Pular para o conteúdo principal

Flica 2013 - Autores confirmados - Parte IV

Autores confirmados na Flica 2013
Em cima: Pepetela, Leticia Wierzchowski e Luiz Felipe Pondé
Embaixo: Tom Correia, Jean-Claude Kaufmann e Mário Magalhães


A 3ª edição da Flica, a Festa Literária Internacional de Cachoeira, vai acontecer de 23 a 27 de outubro na cidade histórica e heroica do Recôncavo Baiano. Conheça a última leva de autores confirmados na programação principal da Flica.



PEPETELA
http://www.flica.com.br/pepetela/

Natural de Benguela (1941), Angola, licenciou-se em Sociologia, em Argel, durante o exílio. Foi guerrilheiro pelo MPLA, político e governante. Desde 1984 que é professor na Universidade Agostinho Neto, em Luanda, e tem sido dirigente de associações culturais, com destaque para a União dos Escritores Angolanos e a Associação Cultural e Recreativa Chá de Caxinde. Um dos mais importantes escritores de Angola, ganhou o Prêmio Camões em 1997, considerado o mais importante voltado a autores de língua portuguesa, pelo conjunto da sua obra. Pepetela é autor de vários livros, com destaque para “Mayombe” (1980) e “A Geração da Utopia” (1992), que ganharam este ano novas edições pela Leya.

Na FLICA
Mesa 12 – “Ndongo, Ngola, Angola, Bahia”
Domingo, 27 de outubro, às 10h



LETICIA WIERZCHOWSKI
http://www.flica.com.br/leticia-wierchowski/

Natural de Porto Alegre (1972), é escritora e roteirista. Estreou na literatura em 1998 com o romance “O Anjo e o Resto de Nós”, é autora de 11 romances e novelas e de 6 livros infantis. Seu quinto romance, “A Casa das Sete Mulheres” (Record/2002), foi adaptado pela TV Globo para uma série televisiva, exibida em mais de trinta países. Traduzida para vários idiomas, a obra de Leticia ganhou fama internacional. Junto a Tabajara Ruas, assina o roteiro adaptado do filme “O Tempo e o Vento”, com direção de Jayme Monjardim, recém-lançado no país. Na Flica, lança seu mais novo romance, “Sal”, publicado este ano pela editora Intrínseca.

Na FLICA
Mesa 10 – “Afetos e Ausências”
Sábado, 26 de outubro, às 17h



LUIZ FELIPE PONDÉ
http://www.flica.com.br/luiz-felipe-ponde/

Natural de Recife (1959), é filósofo, escritor e ensaísta, autor do best-seller “Guia Politicamente Incorreto da Filosofia” (Leya/2012). Formado em Medicina pela UFBA e Filosofia pela USP, onde também fez doutorado, sendo que desta vez em parceria com a Universidade de Paris-VIII. Recebeu título de Pós-doutor da Universidade de Tel Aviv. Atualmente, Pondé é professor de Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e de Filosofia na FAAP, e colunista da Folha de São Paulo. Entre suas obras, destaque para “Contra um mundo melhor” (Leya/2010), “Do pensamento no deserto: Ensaio de Filosofia, Telogia e Literatura” (Edusp/2009) e “Crítica e profecia: filosofia da religião em Dostoiévski” (Editora 34/2003). Na Flica, lança seu mais novo livro, “A Filosofia da Adúltera – Ensaios Selvagens” pela Leya.

Na FLICA
Mesa 11 – “As Imposições do Amor ao Indivíduo”
Sábado, 26 de outubro, às 20h



TOM CORREIA
http://www.flica.com.br/tom-correia/

Natural de Salvador, é jornalista e colunista da revista eletrônica Verbo21. Iniciou sua trajetória como escritor em 2002 ao vencer o Prêmio Braskem de Literatura com o livro de contos “Memorial dos medíocres”. O segundo livro de contos lançou em 2011, com o nome “Sob o céu de gris profundo” (Casarão do Verbo). Participou das coletâneas “As baianas” (2012), “82 – Uma copa, quinze histórias” (2013) e “Wir Sind Bereit: Junge Prosa aus Brasilien”, com tradução de Marlen Eckl e publicação da editora alemã Lettrétage, a ser lançada na Feira de Frankfurt 2013.

