Pular para o conteúdo principal

Leituras 2015

Os 56 livros lidos em 2015

Dentre os 56 livros lidos em 2015, selecionei passagens em 46 livros, com destaque para os contos de Anton Tchekhov, Dino Buzzati, Guy de Maupassant e Sérgio Sant'Anna, e os romances de Gonçalo M. Tavares, Cristovão Tezza, Ondjaki e Dino Buzzati. Além disso, divulguei os lançamentos de escritores baianos como Lívia Natália, Mayrant Gallo, Carlos Barbosa, Tom Correia e Victor Mascarenhas, entre outros. Abaixo, você pode conferir, quais foram os livros lidos (e relidos também), além dos que tiveram passagens selecionadas. Boa leitura!


“O beijo e outras histórias”
(Editora 34, 2014)
Anton Tchekhov
Leia trechos aqui

“O deserto dos tártaros”
(Nova Fronteira, 2011)
Dino Buzzati
Leia trechos aqui

“Os cem melhores contos brasileiros do século”
(Objetiva, 2000)
Org. Ítalo Moriconi
Seleção dos 50 melhores contos aqui

“A dama do cachorrinho e outros contos”
(Editora 34, 2014)
Anton Tchekhov
Leia trechos aqui


“O voo da madrugada”
(Companhia das Letras, 2003) 
Sérgio Sant'Anna
Leia trechos aqui

“As noites difíceis”
(Nova Fronteira, 2004)
Dino Buzzati
Leia trechos aqui

“As grandes paixões”
(Record, 2005)
Guy de Maupassant
Leia trechos aqui

“Melhores contos”
(Global, 2000)
J. J. Veiga
Leia trechos aqui

Aprender a rezar na era da técnica
(Companhia das Letras, 2008)
Gonçalo M. Tavares
Leia um trecho aqui

“Melhores contos”
(Global, 2003)
Orígenes Lessa
Leia trechos aqui

“Correntezas e outros estudos marinhos”
(Ogum's Toques Negros, 2015)
Lívia Natália
Leia trechos aqui

Naquele exato momento
(Nova Fronteira, 2004)
Dino Buzzati
Leia trechos aqui

A dama do cachorrinho [e outras histórias]
(L&PM Pocket, 2014)
Anton Tchekhov
Leia trechos aqui

Um homem extraordinário [e outras histórias]
(L&PM Pocket, 2013)
Anton Tchekhov
Leia trechos aqui

“Os cavalinhos de Platiplanto”
(Bertrand Brasil, 1995)
J. J. Veiga
Leia trechos aqui

“Os transparentes”
(Companhia das Letras, 2013)
Ondjaki
Leia um trecho aqui

A máquina de Joseph Walser
(Companhia das Letras, 2010)
Gonçalo M. Tavares
Leia trechos aqui

“O professor”
(Record, 2014)
Cristovão Tezza
Leia trechos aqui

“Obscenas”
(P55, 2015)
Carlos Barbosa
Leia trechos aqui

“Cemitério de elefantes”
(Civilização Brasileira, 1970)
Dalton Trevisan
Leia trechos aqui

Um homem: Klaus Klump
(Companhia das Letras, 2007)
Gonçalo M. Tavares
Leia trechos aqui

“O cheirinho do amor – Crônicas safadas”
(Companhia das Letras, 2014)
Reinaldo Moraes

“O prazer do poema – Uma antologia pessoal”
(Edições de Janeiro, 2014)
Vários, organizado por Ferreira Gullar

“18 de maio, quanto tens por dizer...”
(Buenas Books, 2015)
Tarcísio Buenas
Leia trechos aqui

“Longe da árvore”
(Companhia das Letras, 2013)
Andrew Solomon
Leia trechos aqui

“O enigma dos livros”
(P55, 2015)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui

“As três irmãs”
(Nova Cultural, 1995)
Anton Tchekhov

“Beira de rio, correnteza”
(Bom Texto, 2010) 
Carlos Barbosa
Leia trechos aqui

“A mulher na janela”
(Estante, 1961)
Hélio Pólvora
Leia trechos aqui

“Ladeiras, vielas & farrapos”
(Via Litterarum, 2015)
Tom Correia
Leia trechos aqui

“Um certo mal-estar”
(Solisluna, 2015)
Victor Mascarenhas
Leia trechos aqui

Cegueira moral – A perda da sensibilidade
na modernidade líquida
(Zahar, 2014)
Zygmunt Bauman e Leonidas Donskis

“Memorial dos medíocres”
(Fundação Casa de Jorge Amado, 2002)
Tom Correia
Leia trechos aqui

“O ovo e o mundo”
“Dias de garoto”
“O cachorrinho riu”
“A minhoca dorminhoca”
(Kalango, 2015)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui

“Ficções ao mar”
(P55, 2012)
Georgio Rios
Leia trechos aqui

“Caymmianos
Personagens das canções de Dorival Caymmi”
(Eduneb, 2015)
Marielson Carvalho
Leia trechos aqui

“Sob um céu de gris profundo”
(Casarão do Verbo, 2011)
Tom Correia
Leia trechos aqui

“Muito antes da meia-noite”
(Confraria do Vento, 2015)
Cristiano Ramos
Leia trechos aqui

“Gennesius – Histriônica epopeia de um martírio em flor”
(Uesb, 2012)
Roberto de Abreu

“Estante viva”
(Via Litterarum, 2013)
Cleberton Santos

“Arquivos de um corpo em viagem”
(Mondrongo, 2015)
Marcus Vinícius Rodrigues
Leia trechos aqui

