Pular para o conteúdo principal

Discografia de Emmanuel Mirdad


O compositor e produtor musical, fonográfico, executivo e artístico Emmanuel Mirdad começou a registrar suas composições em álbuns a partir de 1999, vinculado inicialmente às bandas que formou e atuou, processo que durou até 2007, quando passou a atuar em produção cultural de eventos e outros artistas. Em 2014, Mirdad voltou a produzir o registro de suas composições.


[2014]
The Orange Poem
Hybrid
Ouça aqui

Álbum duplo com 18 canções psicodélicas e progressivas, e seis vocalistas distintos, como Mateus Aleluia e Teago Oliveira.



[2014]
The Orange Poem
EP Crowd
Ouça aqui

Uma piano progressiva, um blues épico, um grunge experimental e o vocal de Teago Oliveira da Maglore.



[2014]
The Orange Poem
EP Ancient
Ouça aqui

A voz aveludada, de floresta e ancestral de Mateus Aleluia (ex-Os Tincoãs) numa experiência ancestrodélica.



[2014]
The Orange Poem
EP Balance
Ouça aqui

A face pesada da Orange Poem encontra a voz furiosa e rasgada do cantor Mauro Pithon (Úteros em Fúria e Bestiário).



[2014]
The Orange Poem
EP Wide
Ouça aqui

Blues, psicodelia e groove rock com o vocal feminino da múltipla e referencial Nancy Viégas (atual Radiola e ex-Crac!).



[2014]
The Orange Poem
EP Unquiet
Ouça aqui

Psicodelia fina para transcender, rock estradeiro e uma homenagem a Raul Seixas com o vocal de Rodrigo Pinheiro.


EP Ground
Ouça aqui

Blues psicodélico rock progressivo com o vocal de Glauber Guimarães (ex-Dead Billies e atual Teclas Pretas).



[2008]
Universo Telecoteco
Ouça aqui

Bolo doido de rock, groove, MPB, jazz, bossa, reggae e experimentalismo, com a voz de Emmanuel Mirdad



[2008]
EP ID
Ouça aqui

Rock, groove, blues, pop e psicodelia, com participações de músicos das bandas The Orange Poem e Pedradura



EP O Primeiro Equilíbrio
Ouça aqui

Poprock nacional com pegada eletrônica. Juracy do Amor na voz e guitarras e André Magalhães nos arranjos e samplers.


Comentários

Ana Gilli disse…
Poeta, Músico, Compositor, Letrista, Arranjador, Produtor, Cantor... Sua versatilidade impressiona, Mirdad!

Mas o que te faz um grande artista é a sua fé inabalável no poder transformador da arte e na coragem que você tem de zelar por ela, defendê-la e incentivá-la, mesmo diante das maiores reviravoltas e adversidades deste universo musical e cultural que vivemos.

Brilhante arquivo. Fico feliz por ter podido contribuir um pouco no processo de revisão das letras e saber mais sobre esta trajetória musical tão significativa.

Parabéns pela obra! Sucesso e boa sorte neste novo movimento.

Ana


Mirdad disse…
Que belo comentário, linda, muito obrigado, emocionou! Contribuiu sim, e foi muito importante! O melhor: continua contribuindo, espero que por muito tempo, enquanto durar o oxigênio que incentiva nosso fazer. Um beijo enorme!! Saudades!

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…