Na FLICA
Mesa 09 – “A Velocidade da Contemplação Moderna”
Sábado, 26 de outubro, às 14h



JEAN-CLAUDE KAUFMANN
http://www.flica.com.br/jean-claude-kaufmann/

Natural de Rennes (1948), França, é sociólogo e escritor, diretor de pesquisa no Centre de Recherche sur les Liens Sociaux – CERLIS (Centro de Pesquisa de Relações Sociais) na Université Paris-Descartes (ou Paris V). Na sua trajetória acadêmica, desenvolveu teses sobre relacionamento, sexualidade e as novas formas de construção familiar, utilizando-se sempre de pesquisas de campo e observação direta. Com obras traduzidas em mais de 15 línguas, vem à Flica apresentar a obra recém-lançada no país pela Bertrand Brasil, o livro de ensaios “Primeira Manhã: Como Nasce uma História de Amor”.

Na FLICA
Mesa 11 – “As Imposições do Amor ao Indivíduo”
Sábado, 26 de outubro, às 20h



MÁRIO MAGALHÃES
http://www.flica.com.br/mario-magalhaes/

Natural do Rio de Janeiro (1964), é formado em jornalismo na UFRJ. Trabalhou em jornais como O Globo, O Estadão e Folha de S. Paulo, no qual foi repórter especial, colunista e ombudsman. Recebeu mais de vinte prêmios e menções honrosas no Brasil e no exterior, entre os quais o Every Human Has Rights Media Awards, o Prêmio Vladimir Herzog, o Prêmio Dom Hélder Câmara e o Prêmio Esso de Jornalismo. Atualmente mantém o Blog do Mário Magalhães, no UOL. É autor da biografia “Marighella – O guerrilheiro que incendiou o mundo” (Companhia das Letras), vencedora do Prêmio APCA de melhor biografia de 2012, sobre a vida do baiano Carlos Marighella, militante comunista, deputado federal constituinte e fundador do maior grupo armado de oposição à ditadura militar. O livro será adaptado para o cinema em coprodução do ator Wagner Moura com a produtora O2, de Fernando Meirelles, e marcará a estreia de Wagner na direção de um longa.

Na FLICA
Mesa 03 – “Vidas Comuns, Vidas Notáveis”
Quinta-feira, 24 de outubro, 15h

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Edson Gomes

Os discos e as músicas do cantor e compositor Edson Gomes são os meus prediletos e as que eu mais gosto dentre tudo que é feito de reggae no Brasil. No meado dos anos 1990, eu só ouvia Bob Marley & The Wailers o tempo inteiro, e foi o ilustre mestre cachoeirano quem despertou o meu interesse para outros sons além do gigante jamaicano. Fiquei fã de Edson Gomes antes de conhecer Burning Spear , Peter Tosh , Alpha Blondy , Gregory Isaacs e muitos outros. Foram os clássicos dele, e são muitos, muita música boa, arranjos excelentes, o sonzaço da banda Cão de Raça (adoro a timbragem e improvisos do guitarrista Tony Oliveira ), que me apresentaram a magia do Recôncavo Baiano , de Cachoeira , muitos anos antes da Flica . Na Seleta de hoje, as 42 músicas que mais gosto, gravadas por Edson Gomes & Banda Cão de Raça , presentes em seis álbuns : “ Resgate Fatal ” (1995), “ Campo de Batalha ” (1992), “ Recôncavo ” (1990), “ Apocalipse ” (1997), “ Reggae Resistência ” (1988) e “ Acor