Pular para o conteúdo principal

Flica 2013 - Autores confirmados - Parte I

Autores confirmados na Flica 2013
Em cima: Eduardo Bueno, Karina Rabinovitz e Sérgio Rodrigues
Embaixo: Elieser Cesar, Gláucia Lemos e Ana Tereza Baptista


A 3ª edição da Flica, a Festa Literária Internacional de Cachoeira, vai acontecer de 23 a 27 de outubro na cidade histórica e heroica do Recôncavo Baiano. A partir deste post, você vai conhecer os vinte e quatro autores confirmados na programação principal da Flica.



EDUARDO BUENO
http://www.flica.com.br/eduardo-bueno/

Natural de Porto Alegre, é escritor, jornalista, editor e tradutor, autor de mais de 20 livros. Entre os inúmeros prêmios e menções honrosas recebidas, estão um Prêmio Jabuti e a Ordem do Mérito Cultural. Autor da coleção “Terra Brasilis”, sobre a história colonial do Brasil, publicada a partir de 1998, tornou-se um dos maiores fenômenos editoriais do país, com quase um milhão de exemplares vendidos, sendo o primeiro autor brasileiro a possuir quatro títulos entre os cinco primeiros nas listas de mais vendidos dos principais jornais e revistas brasileiros. Em 2007, Eduardo Bueno foi o idealizador, roteirista e apresentador da série “É muita história”, levada ao ar pelo programa “Fantástico” da TV Globo. Seu trabalho mais recente é a edição atualizada de “Brasil – Uma História” (Leya/2013).

Na Flica 2013
Mesa 04 – “1889 – Clientes, Coronéis e a República”
Quinta-feira, 24 de outubro, às 19h



KARINA RABINOVITZ
http://www.flica.com.br/karina-rabinovitz/

Natural de Salvador (1977), jornalista formada pela UFBA, é poeta e roteirista. Desde 2005 trabalha em parceria com a artista visual Silvana Rezende, experimentando e realizando interações entre poesia e artes visuais. Juntas, criam intervenções urbanas e lançaram este ano “O livro de água”, um livro-objeto de poemas que se expande numa exposição de artes visuais, produto híbrido, composto de palavras, imagens, sons e instalações. Além deste, possui mais três livros de poesia: “Poesinha pra caixinha [de fósforo]” (2012), “Livro do quase invisível” (2010) e “De tardinha meio azul” (2005). Vencedora de editais da Secult-BA e de prêmios, Karina já participou de diversos encontros literários pelo país.

Na FLICA
Mesa 02 - ”Qualquer Um Poeta”
Quinta-feira, 24 de outubro, às 10h



SÉRGIO RODRIGUES
http://www.flica.com.br/sergio-rodrigues/

Mineiro de Muriaé (1962), vive no Rio de Janeiro desde 1980. É jornalista, escritor, tradutor e crítico literário, colunista do portal Veja.com, onde mantém os blogs “Todoprosa” e “Sobre Palavras”. Pelo conjunto da obra, recebeu o Prêmio de Cultura do Estado do Rio de Janeiro 2011 na categoria Literatura. Trabalhou como repórter, editor e colunista em veículos como Jornal do Brasil, O Globo, Folha de S. Paulo, Veja Rio e TV Globo. Estreou como escritor em 2000 com “O homem que matou o escritor” (contos/Objetiva). Lançou mais dois romances, “As sementes de Flowerville” (2006) e “Elza, a garota” (2009), e livros de humor, crônicas, artigos e contos. Na Flica, lança seu novo romance, “O drible” (Cia das Letras).

Na FLICA
Mesa 05 – “O Não Legado da Literatura”
Sexta-feira, 25 de outubro, às 10h



ELIESER CESAR
http://www.flica.com.br/elieser-cesar/

Jornalista baiano e Mestre em Letras pela UFBA, é contista e poeta, vencedor do 1º Prêmio Damário Dacruz de Poesia, instituído pela Fundação Pedro Calmon (FPC), uma importante ação criada pelo saudoso Prof. Ubiratan Castro, morto em 2013, inspirada pela Flica. Elieser Cesar é autor de “O azar do goleiro” (novela), “O escolhido das sombras e outras histórias” (contos), “Os cadernos de Fernando Infante” (poesia), “O romance dos excluídos – Terra e política em Euclides Neto” (ensaio) e “A garota do outdoor” (contos). Integra a antologia “A Poesia Baiana no Século XX”, organizada por Assis Brasil, e as coletâneas de contos “As baianas” e “82 – Uma copa | Quinze histórias”.

Na FLICA
Mesa 02 – “Qualquer Um Poeta”
Quinta-feira, 24 de outubro, às 10h



GLÁUCIA LEMOS
http://www.flica.com.br/glaucia-lemos/

Natural de Salvador, é membro da Academia de Letras da Bahia, graduada em direito na UCSal e pós-graduada em Crítica de Arte na UFBA, um dos principais nomes da literatura da Bahia. Estreou em 1979 com um livro de contos, ilustrado por ela mesma, e já lançou mais de 35 livros, dos quais 21 infanto-juvenis. Além dos livros de contos, Gláucia Lemos escreveu antologias, ensaios, novelas, poemas e publicou quatro romances, todos eles premiados em concursos nacionais, com destaque para “Bichos de Conchas”, melhor livro de 2007 pela UBE. Na Flica, lança o romance “Marce” (Solisluna).

Na FLICA
Mesa 06 - ”Lirismo, Sonhos e Imaginários”
Sexta-feira, 25 de outubro, às 15h



ANA TEREZA BAPTISTA
http://www.flica.com.br/ana-tereza-baptista/

Jornalista baiana, trabalhou no jornal A Tarde e no Ibama, com passagens pelas TVs Aratu e Bandeirantes. Em 2009, apresentou para a Assembleia Legislativa da Bahia um projeto de biografias com nomes de ilustres baianos. Pela Alba, lançou em 2012 a biografia de Chico Pinto, político de Feira de Santana, um dos baluartes da resistência ao governo militar. No final de 2012 lançou, em edição do autor, a biografia “Elsimar Coutinho: o cientista que o mundo aplaude”, em que retratou a carreira e a vida de um dos mais conceituados cientistas da Bahia, com quase sessenta anos dedicados à pesquisa e à reprodução humana.

Na FLICA
Mesa 03 – “Vidas Comuns, Vidas Notáveis”
Quinta-feira, 24 de outubro, 15h

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…