Pular para o conteúdo principal

Placebo - Set list matador

Placebo em duas fases (Fotos da Internet)


Se eu fosse montar um show cover do Placebo para tocar no Groove Bar teria o seguinte repertório, exatamente nessa ordem [bem variado, com duas do "Placebo" (1996), três do "Without You I'm Nothing" (1998), quatro do "Black Market Music" (2000), quatro do "Sleeping With Ghosts" (2003), quatro do "Meds" (2006) e três do "Battle For The Sun" (2009) - não colocaria nenhuma do novo, a não ser que pudesse ser um show maior]:


01) Battle for The Sun

02) Without You I'm Nothing

03) Protect Me From What I Want

04) Peeping Tom

05) Devil in The Details

06) Pure Morning

07) Bruise Pristine

08) Passive Aggressive

09) Bright Lights

10) Meds

11) Nancy Boy

12) Drag

13) Special Needs

14) Every You Every Me

15) Special K

16) The Bitter End

17) Follow the Cops Back Home

BIS

18) Black Eyed

19) One of a Kind

20) This Picture


Placebo ao vivo em um show sensacional em 2006


Confira aqui o mesmo repertório acima, agora em vídeos com versões ao vivo:

01) Battle for The Sun

02) Without You I'm Nothing

03) Protect Me From What I Want

04) Peeping Tom

05) Devil in The Details

06) Pure Morning

07) Bruise Pristine

08) Passive Aggressive

09) Bright Lights

10) Meds

11) Nancy Boy

12) Drag

13) Special Needs

14) Every You Every Me

15) Special K

16) The Bitter End

17) Follow the Cops Back Home

BIS

18) Black Eyed

19) One of a Kind

20) This Picture

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Pílulas: Provérbios, de Mãe Stella de Oxóssi

Mãe Stella de Oxóssi (foto: Iraildes Mascarenhas - interferida por Mirdad)

"Criar desculpas para os próprios atos é a melhor maneira de permanecer no erro"


"Quem está vinculado ao sagrado, não deve mentir em seu nome"


"Fé não se impõe"


"Quem desdenha dos defeitos alheios está exibindo os seus"


"Às vezes se precisa perder pouco, para não perder tudo"


"O caminho espiritual pode ser comunitário, porém é sempre solitário"


Provérbios Mãe Stella de Oxóssi (2007)

"O que o destino disser que é, ninguém terá força para dizer que não é"


"Saber morrer faz parte do saber viver"


"Não é sábio aquele que se acha sabido"


"A presença do 'se' mostra a impossibilidade de realização dos desejos"


O provérbio diz: "Não há Orixá como o estômago, pois recebe sacrifícios diariamente". Mãe Stella de Oxóssi interpreta: "O estômago é como uma divindade, precisa ser respeitado e cuidado"