Pular para o conteúdo principal

82 livros mais importantes que li ao escrever o meu primeiro romance


Nessa semana, finalizo a produção do original do meu primeiro romance. Um processo que começou com a elaboração de um esboço lá em 2012, e que já teve o término anunciado algumas vezes por aqui e nas redes, além de muitas versões, mudanças, cortes, acréscimos, um laboratório, um curso, um aprendizado. Não poderia ter produzido o romance, se eu não tivesse lido esses livros abaixo, de contos, poemas, romances, ensaios, históricos, fundamentais para a minha formação.

Sem os contos e as crônicas de Clarice Lispector, os contos de Mayrant Gallo, Hélio Pólvora, A. P. Tchekhov e Machado de Assis, as crônicas de Nelson Rodrigues, os romances de Pepetela e os poemas de Ruy Espinheira Filho, entre outras inspirações, eu não teria escrito uma linha.



Dos livros lidos durante o processo de escrita do meu primeiro romance, entre 2012 e 2018, são estes os que eu considero como os mais importantes para a minha formação como leitor e escritor:

01) “Todos os contos de Clarice Lispector

02) “50 contos de Machado de Assis

03) “Um negócio fracassado e outros contos de humor” – A. P. Tchekhov

04) “A dama do cachorrinho [e outras histórias]” – A. P. Tchekhov

05) “O inédito de Kafka” – Mayrant Gallo (releitura)

06) “Brancos reflexos ao longe” – Mayrant Gallo (releitura)

07) “Toda poesia de Augusto dos Anjos

08) “Os cem melhores contos brasileiros do século” – Org. Ítalo Moriconi

09) “Melhores contos de Aníbal Machado

10) “A flecha de Deus” – Chinua Achebe

11) “A gloriosa família – O tempo dos flamengos” – Pepetela

12) “O livro das semelhanças” – Ana Martins Marques

13) “Crônica do Pássaro de Corda” – Haruki Murakami

14) “Khadji-Murát” – Lev Tolstói

15) “Memórias póstumas de Brás Cubas” – Machado de Assis

16) “As noites difíceis” – Dino Buzzati

17) “Naquele exato momento” – Dino Buzzati

18) “O demônio do meio-dia – Uma anatomia da depressão” – Andrew Solomon

19) “Correntezas e outros estudos marinhos” – Lívia Natália

20) “Os Románov” – Simon Sebag Montefiore

21) “O Diabo & Sherlock Holmes: histórias reais de assassinato, loucura e obsessão” – David Grann

22) “Como ficar sozinho” – Jonathan Franzen

23) “Aprender a rezar na era da técnica” – Gonçalo M. Tavares

24) “Melhores contos de Orígenes Lessa

25) “Os cavalinhos de Platiplanto” – J. J. Veiga

26) “Os transparentes” – Ondjaki

27) “Histórias da Gente Brasileira – Volume 1: Colônia” – Mary Del Priore

28) “Mar de glória – Viagem americana de descobrimento” – Nathaniel Philbrick

29) “Bahia: Inquisição e sociedade” – Luiz Mott

30) “A cor da água – Tributo de um negro à sua mãe branca” – James McBride

31) “A cidade do Salvador 1549: Uma reconstituição histórica” – Edison Carneiro

32) “Perseguição e cerco a Juvêncio Gutierrez” – Tabajara Ruas

33) “Obra completa” – Murilo Rubião



Dos livros lidos nos anos de 2012 a 2018, fora dos dias de trabalho no processo de escrita do meu primeiro romance, são estes os que eu considero como os mais importantes para a minha formação como leitor e escritor:

01) “Pés quentes nas noites frias” – Mayrant Gallo (releitura)

02) “O grito da perdiz” – Hélio Pólvora

03) “A descoberta do mundo” – Clarice Lispector (releitura)

04) “Estação infinita e outras estações” – Ruy Espinheira Filho

05) “Memórias” – Nelson Rodrigues

06) “Mayombe” – Pepetela

07) “O beijo e outras histórias” – A. P. Tchekhov

08) “O sonho do celta” – Mario Vargas Llosa

09) “Nem mesmo os passarinhos tristes” – Mayrant Gallo (releitura)

10) “Mar de Azov” – Hélio Pólvora

11) “Laços de família” – Clarice Lispector (releitura)

