Pular para o conteúdo principal

Vamos ouvir: Opanijé

Opanijé (2013) - Opanijé




Não consegue visualizar o player? Ouça aqui

Release disponível no soundcloud do grupo:

"
OPANIJÉ

Dia 26 de novembro o grupo OPANIJÉ lança o primeiro disco da carreira, em parceria com o selo GARIMPO MÚSICA (www.garimpomusica.com.br). Com repertório formado em sua maioria por músicas autorais da dupla Lázaro Êre e Rone Dum-Dum o disco tem produção musical de André T, responsável por trabalhos importantes da cena musical (Pitty, BaianaSystem, Cascadura, Retrofoguetes).

O álbum chega com 14 faixas e as participações especiais de Ellen Oléria em Aqui Onde Estão; os rappers G.O.G., Aspri e Gomez na faixa Sangue de Angola e Gomez e X em O Que Eu Quiser; Orquestra Rumpilezz em Deus que Dança; Robertinho Barreto (BaianaSystem), DJ Márcio Cannibal e Sereno Loquaz na faixa Vamuinvadi; Heider Soundcista em Encruzilhada; e ainda contaram com o auxílio luxuoso do percussionista Gabi Guedes em diversas faixas.

Gravado, mixado e masterizado por andre t e produção executiva de Soraia Oliveira, na direção de arte e projeto gráfico Pedro Marighella com fotografias Filipe Cartaxo, o disco foi realizado através do apoio do projeto Conexão VIVO|FazCultura.

O grupo OPANIJÉ surgiu em 2005 com a proposta de fazer um estilo próprio de RAP com letras que exaltam a cultura negra e a ancestralidade africana. Formado por Lázaro Erê (voz e letras), Rone Dum-Dum (voz e letras)e DJ Chiba D(toca-discos). O grupo une o que existe de mais tradicional na cultura afrobaiana, como o uso de instrumentos percussivos, berimbaus e cânticos de candomblé, com o que há de mais moderno na tendência musical contemporânea, como samplers, efeitos e batidas eletrônicas.

O lançamento em streaming será feito no link: @garimpomusica. E, estará a venda também a partir da mesma data nas lojas digitais DEEZER e Itunes. O disco físico chega as lojas no mês de dezembro. Em fevereiro o grupo inicia a turnê de lançamento e divulgação do disco

CONTATO | DIVULGAÇÃO
Garimpo Música | Soraia Oliveira
garimpo@cadamacaco.com.br
(71) 3331.4351 | 9136.8224"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Pílulas: Provérbios, de Mãe Stella de Oxóssi

Mãe Stella de Oxóssi (foto: Iraildes Mascarenhas - interferida por Mirdad)

"Criar desculpas para os próprios atos é a melhor maneira de permanecer no erro"


"Quem está vinculado ao sagrado, não deve mentir em seu nome"


"Fé não se impõe"


"Quem desdenha dos defeitos alheios está exibindo os seus"


"Às vezes se precisa perder pouco, para não perder tudo"


"O caminho espiritual pode ser comunitário, porém é sempre solitário"


Provérbios Mãe Stella de Oxóssi (2007)

"O que o destino disser que é, ninguém terá força para dizer que não é"


"Saber morrer faz parte do saber viver"


"Não é sábio aquele que se acha sabido"


"A presença do 'se' mostra a impossibilidade de realização dos desejos"


O provérbio diz: "Não há Orixá como o estômago, pois recebe sacrifícios diariamente". Mãe Stella de Oxóssi interpreta: "O estômago é como uma divindade, precisa ser respeitado e cuidado"

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…