Press pelo Programa Aldir Blanc Bahia), recitando um dos poemas inéditos do Tak-Tak, o metafísico “Eu sou”. Confira abaixo como foi. Smetak eterno!


Não consegue visualizar o player? Veja aqui

Link direto no YouTube da Via Press aqui 


eu sou
Walter Smetak

na minha existência
real do papel
há um sonho
de ravel

a minha vida
total de fibra
do concretismo
absoluto como

diz fra diavolo.
o abstrato portanto
tornou-se concreto
e a linha reta

curva e linear
traçada no ar
qual é o éter
o ar rarefeito

dando invisibilidade
e envolve o que é
que já foi e que
não é, será

a terra tem chão
para tudo se
multiplicar e não é
poeira lunar

a cratera
o abismo
no qual sobe
a mentira

e se faz
verdade
a sabedoria.

isto é do tudo
que eu sei
e faço público
do meu deus
do grande NADA

----

Vídeo gravado em 28/03/2021 no home office do apê 703-B em Salvador, BA.

----

Foi lançado no final de abril o site “Poética de Smetak”, uma excelente oportunidade para conhecer uma parte da obra literária do mestre baiano-suíço Walter Smetak (1913-1984), inédita até então, com a curadoria dos músicos Uibitu Smetak, Icaro Smetak e Tuzé de Abreu.

São seis poemas musicados e catorze declamados, interpretados por uma galera massa, como Rebeca Matta, Nancy Viégas, Carlinhos Brown e Adriana Calcanhotto. Tive a sorte de ser convidado, e declamei o metafísico “Eu sou”.

Acesse o site aqui

Poética de Smetak tem a direção geral de Elaine Hazin, a direção executiva de Andrea Amado, a consultoria técnica de Bárbara Smetak [equipe completa aqui] e o apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Flávio José

Flávio José (foto: divulgação ) O artista de forró que mais gosto é o cantor, sanfoneiro e compositor Flávio José . Para mim, ele é a Voz do Nordeste . Um timbre único, raro, fantástico. Ouvir o canto desse Assum Preto-Rei é sentir o cheiro da caatinga, arrastar os pés no chão de barro ao pé da serra, embalar o coração juntinho com a parceira que amo, deslizar os passos como se no paraíso estivesse, saborear a mistura de amendoim com bolo de milho, purificar o sorriso como Dominguinhos ensinou, banhar-se com as rezas das senhoras sábias, prestar atenção aos causos, lendas e histórias do povo que construiu e orgulha o Brasil . Celebrar a pátria nordestina é escutar o mestre Flávio José ! Natural da sertaneja Monteiro , na Paraíba , em 2021 vai completar 70 anos (no primeiro dia de setembro), com mais de 30 discos lançados e vários sucessos emplacados na memória afetiva do povo brasileiro (fez a alegria e o estouro da carreira de muitos compositores, que tiveram a sorte de serem grav