“Desordem”
(Bookstorming, 2014)
Cristiano Baldi, Erika Mattos da Veiga, Katherine Funke, Natércia Pontes, Olavo Amaral, Patrick Brock e Paulo Bullar

“O contrário de B.”
(Confraria do Vento, 2015)
Bruno Liberal
Leia trechos aqui

“Olho morto amarelo”
(Cepe, 2013)
Bruno Liberal
Leia trechos aqui

“Ao longo da linha amarela”
(P55, 2009)
João Filho
Leia trechos aqui

“Outro livro na estante”
(Mondrongo, 2015)
Org. Herculano Neto e
Gustavo Felicíssimo
Leia trechos aqui

“Encarniçado”
(Editora Baleia, 2004)
João Filho
Leia trechos aqui

“Um dia na cidade – Contos colaborativos”
(All Print, 2015)
Org. Nalini Vasconcelos

“É pegar ou largar”
(2015)
Joana Rizério
Leia trechos aqui

“Isadora, sua camisola
La Perla e a Br”
(Kalango, 2015)
Catarina Guedes
Leia trechos aqui

“Cantares de roda”
(Via Litterarum, 2011)
Cleberton Santos

Aromas de fêmea
(Editora Oxente, 2013)
Cleberton Santos

“Ave noturna”
(Via Litterarum, 2015)
Márcio Matos
Leia trechos aqui

-----

Reli 07 livros em 2015

Laços de família
(Rocco, 1960)
Clarice Lispector
Leia trechos aqui

Feliz ano novo
(Saraiva de bolso, 2012)
Rubem Fonseca
Leia trechos aqui

Brancos reflexos ao longe
(Livro.com, 2011)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui

Três infâncias
(Casarão do Verbo, 2011)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui

Cidade singular
(Kalango, 2013)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui

O gol esquecido
(A Girafa, 2014)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui

“As aventuras de Nicolau & Ricardo: detetives”
(Penalux, 2014)
Mayrant Gallo
Leia trechos aqui

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seleta: Lisa Hannigan

Lisa Hannigan (foto daqui ) Conheci a cantora e compositora irlandesa Lisa Hannigan graças ao emocionante filme “ Maudie ” (2016), da diretora irlandesa Aisling Walsh (baseado na história da artista canadense Maud Lewis ). A música dos créditos finais é “ Little Bird ”, e a suavidade, timbre, afinação e interpretação tátil da bela voz de Lisa Hannigan me fisgou na hora! Contemplei três dos seus álbuns, “ At Swim ” (2016), “ Passenger ” (2011) e “ Sea Sew ” (2008), e fiz uma seleta com 20 canções que mais gostei. Confira o belo trabalho da irlandesa Lisa Hannigan ! Ouça no YouTube  aqui Ouça no Spotify aqui 1) Tender [At Swim, 2016] 2) Funeral Suit  [At Swim, 2016] 3) Home [Passenger, 2011] 4) Little Bird [Passenger, 2011] 5) Paper House [Passenger, 2011] 6) An Ocean and a Rock [Sea Sew, 2008] 7) Prayer for the Dying [At Swim, 2016] 8) Nowhere to Go [Passenger, 2011] 9) Anahorish [At Swim, 2016] 10) We, the Drowned [At Swim, 2016] 11) Splishy Splashy [Sea Sew, 2008] 12) T

Leituras 2020

Os 10 livros lidos em 2020 Li 10 livros em 2020 , com destaque para a poesia, e selecionei trechos das obras de Alex Simões , Lúcio Autran , Wesley Correia , Mariana Botelho , Nina Rizzi , Érica Azevedo , Ana Valéria Fink e Cyro de Mattos , e trechos dos romances de Franklin Carvalho e Victor Mascarenhas . Além dos livros, elaborei uma seleção de poemas de Zecalu [publicados nas redes sociais em 2019], outra seleta de trechos de crônicas de Santiago Fontoura [publicadas no Facebook], e uma seleção de poemas de Martha Galrão . Por fim, reli a autobiografia de Rita Lee e divulguei trechos também. Boa leitura! “Contrassonetos catados & via vândala” (Mondrongo, 2015) Alex Simões Leia trechos  aqui “soda cáustica soda” (Patuá, 2019) Lúcio Autran Leia trechos  aqui “laboratório de incertezas” (Malê, 2020) Wesley Correia Leia trechos  aqui “o silêncio tange o sino” (Ateliê Editorial, 2010) Mariana Botelho Leia trechos  aqui   “A ordem interior do mundo” (7Letras, 2020) Franklin Carv

Seleta: Flávio José

Flávio José (foto: divulgação ) O artista de forró que mais gosto é o cantor, sanfoneiro e compositor Flávio José . Para mim, ele é a Voz do Nordeste . Um timbre único, raro, fantástico. Ouvir o canto desse Assum Preto-Rei é sentir o cheiro da caatinga, arrastar os pés no chão de barro ao pé da serra, embalar o coração juntinho com a parceira que amo, deslizar os passos como se no paraíso estivesse, saborear a mistura de amendoim com bolo de milho, purificar o sorriso como Dominguinhos ensinou, banhar-se com as rezas das senhoras sábias, prestar atenção aos causos, lendas e histórias do povo que construiu e orgulha o Brasil . Celebrar a pátria nordestina é escutar o mestre Flávio José ! Natural da sertaneja Monteiro , na Paraíba , em 2021 vai completar 70 anos (no primeiro dia de setembro), com mais de 30 discos lançados e vários sucessos emplacados na memória afetiva do povo brasileiro (fez a alegria e o estouro da carreira de muitos compositores, que tiveram a sorte de serem grav