Pular para o conteúdo principal

Flica 2013 - Autores confirmados - Parte II

Autores confirmados na Flica 2013
Em cima: Laurentino Gomes, Ewan Morrison e Cristovão Tezza
Embaixo: Állex Leilla, Demétrio Magnoli e Kiera Cass


A 3ª edição da Flica, a Festa Literária Internacional de Cachoeira, vai acontecer de 23 a 27 de outubro na cidade histórica e heroica do Recôncavo Baiano. Conheça mais uma leva de autores confirmados na programação principal da Flica.



LAURENTINO GOMES
http://www.flica.com.br/laurentino-gomes/

Paranaense de Maringá, Laurentino Gomes é quatro vezes ganhador do Prêmio Jabuti de Literatura com os livros “1808”, sobre a fuga da corte portuguesa de D. João VI para o Rio de Janeiro, e “1822”, sobre a Independência do Brasil. Sua obra também foi eleita o Melhor Ensaio de 2008 pela Academia Brasileira de Letras. Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná, com pós-graduação em Administração pela Universidade de São Paulo, é membro titular do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e da Academia Paranaense de Letras. Trabalhou como repórter e editor para o jornal O Estado de S. Paulo e a revista Veja e foi diretor da Editora Abril. Seu terceiro livro, “1889”, recém-lançado pela Globo Livros, trata da Proclamação da República.

Na FLICA
Mesa 04 – “1889 – Clientes, Coronéis e a República”
Quinta-feira, 24 de outubro, às 19h



EWAN MORRISON
http://www.flica.com.br/ewan-morrison/

Natural de Thurso (1968), condado de Caithness, Escócia, é escritor, cineasta, roteirista e ensaísta, formado na Glasgow School of Art. Um dos autores britânicos mais celebrados da atualidade, é autor de quatro romances e dois livros de contos, todos inéditos no Brasil. Premiado e finalista em vários concursos de seu país, acaba de vencer na categoria “Ficção” com o romance mais recente, “Close Your Eyes”, no principal prêmio literário da Escócia. Durante dez anos, trabalhou como roteirista e diretor de televisão e cinema, e foi nomeado para três BAFTA e vencedor do Royal Television Society Award na categoria “Melhor Drama”. É autor da trilogia “Swung” (2005), “Distance” (2008) e “Menage” (2009), em que explora alternativas para a monogamia. Por dois anos foi colunista do jornal Scotland on Sunday e escreve eventualmente para o jornal The Guardian.

Na FLICA
Mesa 05 – “O Não Legado da Literatura”
Sexta-feira,  25 de outubro, às 10h



CRISTOVÃO TEZZA
http://www.flica.com.br/cristovao-tezza/

Catarinense de Lages (1952), mas radicado em Curitiba desde 1961, é escritor e cronista do jornal Gazeta do Povo. O seu romance mais famoso, “O filho eterno” (Record/2007), foi traduzido em seis línguas e levou seis prêmios importantes: Jabuti, Portugal-Telecom, Bravo!, Prêmio São Paulo de Literatura, Zaffari & Bourbon e Prêmio da APCA – além destes, ainda levou o prêmio Charles Brisset para a tradução francesa. Autor de treze romances, com destaque para “O Fotógrafo” (2004), vencedor do Prêmio da Academia Brasileira de Letras e da Revista Bravo!, e “Breve Espaço entre Cor e Sombra” (1998), vencedor do Prêmio Machado de Assis, escreveu ainda ensaios, contos e lança na Flica “Um operário em férias” (Record), livro de crônicas.

Na Flica
Mesa 01 – “Enfrascar o Cotidiano”
Quarta-feira, 23 de outubro, às 20h



ÁLLEX LEILLA
http://www.flica.com.br/allex-leilla/

Baiana de Bom Jesus da Lapa, é escritora, professora e doutora em Letras pela UFMG. Estreou com o livro de contos “Urbanos” em 1997, contemplado pelo prêmio Braskem. Publicou mais quatro livros, com destaque para o romance “Primavera nos ossos” (Casarão do Verbo/2010), contemplado pelo Programa Petrobras Cultural. Participou das antologias “25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira” (Record/2004), organizada por Luiz Ruffato, “50 versões de amor e prazer” (Geração Editorial/2012), organizada por Rinaldo de Fernandes, e “Wir Sind Bereit: Junge Prosa aus Brasilien”, com tradução de Marlen Eckl e publicação da editora alemã Lettrétage, a ser lançada na Feira de Frankfurt 2013, entre outras.

Na Flica
Mesa 07 – Entre Flores e Espartilhos
Sexta-feira, 25 de outubro, às 19h



DEMÉTRIO MAGNOLI
http://www.flica.com.br/demetrio-magnoli/

Sociólogo, com doutorado em Geografia Humana pela USP, é colunista dos jornais “O Estado de S.Paulo” e “O Globo”. Magnoli foi colunista da rádio “BandNews FM” e comentarista do “Jornal da Cultura”. Atualmente, é comentarista de política internacional do “Jornal das Dez” da Globo News. É autor de diversos livros como ”Uma Gota de Sangue” e “Relações Internacionais – Teoria e História”. Integra o Grupo de Análises de Conjuntura Internacional (Gacint) da USP. Na Flica, irá autografar seu livro mais recente, “Liberdade Versus Igualdade – o Leviatã Desafiado – 1946-2001 – Vol. 2” (Record), feito em parceria com a historiadora Elaine Senise Barbosa.

Na FLICA
Mesa 08 – “Donos da Terra? – Os Neoíndios, Velhos Bons Selvagens”
Sábado, 26 de outubro, às 10h



KIERA CASS
http://www.flica.com.br/kiera-cass/

Natural da Carolina do Sul (EUA), Kiera Cass é formada em História pela Universidade de Radford, na Virgínia, com passagens por cursos de teatro, música e comunicação. Ganhou destaque internacional com a trilogia “A Seleção”, iniciada em 2012, com “A Seleção” e “A Elite”, lançados no Brasil pelo selo Seguinte, da Cia das Letras. A trilogia trata da saga da personagem America Singer, em um formato moderno de conto de fadas. O terceiro da trilogia, que tem título americano de “The One”, tem previsão de lançamento em 2014. Na Flica a autora deve apresentar um pouco desta literatura conto de fadas que construiu e conquistou jovens de vários países.

Na FLICA
Mesa 06 – “Lirismo, Sonhos e Imaginários”
Sexta-feira, 25 de outubro, às 15h

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…