Pular para o conteúdo principal

Seleta: Israel Vibration

Álbuns do Israel Vibration participantes desta Seleta


Originalmente um trio jamaicano formado nos anos 1970, o Israel Vibration continua na ativa e promete um novo álbum para 2015. Apple Gabriel, meu vocalista predileto, saiu em 1997 para seguir em carreira solo, irregular, mas, pra mim, é uma das vozes mais peculiares do reggae de todos os tempos, um timbre impressionante, eternizado em clássicos do Israel Vibration como Ambush, Why You So Craven e Real and Right, entre outros. Na Seleta de hoje, as 55 melhores faixas da obra do Israel Vibration, do período de 1978 a 2010, na opinião do fã Emmanuel Mirdad, presentes em 13 álbuns disponíveis na página do trio no site Grooveshark. Para escutar, baixa clicar no player abaixo.



Não consegue visualizar o player? Ouça aqui


Repertório da Seleta Israel Vibration, de 1978 a 2010:

01) Ambush - On the Rock (1995)

02) Why You So Craven - Why You So Craven (1981)

03) Real and Right - Praises (1990)

04) Jah is the Way - Why You So Craven (1981)

05) There is no End - Praises (1990)

06) Natty Dread - Stamina (2007)

07) False Pretense - Forever (1991)

08) Herb is the Healing - Stamina (2007)

09) Top Control - Unconquered People (1980)

10) Lift up Your Conscience - The Same Song (1978)

11) Stamina - Stamina (2007)

12) Get Up And Go - Pay the Piper (1999)

13) Back Staba - Stamina (2007)

14) Walk the Streets of Glory - The Same Song (1978)

15) We A de Rasta - Unconquered People (1980)

16) Licks and Kicks - The Same Song (1978)

17) African Unification - Jericho (2000)

18) Mud Up - Free to Move (1996)

19) Lost Souls - Jericho (2000)

20) My Master's Will - Reggae Knights (2010)


Israel Vibration - foto: Amélie Didelot


21) Jammin - Jericho (2000)

22) Life is Real - Free to Move (1996)

23) Don't Want Apartheid - Strength of My Life (1988)

24) Racial Discrimination - Forever (1991)

25) Solomon Bloodline - Free to Move (1996)

26) Rudeboy Shuffle - On the Rock (1995)

27) Give I Grace - Unconquered People (1980)

28) Universal Father - Why You So Craven (1981)

29) Friday Evening - Unconquered People (1980)

30) Sautez Reggae - Stamina (2007)

31) Rip and Run Off - Reggae Knights (2010)

32) Flood Water - Stamina (2007)

33) Reggae on the River - Forever (1991)

34) The Same Song - The Same Song (1978)

35) Mr. Taxman - Unconquered People (1980)

36) Poor Man Dub - Forever (1991)

37) Livity in the Hood - Free to Move (1996)

38) On the Rock - On the Rock (1995)

39) On Borrowed Time - Jericho (2000)

40) System Not Working - Free to Move (1996)

41) Falling Angels - IV (1993)



Apple Gabriel, membro até 1997, minha voz predileta do ex-trio - foto: Yaniv Nadav


42) Rebel for Real - On the Rock (1995)

43) Traveling Man - Free to Move (1996)

44) Rumours of War - Praises (1990)

45) Love Makes a Good Man - On the Rock (1995)

46) Middle East - Strength of My Life (1988)

47) Original Soljahs - Pay the Piper (1999)

48) Jericho - Jericho (2000)

49) Racial Injustice - IV (1993)

50) Nuttin' Nah Bruk - Pay the Piper (1999)

51) Feelin' Irie - Free to Move (1996)

52) Cool and Calm - Strength of My Life (1988)

53) Jailhouse Rocking - Praises (1990)

54) New York City - Reggae Knights (2010)

55) Mighty Negus - Free to Move (1996)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…