Pular para o conteúdo principal

Melhores da revista piauí em 2013

Capas das revistas piauí 86, 83, 85, 77, 87, 80, 82, 78, 84 e 81 de 2013.


Os 44 melhores textos/HQs que foram publicados na revista piauí em 2013 você confere nos links abaixo (acesso gratuito e para assinantes da revista), selecionados por mim, assinante (primeiro das bancas e depois na forma padrão) desde a piauí_5, num levantamento que fiz em janeiro de 2014.

A melhor piauí de 2013 foi a de número 86, de novembro, com destaque para os cartuns de Laerte, o capitulo Álvaro, do romance Fim, de Fernanda Torres, o artigo de Jonathan Franzen sobre a perda de tempo das redes sociais, a segunda parte do diário do conde Harry Kessler, entre outros.

Completando o top five, a #83 (agosto), com o melhor texto publicado na revista no ano, o emocionante Crianças já não me entristecem, de Andrew Solomon, sobre a paternidade na vida de um casal gay; a #85 (outubro), com a reportagem de Consuelo Dieguez sobre as circunstâncias da tragédia de 2007 no Aeroporto de Congonhas; a #77 (fevereiro), com os textos sobre como o namoro pela internet pode destruir a noção de si mesmo e o que dá escalar Lindsay Lohan para um filme; e #87 (dezembro), com o belo texto Amar o pai, de Margarita García Robayo, uma reflexão sobre os seus romances com homens mais velhos. A pior piauí do ano, foi a #76, de janeiro.

PS: Os links foram retirados do post porque a revista trocou de servidor duas vezes, e não há como definir se o conteúdo continuará disponível na internet. Recomenda-se procurar o site da revista no Google, e pesquisar pelo título da matéria para verificar se está disponível para leitura ou não.


Melhores 2013 - Parte I


Crianças já não me entristecem
A paternidade na vida de um casal gay.
Andrew Solomon
piauí #83


Álvaro
Meu quarteirão! Mais 57 passos e chego. Adoro contar os passos.
Fernanda Torres
piauí #86


Amar o pai
Uma escritora reflete sobre seus romances com homens mais velhos.
Margarita García Robayo
piauí #87


O turista infeliz
Há algo masoquista em comer a comida local, fazer esportes radicais, tolerar aquele calorão. O mundo do trabalho já invadiu seu paraíso: é preciso acordar cedo, é preciso, é preciso.
Nuno Ramos
piauí #78


Pronto, falei
Enquanto tuitamos, mandamos torpedos e gastamos dinheiro, o mundo caminha para a catástrofe.
Jonathan Franzen
piauí #86


O desastre
Denise Abreu e as circunstâncias da tragédia de 2007 no Aeroporto de Congonhas.
Consuelo Dieguez
piauí #85


Quixote venceu
Memórias e dúvidas metafísicas de um torcedor do Galo diante da glória.
Roberto Andrés
piauí #84


A travessia de Suez
Um romance mediúnico.
Reinaldo Moraes
piauí #85


Romance virtual
O namoro pela internet destruiu minha noção de mim mesma como alguém que eu conheço e compreendo, e que consigo expressar em palavras.
Emily Witt
piauí #77


Os micróbios somos nós
As bactérias causam doenças. Será que também podem defender a vida?
Michael Specter
piauí #80


A doutora
Os feitos da médica Virgínia Soares de Souza, acusada de matar sete pacientes numa UTI em Curitiba.
Daniela Pinheiro
piauí #81


“Eu não me interesso por nada comum”
Diário
Richard Burton
piauí #84


A disputa que matou a Varig
Como as divergências no governo Lula selaram o fim da empresa e deixaram a aviação civil brasileira nas mãos dos estrangeiros.
Consuelo Dieguez
piauí #82


Ilusões perdidas
Uma repórter narra a sua trajetória, da glória à agonia dos grandes jornais, e vê sua espécie ameaçada de extinção com a asfixia da imprensa crítica e independente.
Graciela Mochkofsky
piauí #80


É isso que dá escalar Lindsay Lohan para seu filme
O diretor Paul Schrader se viu nu num quarto em Malibu, com saudade dos cachorros que deixara em casa e tentando convencer a atriz a tirar o roupão.
Stephen Rodrick
piauí #77


Melhores 2013 - Parte II


Alô, Bozo?
Percebi pelo tom de voz que ele esperava alguma coisa do telefonema. Se minha mãe dizia estar ocupada quando eu ligava no trabalho dela, imagina só a pessoa mais importante da televisão.
Antonio Prata
piauí #82


O amigo norte-coreano
Breve encontro com um formando da primeira turma de português de Pyongyang.
Juliana Cunha
piauí #77


