Pular para o conteúdo principal

Produções de Emmanuel Mirdad: Ano 2004


Depois de produzir apenas três shows em três anos da sua banda The Orange Poem, o produtor cultural baiano Emmanuel Mirdad decidiu em 2004 colocar a mão na massa no esquema "faça você mesmo" e elaborou a proposta de série de shows chamada Agente Laranja Gueto Cultural, que o Tangolomango Bar, em Salvador-BA, topou fazer na parceria. Foi o primeiro evento criado e executado por Mirdad, que começou também a ser o agente de shows de bandas de rock. Abaixo, a descrição do próprio produtor.


Agente Laranja Gueto Cultural

Temporada de sete shows da banda The Orange Poem no Tangolomango Bar, que funcionava na Rua Alagoas, Pituba, Salvador-BA, com periodicidade quinzenal. Como não conseguia ninguém para produzir a banda em que eu cantava e tocava minhas composições, resolvi tomar a iniciativa. Precisava fazer um caixa pra gravar o primeiro CD, e na minha primeira experiência com produção cultural já foi pensando grande: ao invés de apenas um show, uma janela cultural de produções baianas nas variadas artes: música, poesia, artes plásticas e audiovisual. 

Com o passar das edições, porém, os parceiros convidados começaram a falhar e me deixar na mão que o Agente Laranja Gueto Cultural acabou virando apenas shows musicais mesmo, com a Orange Poem e uma banda convidada. Tocaram no evento as bandas Soma, Pangenianos, Besouros do Sertão, Paladinos, entre outras.

Patrocinador - Meu bolso e Tangolomango Bar

Funções - Criação e concepção da proposta | Produtor executivo | Curador

-----


Agente de shows Tangolomango Bar

Por conta da produção da temporada de shows Agente Laranja Gueto Cultural, em que comecei a articular diversos contatos no meio cultural baiano, o então dono do Tangolomango Bar (que funcionava na Rua Alagoas, Pituba, Salvador-BA) me convidou para tomar conta da programação das noites fracas do bar, inicialmente nos domingos, mas que a partir de outubro foi ampliada para todas as noites, exceto aquelas em que a Mamutes (atração principal da casa) tocava. 

Agenciei diversas bandas, mas as principais foram Paladinos e Besouros do Sertão (fotos acima), que sempre encheram a casa com muita satisfação do público. Não ganhava nada do bar por isso, entrava apenas na divisão da bilheteria destinada às bandas (menos a percentagem do bar), ou seja, quase nada.

Patrocinador - Prestando serviço para o Tangolomango Bar

Funções - Produtor executivo | Curador | Roadie


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…