12) “O reacionário” – Nelson Rodrigues

13) “O assassinato e outras histórias” – A. P. Tchekhov

14) “O malfeitor e outros contos da velha Rússia” – A. P. Tchekhov

15) “Olhos d’água” – Conceição Evaristo

16) “Massacre no km 13” – Hélio Pólvora

17) “A cabra vadia” – Nelson Rodrigues

18) “A geração da utopia” – Pepetela

19) “A dama do cachorrinho e outros contos” – A. P. Tchekhov

20) “Poesia completa” – Orides Fontela

21) “Noites vivas” – Hélio Pólvora

22) “O violino de Rothschild e outros contos” – A. P. Tchekhov

23) “Um homem extraordinário [e outras histórias]” – A. P. Tchekhov

24) “Predadores” – Pepetela

25) “Homem invisível” – Ralph Ellison

26) “O conto da aia” – Margaret Atwood

27) “As grandes paixões” – Guy de Maupassant

28) “Estranhos e assustados” – Hélio Pólvora

29) “Mestre Dedé – O andarilho da ilusão” – Ildegardo Rosa

30) “Umbigo” – Nicolas Behr

31) “Os nove pentes d’África” – Cidinha da Silva

32) “Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo” – David Foster Wallace

33) “O deserto dos tártaros” – Dino Buzzati

34) “O leopardo é um animal delicado” – Marina Colasanti

35) “Diana caçadora & Tango fantasma” – Márcia Denser

36) “Os dragões não conhecem o paraíso” – Caio Fernando Abreu

37) “O voo da madrugada” – Sérgio Sant’Anna

38) “Melhores contos de J. J. Veiga

39) “O filho eterno” – Cristovão Tezza

40) “Poemas” – Daniel Lima

41) “O jogo da amarelinha” – Julio Cortázar

42) “Romancista como vocação” – Haruki Murakami

43) “O martelo” – Adelaide Ivánova

44) “Z, a cidade perdida” – David Grann

45) “Para educar crianças feministas” – Chimamanda Ngozi Adichie

46) “15 contos escolhidos de Katherine Mansfield

47) “Lima Barreto: Triste Visionário” – Lilia M. Schwarcz

48) “Cuidado com as velhinhas carentes e solitárias” – Matéi Visniec

49) “Gigantes do futebol brasileiro” – João Máximo e Marcos de Castro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grito do mar na noite no site do jornal Rascunho

Resenha do livro O grito do mar na noite (Via Litterarum, 2015), publicada no Rascunho #192, de abril de 2016, por Clayton de Souza, disponível para leitura no site do jornal.

Leia aqui

A mesma resenha na versão impressa do jornal aqui

Foto do autor: Sarah Fernandes

Cinco poemas e três passagens de Ana Martins Marques no livro Da arte das armadilhas

Ana Martins Marques (foto daqui)

Espelho
Ana Martins Marques

                                     d’après e. e. cummings

Nos cacos
do espelho
quebrado
você se
multiplica
há um de
você
em cada
canto
repetido
em cada
caco

Por que
quebrá-
-lo
seria
azar?


--------


Teatro
Ana Martins Marques

Certa noite
você me disse
que eu não tinha
coração

Nessa noite
aberta
como uma estranha flor
expus a todos
meu coração
que não tenho


--------


Penélope
Ana Martins Marques

Teu nome
espaço

meu nome
espera

teu nome
astúcias

meu nome
agulhas

teu nome
nau

meu nome
noite

teu nome
ninguém

meu nome
também


--------


Caçada
Ana Martins Marques

E o que é o amor
senão a pressa
da presa
em prender-se?

A pressa
da presa
em
perder-se


--------


A festa
Ana Martins Marques

Procuramos um lugar
à parte.
Como se estivéssemos
em uma festa
e buscássemos um lugar
afastado
onde pudéssemos
secretamente
nos beijar.
Procuramos um lugar
a salvo
das palavras.

Mas esse
lugar
não há.


--------


"Um dia vou aprender a partir
vou partir
como qu…

O fim do Blog do Ël Mirdad

Esta é a última postagem do Blog do Ël Mirdad (que um dia já foi Farpas e Psicodelia). Ao fim, foram 1.083 postagens em 8 anos de atividade, de 2009 a 2016. Divulguei o trabalho de muitos artistas, nas áreas da música, literatura e audiovisual (eventos, shows, quadrinhos, etc.), e também o meu trabalho como compositor, escritor e produtor cultural. Das seções que fiz, a que mais me orgulhou foi Leituras. Abaixo, seguem duas imagens com estatísticas que o próprio Blogger oferece, apuradas em 22 de dezembro. O motivo para o fim desse blog é que não assinarei mais como Emmanuel Mirdad, e não tem lógica manter um canal de comunicação vinculado a esse nome.


Algum dia farei outro blog? Acho difícil. Caso faça, divulgarei apenas o meu trabalho como escritor, o único que continua, assinando, a partir de 2017, como Emmanuel Rosa.


Muito obrigado pela sua audiência. E espero que o Google mantenha esse acervo ativo, para quando você quiser voltar por aqui e ler (ou ouvir) algo que lhe agradou, d…