O homem que conhecia todo mundo
Diário - Parte I
Conde Harry Kessler
piauí #85


“O sentimento de uma nova era”
Diário - Parte II
Conde Harry Kessler
piauí #86


Detetive particular
Um autor de romances policiais navega pela realidade menos visível de Cuba.
Jon Lee Anderson
piauí #87


No epicentro da barafunda
Os cronistas entre a medida do homem ao rés do chão e a desmedida industrial da televisão.
Mario Sergio Conti
piauí #82


Caseiro e estranho
Poemas de Matthew Rohrer
Introdução por Eucanaã Ferraz
piauí #77


Colheita amarga
Produção de etanol patina, empresas nacionais são vendidas e país fica longe da ambição de ser uma “Arábia Saudita verde”.
Consuelo Dieguez
piauí #78


Tudo é sempre igual
Nunca expresso o que realmente penso, o que realmente quero dizer, mas sempre concordo mais ou menos com o que meu interlocutor diz, finjo que o que ele diz me interessa.
Karl Ove Knausgård
piauí #80


Chá com veneno
Uma tarde de histórias e intrigas ao lado de Lêdo Ivo.
Claudio Leal
piauí #77


Filé com letras
O açougueiro que se tornou agitador cultural em Brasília.
Clara Becker
piauí #77


Reféns da modernistolatria
O mito em torno da Semana de 22 distorce a compreensão das letras brasileiras; a USP, o tropicalismo e o triunfo do mercado foram decisivos para legitimar esse equívoco histórico.
Luís Augusto Fischer
piauí #80


Melhores 2013 - Parte III


Uma em um bilhão
O que faz uma escritora brasileira em um festival literário em Macau.
Vanessa Barbara
piauí #82


A viúva e a vanguarda
A herdeira de Borges e um jovem escritor disputam um sonho de Kafka e o que é cópia e o que é arte.
Alejandro Chacoff
piauí #78


Semimorto em Frankfurt
Sessenta tons possíveis para uma grande feira de livro e a pequena vida literária.
Michel Laub
piauí #86


O cru, o cozido e o cérebro
Suzana Herculano-Houzel conta neurônios em laboratório e dá novas pistas para a compreensão da inteligência humana.
Bernardo Esteves
piauí #77


A onça e a barragem
Por que o mais conhecido líder indígena do país é contra uma hidrelétrica a centenas de quilômetros de sua aldeia.
Rafael Cariello
piauí #77


A democracia na praça
Dois anos de protestos na Espanha.
Germán Labrador Méndez
piauí #83


Urbanista acidental
As obsessões e os dilemas de Philip Yang, o empresário que pretende reinventar o Centro de São Paulo.
Rafael Cariello
piauí #84


Mande sua chave
A saga da documentarista Laura Poitras, que respondeu a um e-mail anônimo de Edward Snowden.
Peter Maass
piauí #84


Via-sacra
Histórias de fé numa típica rua do Brasil.
Paula Scarpin
piauí #82


Chutes para todo lado
A incrível biografia de José Dirceu, o fauno que comeu cordeiro patagônico.
Mario Sergio Conti
piauí #83


Senhor dos anéis
Um grande resultado matemático e as suas consequências.
João Moreira Salles
piauí #87


Melhores 2013 - HQs


Cartuns
Laerte
piauí #86


Que país foi este?
Portfolio de Henfil
Sérgio Augusto
piauí #85


A arte de lembrar
Quadrinhos
Reinaldo Figueiredo
piauí #85


Vermelho
Quadrinhos
Pedro Franz
piauí #80


O sentido da vida
Quadrinhos
Uwe Heidschötter
piauí #82


Videogame
Quadrinhos
Rafael Coutinho
piauí #78

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

Informações sobre o livro (trechos, release, fotos, crítica, etc.) aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques em O livro das semelhanças

Ana Martins Marques (foto: Rodrigo Valente)

Coleção
Ana Martins Marques

                                        Para Maria Esther Maciel

Colecionamos objetos
mas não o espaço
entre os objetos

fotos
mas não o tempo
entre as fotos

selos
mas não
viagens

lepidópteros
mas não
seu voo

garrafas
mas não
a memória da sede

discos
mas nunca
o pequeno intervalo de silêncio
entre duas canções


--------


Ana Martins Marques

Combinamos por fim de nos encontrar
na esquina das nossas ruas
que não se cruzam


--------


Mar
Ana Martins Marques

Ela disse
mar
disse
às vezes vêm coisas improváveis
não apenas sacolas plásticas papelão madeira
garrafas vazias camisinhas latas de cerveja
também sombrinhas sapatos ventiladores
e um sofá
ela disse
é possível olhar
por muito tempo
é aqui que venho
limpar os olhos
ela disse
aqueles que nasceram longe
do mar
aqueles que nunca viram
o mar
que ideia farão
do ilimitado?
que ideia farão
do perigo?
que ideia farão
de partir?
pensarão em tomar uma estrada longa
e não olhar para tr…